Total de visualizações de página

Meus livros de Magia Astrológica no link

domingo, 17 de setembro de 2017

Pouco importa se a astrologia é ciência, ela não é refém do neo-positivismo ou do racionalismo estatístico


Astrologia funciona pra mim e isso basta pra minhas buscas. Se não funciona pra você, ignore-a


Há milênios, e não é de agora, existe um enorme debate sobre a astrologia. Assim como o embate entre religiosos e ateus sobre a existência de Deus ou não. E hoje em dia, onde todo mundo faz uma página e acha que tem a pedra filosofia do conhecimento, esses debates continuam cada vez mais intensos. Os pensamentos neo-positivistas querem ditar regras, verdades e descartar tudo que eles não acreditam do caminho. Porém, quem acredita em Deus, por exemplo, pouco tá se lixando se Deus tem a barba grande, se é morena ou se ele flutuou quando apareceu a Moisés. Ou seja, quem acredita, crê, porque sente ou acha que tem algo além daquilo que nossa fraca ciência é capaz de alcançar. Se a Bíblia por exemplo, fosse toda comprovada cientificamente e tivesse um estudo desvendando Deus, ela não teria mais a mesma atratividade e nem geraria fé. Ninguém levaria à sério um deus que um cientista tem um telefone na agenda e que mostra num mapa do céu, onde é seu quarto de dormir! O poder do Sagrado está justamente no oculto, no imenso mistério envolto dos códigos eternos.

A astrologia no dia que puder ser embasada como uma bula de remédio, certamente será o dia que deixará de existir, pois todo mundo perderá o interesse. Quem busca a astrologia, não tá preocupado com sua epistemologia e nem em que pensamento ela se insere. Ela mistura não só saberes astrológicos, mas é quase toda simbologia, agregando ainda, filosofia, arte, fé e até mesmo ciências humanas. Mas ela não se enquadra a uma ciência exata, como a matemática ou biologia. A matemática é apenas parte de seus segredos, assim como a geometria e quantidade de energias envolvidas. Mas a astrologia não sobreviveu ao tempo, por ser algo que influência ao homem, pelo contrário, a astrologia não é influência e sim revelação. Ela revela por meio de seus símbolos. Ela mostra caminhos a seguir, não que eles sejam imutáveis, mas, que eles são opções a um destino que muda a todo momento. Os pensadores positivistas que tentam comprovar tudo com estatísticas, não se deram conta que ela não é pra ser testada com estatísticas, ela é pra se sentida e compreendida.

Quem vai estudar astrologia, não quer saber o porque que Marte num determinado signo pode ser bom ou ruim como simbologia pra desvendar um caminho, apenas quer saber o que significa e não porque significa. E quando falei que o destino é mutável, não estou tirando a importância da astrologia, pois ela foi revelada ao homem justamente pra ajudá-lo a moldar um destino melhor. O destino vai se desenhando à nossa frente, numa costura de fatos predeterminados, a fatos que vamos somando ao longo do caminho. Nossas escolhas, tornarão um destino que já traz uma base ancestral e cármica, ou melhor ou pior. A astrologia não vai nos ajudar a fazer um destino do zero, como quisermos e sim, a compreender nosso destino e aprendermos a como vivenciar melhor este destino.

Agora é moda na internet youtubers fazerem vídeos esculachando a astrologia. Primeiro, a astrologia é milenar, tem pelo menos 6 mil anos e nunca precisou de comprovação pra existir. Segundo, se a astrologia resistiu ao tempo, é porque algo de sensacional ela tem em si. E terceiro, se essas pessoas que se acham tão sábias, usam seu tempo de forma sensacionalista pra atacar astrologia é porque perceberam que ela mexe com as pessoas. E ela mexe tanto de forma consciente, quanto inconsciente, pois ela faz parte de nosso inconsciente coletivo e é uma herança ancestral ou até mesmo sobrenatural. Pra mim a astrologia não é um sistema humano, ele foi dado por alguma força sobrenatural a algum escolhido e nós ainda não tivemos a capacidade de dominá-la ou interpretá-la nem um quinto de seu saber.

O engraçado é que pensadores como Leandro Karnal, por exemplo, não tem coragem de bater de frente com as grandes religiões, aliás, não sabe fazer uma palestra sequer sem citar pensadores da religião, mas, sabe atacar outras crenças como a astrologia, o tarô e esoterismo. Segundo ele, pseudociências, são as coisas mais idiotas do mundo. Mas, acha normal e admirável os incontáveis dogmas da igreja. Pra mim, religião é a mãe de toda pseudociência. Porém, quem acredita em Deus, não quer saber se no céu tem mármore nas paredes ou se Deus toma banho todo dia. Quem crê, não precisa de comprovação da nossa ciência limitada. A ciência que fantástica em coisas exatas, como por exemplo o uso da matéria, das energias e no plano palpável. Mas, a ciência não tem o poder de atestar sobre o sobrenatural e a astrologia transita também este campo.

Ao debochar de Tarô por exemplo, Karnal afirma não haver destino. Ora, ele não tem esse poder de dizer o que tem ou não, só porque escreveu livros e faz palestras a 35 anos. Inteligência humana, não é sinal de sabedoria plena. Tem muita gente que diversos doutorados que fala uma asneira atrás da outra. A sabedoria não é só consumir livros de filosofia e traçar um imensa bibliografia de autores consagrados. Até hoje, temos milhares de cientistas de um lado e do outro, debatendo sobre efeito estufa. Quem é contra ou à favor, sempre usando dados e estudos. Ou seja, nossa ciência tem limites. Tudo que sabemos por exemplo sobre o cosmos é militado, sabemos basicamente por teoria, ninguém foi além dos limites do sistema solar pra ver nada, apenas confiamos em teorias e montagens das agência espaciais.

Essa historia de dizer que o que não passa pelo crivo de uma análise acadêmica é bobagem, e que é uma grande bobagem. As academias estão cheias de cientistas retrógrados que se debatem o tempo todo sem avançar um milímetro em nada. Se a filosofia tivesse resposta pra tudo, já teriam convencido a humanidade sobre todas essas questões. Como é que alguém que não tem respostas, quer dizer que as crenças dos outros são bobagens? Se dizer ateu é uma coisa, mostrar os dados que exigem são outros quinhentos. Vemos palestras de horas á fio, tudo não passando de mais e mais teorias, citações e mais citações de pensadores, mas, nada conclusivo. Assim fica fácil, querer se passar pelo do no da razão.

A astrologia não tem pretensão de ser ciência exata, também não é adivinhação, e o estudo de um sistema simbólico que visa identificar energias e códigos, que ajudam o homem a ter um caminho mais fácil na vida. E a função da astrologia nem é tanto focar no futuro, mas, no agora, pra que o homem tenha uma firmeza pra escolher uma direção mais segura e mais dignificada. Assim como citou o professor Cloves  numa palestra "Prova a priori pela simples consideração da ideia de ser perfeito ... Descartes conclui que Deus existe pelo facto de a sua ideia existir em nós. ... a ideia de Deus ou do ser supremo, com razão podemos examinar a causa por que a temos; ..." 

Assim, aplico estes mesmos argumentos a astrologia. Ela é perfeita como sistema, pois não foi criada por homens, foi revelada por seres sobrenaturais. E ela existe pelo fato de sua ideia existir em nós. Nós detectamos saber astrológico em muito de nossos pensamentos e até as superstições que nascem em relação a astrologia, tem haver com saberes inconscientes existentes dentro de nossa alma. Por isso, a Lua nos fascina tanto quando nos apaixonamos e por isso que mesmo achando que horóscopo é uma bobagem, a pessoa sempre vai fazer até de forma inconsciente, alguma olhadinha em seu signo ao abrir uma revista ou jornal. Não que horóscopos banais de jornais e revistas sirvam pra alguma coisa, mas, porque nosso inconsciente sempre gritara que o saber astrológico reside em nós.

Carlinhos Lima (astrólogo)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Marcadores