Total de visualizações de página

A pombagira

segunda-feira, 26 de agosto de 2019

São de ETs? Conspiracionistas acreditam ter encontrado marcas em Marte (FOTO)


Uma sonda da NASA captou uma foto onde aparecem supostas letras "E" e "T" na superfície do Planeta Vermelho.

As marcas teriam sido encontradas por fanáticos pelo espaço, que analisaram as imagens da agência espacial norte-americana e encontraram misteriosos sinais, de acordo com o tabloide The Sun.

© FOTO: NASA
Letras "E" e "T" na superfície de Marte
"Tente explicar isso. É visivelmente notável. Agora temos grafite em Marte", afirmou um dos entusiastas.
Enquanto isso, outros entusiastas fazem referência ao antigo filme de Steven Spielberg, lançado em 1982, "E.T.: O Extraterrestre".


Cena do filme "ET" de 1982
A imagem foi captada pelo Orbitador de Reconhecimento de Marte (MRO, na sigla em inglês), que coleta informações no Planeta Vermelho há 13 anos.

Astrofísica: Morte brilhante! Hubble capta imagem de estrela moribunda


O telescópio espacial Hubble conseguiu captar a foto de uma estrela moribunda similar ao Sol no espaço sombrio em meio à constelação de Gemini.

Inicialmente, os cientistas consideraram que se tratava de dois objetos que formam uma nebulosa planetária, segundo informa a NASA.
A imagem corresponde a uma estrela similar ao Sol, identificada como NGC 2371-2, que atingiu o final de seu ciclo de vida. A estrela está liberando o material que a constitui, espalhando-o para o espaço.
Durante este processo, o objeto deixa visível apenas um remanescente estelar superaquecido, como uma estrela brilhante no centro da imagem.
Segundo o relatório da agência, a estrutura desse local é complexa. A área está cheia de densos nós de gás e rajadas rápidas de movimento que parecem mudar de direção ao longo do tempo. Também é caracterizada pela presença de nuvens de material em expansão, que fluem para fora em lados opostos da estrela remanescente.
As manchas da imagem brilham quando a estrela moribunda emite radiação de energia que ativa o gás na área e faz com que ela se ilumine.
Especialistas dizem que esse fenômeno continuará mudando durante os próximos milhares de anos, até que o corpo celeste esfrie, escureça e se torne em uma anã branca.

Zonas habitáveis? Descobertos 3 novos exoplanetas que poderiam abrigar vida


Uma equipe de pesquisadores encontrou evidências da existência de três exoplanetas possivelmente habitáveis orbitando a estrela GJ1061 – considerados o 20º sistema estelar mais próximo da Terra.

Durante a pesquisa, cientistas de vários países europeus e um do Chile estudaram a estrela em questão para determinar se ela tem planetas e se estes poderiam abrigar vida, informa o portal Phys.org.
A estrela mais próxima do Sol de que se tem conhecimento, a Proxima Centauri, está localizada a cerca de 4,2 anos-luz da Terra e foi alvo de pesquisas anteriores, que determinaram que seus planetas não poderiam abrigar vida devido à volatilidade da estrela.

Existência de planetas habitáveis?

Já o sistema estrelar GJ1061, que está a aproximadamente 17,5 anos-luz de distância do nosso planeta, é considerado uma pequena estrela de massa pequena e baixa volatilidade, o que poderia apontar para a existência de planetas habitáveis em sua órbita.
A evidência da existência de três planetas, e possivelmente de um quarto, foi possível ser determinada graças aos dados obtidos pelo Observatório Europeu do Sul (ESO), localizado no Chile.
Para isso, os cientistas utilizaram o método da velocidade radial, que consiste em observar pequenas oscilações na órbita de uma estrela, o que significa que a gravidade de um planeta a puxa.

Planeta d

De acordo com as pesquisas, os novos exoplanetas descobertos são um pouco maiores que a Terra e orbitam perto da sua estrela.
Os cientistas ficaram especialmente interessados no chamado planeta d, e descobriram que este leva apenas 13 dias para completar uma volta ao redor de sua estrela, o que o coloca na área que poderia ser habitável.

© NASA. CENTRO DE VOOS ESPACIAIS GODDARD DA NASA/ CHRIS SMITH
Ilustração mostra interpretação da aparência do planeta GJ 357 d, localizado a cerca de 31 anos-luz de distância da Terra
Contudo, este tipo de estrelas tende a ter uma história volátil, o que significa que o planeta recebeu uma grande quantidade de radiação durante milhões de anos e provavelmente não abriga vida neste momento, explicam os cientistas.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Marcadores