Total de visualizações de página

A pombagira

Meus livros de Magia Astrológica no link

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

A SENHORA POMBAGIRA


A senhora POMBA GIRA

De todas as entidades que até agora pesquisei, Exu e Pomba Gira são as entidades mais polêmicas e complexas que conheci em todos os meus anos de estudo sobre a Umbanda. Muito se diz sobre estas entidades: que foram mulheres da vida e que ao morrer se transformaram; que são espíritos demoníacos, que pervertem a sexualidade das pessoas, afastam casais, aproximam, enfim, todo tipo de adjetivos tem sido dada a essas grandes guerreiras do mundo astral. O que escrevo aqui sobre elas, é baseado nos meus anos de observação e estudo profundo sobre a entidade, e obviamente poderá não ser a opinião de outros sacerdotes ou médiuns. Mas uma coisa eu afirmo com veemência: só estudando Umbanda ou qualquer seguimento como única fonte de pesquisa nunca se descobrira a verdade. Pois os segredos e códigos ocultos têm ramificações em diversas culturas. Daí se faz necessária à observação cabalística, mística, mítica, astrológica, espiritual, mágica, ritualística e ancestral dessas entidades. Além é claro da parte lendária e histórica.
O conceito que formei sobre quem são elas é simples: são seres do mundo astral, guerreiras tanto quanto Exú, que estão bem próximas de nossa esfera humana, algumas já se reencarnaram e outras não. E aqui esta um ponto essencial. Pois as que não encarnaram são as que realmente comandam ciclos e graus. Essas são as que têm formas de orixá e faz parte da Hierarquia Ancestral ou Cósmica. Já as que encarnam são as que representam essa Vibração e trabalham pela evolução carmica do planeta. No entanto existem vários espíritos trabalhando ilegalmente tanto na Quimbanda como na Umbanda. Esses sim são magos negros, espíritos demoníacos que mancham a verdadeira Vibração Cósmica.
Conhecendo de perto Maria Padilha, 7 Saias, Pomba Gira das Almas etc., perceberemos que muitas dessas que se apresentam não passam de simples Eguns que se tornaram tomados de sombra e passaram a atuar num grau obscuro. Maria Padilha tinha uma médium que a incorporava, e havia ganhado de presente de um freqüentador do terreiro uma enorme cobra trazida do pantanal. Ao entregá-la, a entidade incorporou, e pegou a cobra no colo. Então a cobra passou a se enrolar em todo o seu corpo e fazer com que ela bebesse da mesma champagne que estava bebendo. Tudo aconteceu com muita harmonia e sincronia entre o médium e a cobra. Todas as vezes que Maria Padilha vem em terra, a cobra percebe e fica inquieta e o réptil mostra claramente que deseja ir ao encontro da Pombagira e quando levada permanece ali em seu colo todo tempo de sua presença no médium. Assim como as outras que pertenciam a várias médiuns do terreiro, realizavam inúmeros trabalhos: ajudar a vencer obstáculos, a ser feliz no amor, vencer problemas de saúde de desarmonia conjugal, e muitas outras mazelas que as pessoas vinham trazer e buscar auxílio. Mas também via-se constantemente espíritos muito sombrios se apresentarem como se fosse uma Pombagira evoluída e que não gostavam nem um pouco de animais, em especial os gatos que o sacerdote tinha.
A Pomba-Gira se subdivide em uma enorme legião onde cada qual tem seu nome próprio, conforme sua área de atividade. Temos a linha das que pertencem às encruzilhadas como Pomba Gira Rainha das 7 Encruzilhadas, tendo a linha do cemitério liderada pela Pomba-Gira da Calunga, com sua legião. Temos a linha das ciganas, lideradas pela Pomba-Gira Cigana, a linha ligada aos locais ermos, sendo liderada pela Pomba-Gira, Maria Mulambo, entidade muito perigosa e poderosa nos casos de demanda, pois toda demanda entregue a ela dificilmente deixa de ter bom resultado. Com relação as suas manifestações nos médiuns, normalmente como mulheres, suas legiões podem adotar nomes femininos, como por exemplo: Pomba-Gira Rosa, mas pertencendo a esta ou aquela linha liderada pela chefe correspondente.
Com formas sexuais pervertidas, é assim que se apresentam na maioria das vezes, até porque a sua intenção é testar o médium e prova-lo, provocando sua descarga de pensamentos obsessivos. Mas pela experiência do que já estudei até hoje, durante anos, essa perversão não existe, o que entra aqui em ação é o caráter do médium, que se aproveita do caráter sensual da entidade para expor seus recalques subconscientes. Não conheci nestes anos todos nenhuma mulher que desencaminhou sua moral por culpa de sua Pomba-Gira, a menos que sua natureza já latejasse por saciar-se nesses tortuosos caminhos impostos pelo baixo astral. Por inúmeras vezes, será possível encontrar as Pombas Giras aconselhando suas médiuns no bom caminho e no respeito a seus companheiros. A não ser que essas sejam magos negros se passando por sua pombagira e assim atua como um espírito obsessivos incentivando a luxuria. Nunca vi também nenhum homem se transformar sexualmente por culpa das entidades, o que vi ocorrer foram mudanças vir à tona, mas já existentes no caráter do médium. O que pode ocorrer é uma provocação na manifestação de características ocultas.
Uma coisa é muito certa, todo e qualquer problema que colocamos nas mãos de qualquer uma delas tem solução se a ritualística for bem elaborada. Sua força é guerreira, sua vibração magnética é carregada de sensualidade e alegria, tanto que sua chegada nos médiuns é sempre alegre, solta e sensual. Mas não aconselho a ninguém buscar contato com essas energias sem o devido preparo. Uma coisa muito perigosa também é fazer oferendas na encruzilhada sem o devido conhecimento. Exú tem ligação com a força sexual criativa, e a Pomba Gira por sua vez com a circulação dessa energia criativa existente na vida e no Universo. Lamentavelmente sua reputação se tornou péssima devido a erros de incorporação dos próprios médiuns, que por falta de instrução de seus Babalorixás ou por deturpações pessoais as transformaram em seres com fama de depravadas, libidinosas e cruéis. E realmente ainda temos muitas dessas entidades agindo de má fé e trazendo desorientação no seio da Umbanda.
Suas oferendas são inúmeras, sempre acompanhadas de champagne, de boa qualidade, bons vinhos, bebidas fortes como o gim ou a pinga. No entanto mais importante que as oferendas é que entremos em harmonia com sua vibração astral e que possamos controlar as energias emanadas nos chacras. A ela oferecemos charutos e cigarros de boa qualidade, flores vermelhas, sempre em numero impar, farofas de dendê, mel, de licor de anis (uma de suas bebidas preferidas), espelhos, enfeites, jóias, bijuterias de boa qualidade, anéis, batons, perfumes, enfim todo o aparato que toda mulher gosta e preza. Mas cada oferenda tem um caráter peculiar dependo do objetivo que se almeja.
Seus locais para oferenda são variados, conforme expliquei acima, tudo depende de qual delas esta sendo chamada para seus pedidos, que LINHA se busca, que necessidade nós temos e se realmente temos permissão para utilizar esses rituais. Pois muita gente faz essas oferendas sem consultar os Guias, os oráculos e os orixás. É por isso que tem tanto desequilíbrio na Umbanda e no Candomblé. Suas cores predominantes são o preto e o vermelho, seus colares também, suas indumentárias as saias rodadas pretas e vermelhas, blusas de brocado e muitos enfeites. Mas toda essa personificação muda dependendo o grau dessa entidade, o ciclo e a Linha a que ela pertence.
O importante ao invocá-las é sempre lembrar que, são entidades complexas de personalidade forte, e que nunca perdoam uma falta de palavra dada. O importante também é não invocá-las para trazer prejuízo a outrem, porque elas farão com certeza, mas a dívida kármica adquirida ficará por conta de quem pediu. No entanto as entidades já iluminadas e atuantes no grau de orixá e Exu de Lei não farão o que é errado e punira que a incitar. Digo isso porque não concordo com a definição de que Exu não é bom nem mal. Exu sabe muito bem o seu papel e não age por comando dos encarnados sem convicção do que faz. Os exus que assim agem não são ainda evoluídos.
Contam às lendas que podemos senti-las à noite pelas ruas, perfumadas e enfeitadas, percorrendo os caminhos dos seres humanos, os lugares ermos, os lugares movimentados, os locais onde tenham música e alegria. Eu atesto isso, pois já senti seu cheiro, sua presença e vibração pelas ruas todos os dias que voltava do terreiro em São Paulo. Até mesmo em ônibus, parques e ambientes muito movimentados.
Quanto ao seu aspecto sensual, faz parte de sua polaridade, não querendo significar com isso depravação ou perversão. Como disse atrás até hoje não conheci nenhuma mulher que tenha deixado de ser honesta por culpa de qualquer uma delas.
Se nossas amigas do invisível, quando encarnadas, foram mulheres honestas ou não, creio não ser de nossa competência avaliar isso, pois usando de uma frase vulgar, mas sabia, “os caminhos de Deus são desconhecidos”.
Duas coisas importantes quero aqui atestar: primeiro que as Pombagiras antes de evoluírem foram sim mulheres desregradas, desorientas ou abusadas e sacrificadas. Segundo, muitas voltam a reencarnar e temos na atualidade muitas em todo Brasil.
No entanto a Pombagira que nunca encarnaram e não vão encarnar jamais. São elas as comandantes das dimensões evolutivas. A elas o meu respeito e minha admiração, por seu carinho em socorrer a nos seres aqui encarnados. Axé, moças bonitas, axé!!!

Encantamentos = Para melhorar um relacionamento amoroso: Pegue 3 rosas vermelhas (botão prestes a abrir), 3 moedas de igual valor e 3 tiras de papel pequenas com o nome do ser amado. Além disso, essência dama da noite, uma vela branca, uma vela rosa e uma vermelha. Dobramos os papeis, um a um, colocamos dentro de todas as rosas em seu miolo, junto uma moeda e 3 gotas da essência. Colocamos ao pé de uma árvore ou encruzilhada e entregamos a Pomba-Gira das 7 Encruzilhadas fazendo nossos pedidos e louvores. Então ascenda a vela rosa no local da entrega e a Vermelha na porta de sua casa. A outra vela branca dentro de sua casa para seu Guia Espiritual.


Carlinhos Lima – Astrólogo, Tarólogo e Pesquisador.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Marcadores