Total de visualizações de página

Meus livros de Magia Astrológica no link

terça-feira, 14 de julho de 2009

Discernimento é sempre importante.


Há o conhecimento natural que um homem adquire no decorrer da sua vida, por experiências, estudos, leituras, convivência com outras pessoas, viagens, pesquisas, buscas constantes motivadas pela ânsia de saber. O dom da ciência é uma revelação sobrenatural de algum fato desconhecido e que Deus quer que o homem tome conhecimento, através do seu espírito, pela ação do Espírito Santo. Isso só pode acontecer pela ação do Espírito Santo.

Por experiencia propria, também posso afirmas que o homem descobre muita coisa por meio de orientações externas paranormais e sobrehumanas. Ou seja, ele pode sim ser auxiliado, por seres não encarnados. E eu tenho certeza que muitos dos avanços tecnologicos e cientificos que temos hoje foram revelados assim. Para constatarmos isso é só observar a historia de grandes homens e inventores que tiveram inspirações ou revelações por meio de sonhos e visões.

Eu mesmo ja passei por essa experiencia de orientações espirituais, mas acordado e muito consciente. Somente em um estado de alta concentração meditativa. Isso aconteceu em um tempo em que eu estava muito confuso e desorientado. Naquele tempo onde eu estava em busca de respostas fui muito feliz, pois todos os incentivos e auxilios como tambem as respostas foram constatadas e concretizadas com muito sucesso. No entanto cada caso é um caso e quase sempre quando buscamos respostas não encontramos, pois tudo tem um tempo determinado. Mesmo lendo as palavras de Cristo que nos disse "Buscai e o Pai responderá", sabemos na prapica que isso não ocorre a todos que buscam. Até mesmo os grandes sabios passam por duros momentos de meditações, jejuns e provações para receberem algum auxilio.

No entanto sabemos que sempre em todo historia vimos e ouvimos falar de "escolhidos" com dons especials (mediunidade) que tinham uma maior facilidade em se comunicar com esferas superiores e com seres iluminados, pois tinham um grande dom.

Este dom permite que a pessoa identifique fatos recentes, como cumprimento de profecias bíblicas antigas. Somente o conhecimento da Palavra de Deus, permitirá que a pessoa reconheça uma profecia e o seu cumprimento. Exemplos: • O jovem Samuel, foi chamado por Deus e recebeu uma palavra de conhecimento sobre o futuro da família do sacerdote Eli. I Samuel 3:1-14. • Mais tarde, Samuel recebeu a revelação de que Saul seria ungido rei de Israel, e que ele estava escondido entre as bagagens. I Samuel 9:15-16 e I Samuel 10:22. • O profeta Eliseu preveniu o rei de Israel para não seguir por determinado caminho, por onde o rei da Síria passaria. I Reis 6:8-12. • Eliseu prediz abundância de comida. II Reis 7:1. • Eliseu recebeu uma palavra sobre Geazi, seu ajudante, que desobedeceu recebendo presentes do general sírio. II Reis 5:25-26.

No entanto muitos tem esse dom, mas não conseguem desenvolver prudencia e discernimento muitos acabam perdendo o dom que tinham muitas vezes por cair em erros e pecados.

O dom de discernimento não se limita, apenas a discernir espíritos demoníacos no momento de uma possessão. Discernimento é a faculdade de perceber diferenças, distinguir entre a verdade e o erro e de julgar as coisas claramente. O discernimento será útil na seleção do que ouvimos, falamos, lemos, vemos. É uma questão de disciplina! É ter percepção para reconhecer falsos profetas, espíritos enganadores e distinguir e separar entre o sobrenatural da parte de Deus e da parte das trevas.

“Vede pois como ouvis”. Lucas 8:18a. “Se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus”. Tiago 1:5. “... todo homem seja pronto para ouvir, tardio para falar...”. Tiago 1:19b.
O discernimento, impedirá o desenvolvimento da raiz do mal, já cortada pela obra realizada na Cruz, mas arraigada na natureza humana. O discernimento favorecerá o crescimento espiritual, com a libertação dos desejos impuros da mente, da rebeldia e oposição à Palavra. “... tendo os sentidos exercitados para discernir tanto o bem como o mal”. Hebreus 5:14. “Se alguém tem ouvidos ouça... atendei ao que ides ouvir”. Marcos 4:23-24a.Existe uma relação entre o ouvir e o falar. Se alguém aceita tudo o que ouve, sem fazer uma seleção e sem distinguir a verdade da mentira, induzirá outros a crerem na mentira. O discernimento e a percepção, influenciarão nossas escolhas. É um dom essencial para a Igreja neste final de tempos. O conhecimento da Palavra de Deus é condição básica para o alcance e apuração da percepção e do discernimento. Este dom não pode ser confundido com perícia ou capacidade de analisar o caráter das pessoas, para descobrir falhas nos outros, isso até é proibido na Bíblia. “Não julgueis, para que não sejais julgados. Porque com o juízo com que julgardes sereis julgados...”. Mateus 7:1-2a.

A pessoa com discernimento está preparada para reconhecer a fonte de certas doutrinas, aparentemente bíblicas, mas que distorcem as Escrituras. Com isso o crente é livre do mal e pode ajudar a outros. Muitas vezes ouve-se pregações, depoimentos, entrevistas e até milagres enganosos, com aparência de autenticidade. A pessoa com discernimento, conhecerá a mentira oculta e ajudará a manter a pureza e a santidade.

“O Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios”. I Timóteo 4:1.

Esses demônios se aproveitam da ausência de dons para enganar a muitos. Uma pessoa fica vulnerável, se não houver a sabedoria e a aplicação da Palavra de Deus. Para tudo o que é verdadeiro, há sempre uma cópia falsificada. Faz parte da natureza humana copiar quando não pode criar. Isso acontece em todos os setores: na moda, na indústria, no comércio, nas artes, na música e também nos assuntos espirituais. Os demônios imitam os dons do Espírito.

O uso correto dos dons vai depender muito da nossa comunhão com Deus, porque o nosso espírito é dotado de faculdades que possibilitam a intimidade com Deus. A interrupção de um testemunho, ou até de um sermão contradizente com a Palavra, é zelo pela casa de Deus.

É correção e disciplinação necessárias ao amadurecimento da alma e o aperfeiçoamento dos dons. A pessoa sincera não se sentirá humilhada, mas aceitará a correção com dignidade para seu próprio crescimento espiritual diante de Deus e da Doutrina de Deus. A utilização prática do discernimento dará à pessoa condições de julgar e impedir o abuso e a usurpação dos dons.

Uma pessoa que diz ser usada por Deus e afirma que Deus falou quando Deus não falou, está usando sua mente ou está influenciada por sugestões malignas. Sem discernimento, muitos preferem acreditar na pessoa e duvidar de Deus. Isto tem conduzido muitas pessoas e Igrejas inteiras à incredulidade, ao abatimento e a duvidar da justiça de Deus. Tem sido causa de perturbação em muitos lugares. Tem feito muitos estragos em Igrejas, que preferem proibir os dons espirituais, do que discipliná-los.

O dom de discernimento tem que estar aliado ao temor a Deus e nunca ao temor humano. Temer a Deus é condição fundamental da fé cristã, temor humano é doença dos tímidos e dos fracos. Jesus não teve temor humano quando chicoteou os vendedores no Templo. Ele é o nosso modelo. Não teve nenhum respeito humano, quando o assunto era a limpeza do Templo. “E, entrando Jesus no Templo, começou a expulsar todos os que nele vendiam e compravam, dizendo-lhes:Está escrito: A minha Casa é Casa de oração, mas vós fizestes dela covil de salteadores”. Lucas 19:45. Ler Mateus 21:12-13; Marcos 11:15-16 e Romanos 10:1-7.

Apurando o discernimento: Os escritores bíblicos não se cansam de apresentar em seus escritos, tudo o que eles observaram e assimilaram sobre a natureza, compreendendo e transmitindo os ensinamentos para a vida prática. A expressão: “quem tem ouvidos ouça”, encontrada muitas vezes na Bíblia, significa: “apure seus ouvidos para entender o que está além do que você vê, ouve e sente”. O ruído das ondas, as marés, o mar revolto ou calmo, falam da soberania de Deus; o som do vento traz notícias sobre o tempo, relâmpagos, trovões, tornados, terremotos, falam da Justiça e do Juízo de Deus sobre a terra.

Parte Prática: Vejamos o legado deixado por alguns dos patriarcas bíblicos que observaram, no seu tempo de vida, e nos transmitiram: · Jó fala da águia, da avestruz, do corvo. Jó 38:41. Ao mesmo tempo diz que a avestruz não tem sabedoria. Jó 39:13-17. Ler todo o capítulo 39. · Salmos citam: pardal, mocho, pelicano e andorinha. Salmos 84:3 e 102:6-7. · Na caminhada do povo, no deserto, Deus providenciou uma: nuvem de dia como cobertura para o sol. Salmos 78:14. Ler Salmos 77:14-20. · E uma coluna de fogo para iluminar a noite. Salmos 105:39. · Deus preparou, para o seu povo durante sua peregrinação, um caminho no deserto, no mar e no rio, lugares onde não havia caminho. Salmos 107:40; Salmos 106:9; Salmos 78:13; Salmos 66:6. Ler Salmos 114. · Provérbios fala de quatro pequenos seres cheios de sabedoria: formiga, coelho, gafanhoto e aranha. Provérbios 30:24-28. · O livro de Cantares de Salomão menciona 15 espécies de animais e 21 espécies de plantas.

Muita confusão tem acontecido, não só na religião Cristã, mas no meio esoterico, espiritualista e em especial naqueles que usam e abusam de rituais, magias , como tambem comuniação com mortos ou espiritos de outras dimenções. Por isso o importante é ter sempre prudencia e nunca esquecer do discernimento.

Carlinhos Lima - Astrologo, Tarologo e Pesquisador.
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Marcadores