Total de visualizações de página

Meus livros de Magia Astrológica no link

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Egun, uma força perigosa!


Mistérios do Candomblé e da Umbanda

Todos sabemos bem que a Umbanda cultua eguns, mas sabemos que ha grande diferença entre um caboclo, e um ser desencarnado que se encontra perdido, com maus sentimentos, ou apenas querendo ajudar mas sem saber como e acaba atrapalhando. E antes de mais nada entender que pode se tratar de um Egum ou de um Kiumba, aí sim em cada caso o guia chefe deveria definir o que deva ser feito.

A diferença entre este egun e o kiumba que seria o espirito zombeteiro, aquele com mais conhecimento espiritual porem na maioria das vezes muito mau intencionado e até mandado! Cada casa tem sua estrutura, sua forma de culto e de liturgia e emcimadas em suas origens tratará de forma particular esta situação.

A diferenças entre as àguas usadas encaminhar Egun, ÁGUA DOCE(TORNEIRA) OU SALGADA(DO MAR) e suas funcionalidades, na verdade não cabe ao homem doutrinar o espirito mas ao espirito ser doutrinado por outros espiritos. Podemos ser meros auxiliares na materialidade dos fatos, mas é do lado de lá que as coisas efetivamente acontecem! No entanto, sabemos do poder de muitos magos ao longo da historia sobre os espiritos, o proprio Cristo deu exemplos disso!

Para espantar "egun", "recém-morto", caso detecte alguma influência na residência por exemplo, a erva de santa barbara é uma boa. Mas, quero aqui tocar num assunto que considero importante, sou contra evocação e evocação dos mortos, pois, são pessoas que gostam de usar tais procedimentos que mais tem problemas com espiritos ruins. O certo é que o Astral Superior é que tem que vir até nós, e não nós que temos que ficar tentando controlar os espiritos.

É comum vermos pessoas nas encruzilhadas, rogando pragas, fazendo feitiços e tentando dominar forças que estão além de suas capacidades, isso é um grande erro. Assim tambem como pessoas que vão a centros pra tentar com o parente querido que acabou de partir! Necromancia não é uma coisa legal! Não devemos mexer com os mortos.

Peso nas costas, tropeções um atrás do outro na rua, olhar diferente, angústia, agressiva, vontade de vomitar, às vezes, uma vontade louca de encher a cara, entre outras coisas, podem ser sinal de tá com um Egun bem pertinho, sugando energias.

A verdade é que cada caso é um caso, porque temos o caso de estarmos acompanhados de um irmão desencarnado porque fomos invigilantes e demos brecha para a energia dele se afinar com a nossa, pode ser também porque o seu guia puxou para que se leve para o terreiro para ele ser tratado,pode ser um ente desencarnado que quer se manter por perto achando que ainda pode ajudar a pessoa amada que ainda está viva, tem os zombeteiros que querem simplesmente tocar o terror, atrapalhar o andamento do terreiro etc. De qualquer forma, o bom é não mexer com magias sem saber com que tá mexendo.

Sabemos bem, que espiritos de podem ser bons ou ruins, mesmo desencarnados. Mas, sabemos que se um espirito está errante, frequentando nosso plano, mesmo desencarnado, estará sujeito a ser acompanhado por demonios ou outras forças que queiram dominá-los. É por isso que o melhor é orarmos por eles e não invocá-los, ou evocá-los.

Ha os sofredores em busca de ajuda, mas ha os que se negam a receber ajuda, ha os que pretendem descansar, e os que não se permitem, temos os que aceitam a morte, mas temos os que nem sabem que estão mortos, e cada um com sua individualidade.

A coisa pode ser muito séria se mal resolvida, ainda bem que na maioria dos casos não estamos tratando de nos livrar do Egum, mas sim de sua carga energética, aí é bem mais fácil, e por vezes estamos dentro de um terreiro bem guardados e nos mantemos policiados em nossas atitudes, mas nem sempre é assim. Há também por ai, muitos casos que não passam de desequilibrios emocionais, eu diria que 90% deles.

Egun na língua yorubá significa 'alma' ou 'espírito' de uma pessoa falecida. Egun tanto pode ser uma entidade de luz quanto um kiumba. Acontece que aqui no Brasil as pessoas acabaram utilizando essa palavra, especialmente no Candomblé e na Umbanda, para designar 'almas penadas', ou seja, espíritos desencarnados presos ao plano físico ou 'Ego' (personalidade transitória assumida na última reencarnação).

Na África, e em alguns pouquíssimos terreiros de Candomblé no Brasil (realizados em espaço separado daquele onde se cultuam os Orixás), existe o Culto aos Egungun, um culto prestado em homenagem aos ancestrais do povo e que geralmente foram iniciados nas religiões africanas. É um culto envolto em mistérios, pois muitos afirmam que esses espíritos se materializam diante dos fiéis, que podem apenas ser pessoas iniciadas no culto. Só que a entidade Egun, já é diferente de um desencarnado comum. Egun, já tem uma certa outorga no mundo espiritual, trata-se de um grau já em evolução. Quase um estágio.

O CULTO DOS EGUNS NO CANDOMBLÉ, que retrata o culto e fala sobre as Sociedades Gëlèdé e Egungun sendo a primeira o culto aos espiritos feminios e o segundo aos espiritos masculinos quando encarnados.
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Marcadores