Total de visualizações de página

A pombagira

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Boys e Girls na Umbanda-Astrologica



Observando a aceitação da Umbanda-Astrologica a cada dia, com os enumeros emails que recebo, com as mensagens e pessoas me adicionando no msn, venho percebendo que a Umbanda não é uma religião de Tiozinhos, como querem nos fazer acreditar. Mesmo com o movimento de muitos egocentricos e tradicionalistas retrogrados, tentando nos fazer acreditar em uma Umbanda só de Pais Velhos, vemos que muitos jovens veem a Umbanda com bons olhos. Só precisam na verdade de incentivo com explicações sobre o que é Umbanda, como ela funciona e abrir mais os conceitos, logico que sem extravasar passando dos limites, pois a Tradição é importante, mas, fazendo tudo com amor, respeito e verdade tudo dará muito certo.

Tambem temos que tirar a ideia de que a Umbanda ou qualquer outra religião só funciona nos templos, em Ordens ou com sistemas iniciaticos complicados. Na verdade a mensagem dos orixás é o de simplicidade, querendo puxar as pessoas a buscar o amor, harmonia, e paz, através do respeito a vida, a comtemplação a criação Divina, a obediencia ao Criador e a busca da iluminação.

Outro erro grave que se encontra em todas as religiões é querer convencer as pessoas de que tudo é imutavel, que não pode se renovar e que conceitos são eternos. A unica coisa que é eterna é a Divindade, o resto todo se transforma.

Temos que saber que o universo está em transformação continua a todo momento tem alguma coisa que deixa de ser passando a ser... Assim trabalha a ordem das coisas e assim se apresenta a vida. Os ritos precisam se adaptar as Eras, ao povo a cultura de cada adepto, porque se não nunca vai funcionar direito e torna-se incompreensivel. É por isso que muita gente vai deixando de frequentar as religiões, preferi ir uma noite na balada usando drogas e enchendo a cara do que buscar elevação espiritual, porque fica parecendo que so existe o caminho do sofrimento pra se evoluir e não é verdade.

Na verdade muitos são os caminhos e não podemos padronizar nada. É por padronização da cultura moderna que o ser humano se encontra cada vez mais vazio, inconformado e incompreendido. Quem é branco quer ficar preto, quem é preto quer ser branco, quem tem cabelo liso, quer enrolar, quem tem cabelo crespo quer alisar etc. Isso só prejudica os humanos, quando se padroniza, porque quem é magro e quem é gordo tem seu valor sem que um necessite ter a forma do outro. Cada um tem que se conformar como é a não ser que seja uma doença ou beire o ridiculo. Mas, tem pessoas quase perfeitas que querem a forma que está na moda.

A padronização só dificulta a evolução. Cara era, cada local, cada cultura ou cada crença tem que se adaptar conforme a necessidade dos buscadores. A Umbanda, não pode ser só uma religião de velhos, tem que ser uma religião que agregue todas as raças e seguimentos. Vemos padrões tambem na busca dos oraculos, dizendo-se porai que só se aprende Tarô, Astrologia ou jogos diversos como o de buzios se seguirmos certas regras. Na verdade todos poderemos buscar a nossa maneira como seja mais facil de aprender e compreender os misterios.

Eu não vejo finalidade, em buscar só o que os outros ensinam, mas, devemos adaptar um metodo proprio para que fique mais acessivel a nossa compreensão particular. Veja que a capoeira agrega um grande numero de jovens porque se mostra mais sociavel e adaptavel a qualquer idade. Eu sei que a Umbanda tem a mesma finalidade mas, não é vista assim.

Mas, pelos emails que recebo e as enumeras mensagens, percebo que aliando a Umbanda com novas ferramentas, como o Tarô a Astrologia e outras coisas, fica-se com um estilo mais acessivel, mais leve e compreensivel para os jovens. Porque eles ja se interessam por horoscopo, previsões e tarô. Isso porque a Umbanda-Astrologica sai um pouco do territorio, dos templos, dos terreiros e de ordens, não que eles não sejam importantes, mas, que não são o unico caminho. Além do mais atinge uma vasta parcela que não quer frequentar estes locais especificos.

Isso porque muitos pensam que só existem umbandistas na quantidade indicada pelos sensos do IBGE, mas na verdade muitos mais praticam a Umbanda todos os dias, sem frequentar templos. Dai ao misturar ao conceito astrologico, pelo vasto conhecimento mais popularizado dos conceios do zodiaco, as pessoas passam a compreender um pouco mais.

Então aqui eu quero agradecer a todos os buscadores, que se mostram cada vez mais interessados em todos os cantos do Brasil e do mundo, com acessos de mais de 40 pais e mais de 400 cidades no mundo todo, com um numero muito grande de interessados jovens que querem aprender cada vez mais.

Carlinhos Lima - Astrologo, Tarologo e Pesquisador.
Obrigado a todos pelas visitas.

Os varios "Eus"


"A personalidade do indivíduo é como uma Orquestra. Cada parte dela, chamada subpersonalidade, é um músico e o Eu é o maestro. Não se pode eliminar um músico, mas fazer com que todos atuem em harmonia. O maestro determina quem vai tocar e a que horas. O compositor é o lado transpessoal do indivíduo, o que cria. O importante é a ligação harmoniosa entre todos para a boa execução da sinfonia. A Psicossíntese não é mais uma teoria criada mas um processo natural de desenvolvimento humano. É o princípio da síntese que há no Universo, aplicado à Psicologia." ( Roberto Assagioli ).

Para que possamos integrar a nossa personalidade em torno de um Centro ou Eu Superior, é necessário que tenhamos consciência não só dos potenciais que nos ajudam a fazer essa conexão, como das barreiras ou fragilidades que a dificultam. A Astrologia pode ajudar, e muito, nesse processo de autoconhecimento. Portanto, este mesmo princípio de síntese que há no Universo aplica-se também à Astrologia Psicológica.

A observação dos astros acontece muito cedo na Humanidade, nas primeiras civilizações agrícolas. Vem da necessidade de estabelecer um calendário que orientasse o plantio. Daí nasceram tanto a Astronomia como a Astrologia. O que seja a Astronomia é do conhecimento de todos. Já para a Astrologia, poderíamos ter tantas definições quantas forem as pessoas a quem se perguntasse. A Astrologia, como nós a consideramos, é a compreensão da correspondência que existe entre o Homem (o Microcosmo) e o Universo (o Macrocosmo). Ela se serve de uma linguagem simbólica e de uma visão geocêntrica para indicar uma realidade interna, subjetiva, psicológica. A Astrologia Psicológica nasce depois do desenvolvimento da Psicologia, a partir de Freud. Ela deixa, então, de ser preditiva e passa a ter uma postura mais voltada para a compreensão da psique humana.

Por estar estreitamente vinculada astrologia e estudos da espiritualidade como a Umbanda por exemplo, à Psicossíntese, duas coisas são muito importantes para compreendermos e, mais do que isso, vivermos esse método: primeiro, a idéia da existência de um Centro, um Self ou Eu Superior; segundo, a integração dos três níveis da personalidade, isto é, o físico, o mental e o emocional em torno desse Centro, que é a nossa dimensão espiritual.

É através da personalidade que esse Centro se manifesta no mundo. Ainda que a personalidade seja imperfeita e sujeita à evolução, esse Centro, como a manifestação do Divino em nós, é sábio e não pode ser atingido pelo fluxos emocionais ou mentais próprios da personalidade. É por essa razão que nos nossos Mapas ele não é cortado por nenhuma oposição. É a partir desse Centro que tudo acontece. É ele que escolhe as experiências que devemos viver para aprender, adquirir consciência e assim evoluir. Assim tambem é preciso que trabalhemos na Umbanda buscando antes de entender as formas caracteriscas das entidades externas e orixas, compreender a nós mesmos pois a perfeita harmonia cosmica que deve se dar por meio da mediunidade só ocorrera com um perfeito alhinhamento ou fusão de forças externas com as internas. Formando assim um Eu sincronizado com o universo e com Deus.

O Mapa Natal ou Radix, comum a todas as outras formas de Astrologia. É o Mapa que congela no tempo o momento do nascimento, a posição dos astros no céu e que imprime na alma humana as energias cósmicas daquele momento. É um Mapa do futuro, um vir-a-ser. À medida que nos desenvolvemos, vamos pouco a pouco realizando este Mapa. É deste mapa que vamos ter todas informações necessarias sobre personalidade, carater e temperamento que nós ajudara a descobrir de que forma as influencias externas como as dos orixas vão trabalhar e de que forma devem ser assimiladas.O segundo Mapa é o que chamamos de Mapa de Casas. Ele indica a influência que a educação (pais, professores, igreja, sociedade etc.) exerceu sobre nós, procurando de-senvolver aptidões que não tínhamos ou mesmo bloqueando certas áreas de nossa psique. Este Mapa tem maior peso na infância e adolescência.

À medida que nos tornamos adultos, precisamos saber discernir desta influência do meio sobre nós, o que nos é conveniente manter ou descartar. Mas só saberemos verdadeiramente fazer esta seleção se tivermos bastante clareza sobre o que é nosso, o que nos pertence como plano de vida ou o que foi adquirido pela educação. Este Mapa representa o presente, o que carregamos agora. É por meio desse mapa que avaliamos a ação de Guias, Protetores e Orixas menores trabalham por meio do inter-cruzamento das Vibrações dos orixas.

O terceiro é o Mapa Nodal. É o que chamamos Mapa de "sombra", isto é , aquilo que, vindo do passado, acha-se tão profundamente entranhado no nosso inconsciente que se manifesta às vezes como erupções, outras vezes com uma qualidade já internalizada, e que pode, por isso mesmo, tanto ajudar como atrapalhar nossa vida consciente. A partir deste poderemos ter uma noção de que missão temos que cumprir e o que temos que assimilar na verdade em nossa tragetoria com auxilio dos orixas.

A FORMA:
a parte central do Mapa, a estrutura de aspectos (ligações de um planeta para o outro) revela, pela sua forma, a motivação básica da vida de cada um, o propósito da presente encarnação. Responde, pois, a perguntas como essas: Qual é a minha tarefa de Alma? Qual é a contribuição que devo dar na intrincada estrutura do mundo? Com essa ligação dos planetas podemos perceber de que modo cada orixa atua em nossa vida.

A COR :
a forma então revela minha tarefa de Alma. Que recursos ou qualidades tenho para realizar essa tarefa? Isso é expresso pelas cores dos aspectos: vermelho, verde e azul, cada um representando uma qualidade com a qual posso expressar-me no mundo. E assim ter uma harmonia maior com as forças que nos regem representando-os muito melhor.

LOCALIZAÇÃO DA ESTRUTURA NO MAPA:
introversão - extroversão, autocentramento - alterocentramento, consciência - inconsciência, indivíduo - coletivo são dados importantes da personalidade que podem ser detectados pela simples observação do espaço que a estrutura ocupa no Mapa.Há três planetas principais que, na interpretação do Mapa, têm mais peso do que os outros. São aqueles que representam a consciência dos nossos corpos - físico, mental e emocional. A integração destes três num todo harmônico e sua livre expressão no mundo é que constitui o objeto da Psicossíntese. Os outros planetas ou são instrumentos a serviço deles, por isto chamados planetas-ferramenta, ou são os responsáveis pela evolução espiritual da Humanidade, tanto em nível pessoal como coletivo.

O MODELO FAMILIAR
É indiscutível a importância dos pais no desenvolvimento de nossa personalidade. A Astrologia tradicional já reserva um lugar para o estudo desta relação entre pais e filhos. Para ela, o Sol representa o pai e a Lua, a mãe. A novidade do Método Huber é que, os mesmos planetas que formam o tripé da personalidade, simbolizando o corpo físico, o mental e o emocional, também são o espelho da trilogia pai - mãe - filho. Se na Astrologia tradicional o filho como tal não aparece no Mapa, no Método Huber, a criança, com sua espontaneidade, maleabilidade e desejo de amor aparece de forma clara. Dos aspectos que os três planetas principais formam entre si, ou da ausência deles, tem-se a descrição do quadro familiar.

O PONTO-IDADE O Mapa Astrológico representa a caminhada do ser humano, desde o seu nascimento, passando por todas as etapas de evolução, amadurecimento e cumprimento de seu "Plano" de vida. Estas etapas de evolução são comuns a todos os homens e mudam num intervalo de seis anos. Melhor dizendo, de seis em seis anos avançamos progressivamente de uma etapa de desenvolvimento psicológico para outra, até o final de nossas vidas. Reconhecê-las nos dá tranqüilidade tanto a nosso respeito como em relação aos outros. Assim, deixa-mos de exigir dos outros e principalmente dos nossos filhos que tenham uma atitude interna para a qual ainda não estão maduros.

O PLANETA ALAVANCA
Mesmo que seja desejável, o funcionamento perfeito e harmônico dos três níveis da personalidade nem sempre acontece num mesmo indivíduo. Às vezes, há uma faceta que se desenvolve mais enquanto as outras duas ficam meio adormecidas. Freqüentemente, temos uma visão distorcida de nós mesmos e então procuramos agir, seja por uma valorização maior da sociedade, seja por querermos inconscientemente corresponder às expectativas que tiveram de nós, não pela parte da personalidade que é mais forte, mas por outra que nos é deficiente e por isso pagamos um preço. Esta situação é muito comum nos homens que têm a parte emocional da personalidade mais ativa e por pressão e expectativa da sociedade, procuram agir pelo mental, estabelecendo metas que não conseguirão alcançar ou competindo no mundo dos negócios com uma autoconfiança que não têm. Conhecendo essa situação e agindo de acordo e não contra uma tendência natural, é possível que pouco a pouco as duas outras partes da personalidade sejam desenvolvidas e se integrem perfeitamente à mais forte.

O PONTO-IDADE

O Mapa Astrológico representa a caminhada do ser humano, desde o seu nascimento, passando por todas as etapas de evolução, amadurecimento e cumprimento de seu "Plano" de vida. Estas etapas de evolução são comuns a todos os homens e mudam num intervalo de seis anos. Melhor dizendo, de seis em seis anos avançamos progressivamente de uma etapa de desenvolvimento psicológico para outra, até o final de nossas vidas. Reconhecê-las nos dá tranqüilidade tanto a nosso respeito como em relação aos outros. Assim, deixa-mos de exigir dos outros e principalmente dos nossos filhos que tenham uma atitude interna para a qual ainda não estão maduros.Por isso antes de dizer que uma pessoa é filha de um orixa ou não só por auxilio de um Guia que fala no terreiro é muito precipitado, pois temos muitas energias atuantes e a analise tem que ser minunciosa.

Carlinhos Lima - Astrologo, Tarologo e Pesquisador.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Marcadores