Total de visualizações de página

Meus livros de Magia Astrológica no link

terça-feira, 24 de junho de 2014

Amor, saúde, riqueza e sucesso: como atuam os Senhores do Destino na nossa vida

Amor, saúde, riqueza e sucesso: como atuam os Senhores do Destino na nossa vida
Amor, saúde, riqueza e sucesso: como atuam os Senhores do Destino na nossa vida

 Os Senhores do Destino e sua ação na vida do homem

Quando eu falo em "SENHORES DO DESTINO", como coloquei em meu primeiro livro de UMBANDA ASTROLÓGICA, ao tratar da busca do homem por si mesmo, por todos os mistérios que envolvem a vida e que estão ao seu redor, eu quis na verdade, colocar em discussão o que já existe desde sempre no meio filosófico, espiritualista, esotérico e religioso, que é o debate sobre até que ponto o homem é livre ou comandado por forças superiores.

E nesse debate, as religiões se debruçaram séculos em busca de uma conclusão. O aplicado Santo Agostinho, foi um dos grandes homens a se inclinar aos estudos dessas questões, como por exemplo, sobre a Astrologia, se os astros influenciavam ou não nossa vida. No entanto, sabemos bem, que a maioria das pessoas, que se prestaram a estudar tanto os prós, quanto os contras, sabemos bem a que na maior parte, tinha uma agenda oculta por trás deles, ou seja, no caso de Santo Agostinho, por exemplo, sabemos que ele tinha a pressão da Igreja, da sua fé e dos medos, desenvolvidos como estudante da teologia cristã. Dai se cria limites, preconceitos e nem sempre se vai a fundo nas questões, pois esbarra-se nos limites da religião. E geralmente isso ocorre em todas as vertentes, da mesma forma como temos livros do meio esotérico, que sabemos que as crenças dos autores, acabam influenciando. Por isso tentei o máximo ficar longe dos cultos, das religiões e desenvolver minha tese, o mais inspirado possível em meus próprios conhecimentos.

Estudos forjados com material de diversas vertentes, até mesmo as não religiosas, as materialistas e mesmo as da ciência. Mas, sabemos que quem escreve sobre conceitos como estes, não escreve pra cientistas, ateus ou materialistas, e sim pra quem se identifica com o assunto e busca o algo mais naquilo que lhe é latente na alma. Portanto escrevi pra espiritualistas, estudantes de magia, de Wicca, de Umbanda, de astrologia, de Candomblé, de Ifá, de Espiritismo e de um modo geral, de quem tenta entender sua ancestralidade. Porém, deixo, claro, meus conceitos a disposição de qualquer um que quiser debater, como por exemplo, sobre a tese de três forças atuantes sobre a vida, quando em nossa era por exemplo, há quem aceite apenas duas ou apenas uma. 

As forças que estou falando são o destino, o livre-arbítrio e o acaso. Que são as três forças que aceito como atuantes na vida dos seres vivos, gerenciadas por Deus e seus ministros. Porém tá cheio de filosofias, publicações e defensores de apenas duas, o destino e o livre-arbítrio. Como tem também os que acreditam apenas numa dessas duas, ou seja, tem os que acreditam no destino e os que acreditam apenas no poder da vontade ou do livre-arbítrio. 

Na filosofia de Umbanda Astrológica, após anos de estudos, a minha conclusão é que as 3 forças operam, ora juntas, ora contrapostas e ora uma dá espaço pra outra. Ou seja, há diversas ocasiões na existência e assim em certos momentos o livre-arbítrio prospera ou comanda, da mesma forma que em outros, o destino comanda, já em outros o acaso entra pra corrigir as coisas. Assim sabemos que tem partes da nossa existência que o destino impera, que não podem ser mudadas e que temos que simplesmente vivê-las e aceitá-las. Não escolhemos por exemplo, onde nascer, como nascer, qual será nosso DNA e mesmo ao longo da vida, não podemos decidir sobre o que acontece com o nosso organismo, apenas cuidar dele pra que certas coisas não aconteça com excesso.

Da mesma forma em muitos momentos o destino deixa que possamos decidir, ele sai pra que a nossa vontade apareça. E quando nem o destino impera e nem a nossa vontade foi capaz de cumprir o projeto, ai entra o acaso pra corrigir ou reformular as questões. Porém muitas pessoas, costumam escolher acreditar em apenas um ou outro. Nas redes sociais por exemplo, tá cheio de frases do tipo que diz "você consegue tudo o que quiser, basta querer..." e assim por diante. O que é um incentivo ao otimismo da pessoa, mas, ao mesmo tempo não condiz com a realidade. Na verdade cria ilusões. Tem pessoas que teimam a vida toda buscando um objetivo que tá na cara, mesmo pra quem não é místico, que jamais ela conseguirá, mas, com essa ilusão que todo mundo "consegue qualquer coisa", ela perde anos e anos da vida sem se mancar! Nós não nascemos pra ser tudo, pra ter tudo e com força pra conquistar tudo. 

Não é todo mundo que pode por exemplo, ser um campeão de MMA, mesmo que ela tome bomba, treine a vida toda, busque todo tipo de arte marcial. E assim em todo seguimento. Porém tem pessoas que por ver outra fazendo algo ela se ilude achando que poderá fazer o mesmo! E não é bem assim. E por isso temos profissionais ruins em todos os seguimentos, porque tá cheio de gente que tenta aquilo que é incapaz de desempenhar direito. Ou seja, as pessoas não se dão conta que há vocação e dom. Tem muita gente que se mente em ser algo e fazer algo, por vocação, mas, nem sempre isso basta. Da mesma forma que tem pessoas que tem dons e ignora-os, abdicando-se deles. Os profissionais de sucesso ou pessoas que tem uma vida de sucesso, são aquelas que fazem com vocação aliada aos dons. 

No entanto, acontece que muitos tem dons e teima em ignorá-los, gente que por exemplo, tem dom musical, artístico ou pra fazer coisas importantes, mas, que renega, busca fazer algo diferente, por preguiça ou por que não quer pagar o preço. Pois tudo tem um preço. E é por isso que tá cheio de pessoas insatisfeitas na vida, fazendo coisas que não gosta. Ao ponto que tá cheio de outras que acha que tá fazendo o que gosta, mas, também tá insatisfeita, porque não tem o dom pra desempenhar bem! As pessoas tem como maior problema a falta de semancol ou seja, seguem mais os instintos e não a consciência. Tem pessoas que até percebem que não tem futuro promissor numa area, mas, por teimosia, bate de frente e continua dando "murro em ponta de faca".

E isso acontece também no amor. Tá cheio de gente que passa a vida toda, lutando por um suposto amor, que não existe, em casamentos ou relacionamentos horóscopos que só trazem lágrimas, vergonha e dor, mas, ficam repetindo pra si mesmos "não vivo sem ele...". Ou seja, a falta de autoestima, de força e a grande teimosia, faz com que muitas pessoas passem a vida insistindo na espera de uma mudança que jamais acontecerá. E não acontecerá por dois motivos: primeiro porque ela escolheu errado, tá ali e com aquela pessoa, pelo mau uso do livre-arbítrio e contra o destino; E segundo, porque ela não tenta recomeçar.

Tem também as pessoas que caem em armadilhas, se deixam usar e se envolver por pessoas manipuladoras, são usadas e se acostumam por isso. Tá cheio por exemplo, de cunhadas, que ficam anos, transando com o cunhado, servindo de objeto sexual, mesmo sabendo que nunca vai dar em nada. Existem amantes que ficam uma vida inteira, esperando que a outra pessoa largue seu conjugue e venha em definitivo, o que quase sempre acontece o ontrário. Tem ainda os que colocam como meta conquistar alguém que não é pra ser seu e por essa cruzada pessoal insana, perdem uma vida inteira.

E assim sabemos que é a falta de ouvir seu Eu Interior, seus ancestrais, buscar entender seu destino e de que forma deve usar seu livre-arbítrio. Mas, isso é impossível não? Não, justamente por isso surgiram os magos, os mestres, os monges e tudo ligado a busca espiritual. Que muitos confundem com busca de poder, de manipulação de riqueza. Mas, que a principal busca é compreender a si mesmo, entender sua missão e achar seu caminho neste mundo. Se e quantos conseguem? Isso é difícil determinar, apenas digo que este é o caminho. A busca começa por ai, por tentar primeiro entender quem somos e depois pra onde devemos seguir. É uma busca longa e não como todos pensam que pagam por um mapa astrológico e vão ter a receita de sua vida. Tem gente que vai a uma consultoria achando que pagando cem reais, terão todo passado presente e futuro nas mãos, pra depois virar as costas e não voltar jamais! É um grave engano. As pessoas precisam de iniciação, de vigília constante e de focar a luz, usando a fé, a ritualística e o compromisso o tempo todo.

Quando falo em "Senhores do Destino", me refiro as forças Supremas que controlam o sistema, o Cosmos, partido da maior delas, que considero o Criador da vida e de tudo - Deus! E seus ministros, anjos, orixás, guias de luz e toda força ancestral de nosso planeta. E como eu disse, eles servem de juizes, avaliando a partir do livro da vida de cada um, da soma do consciente e inconsciente, pra ver onde atuam, se precisam atuar e de que forma o carma se desenrola.

A visão da Umbanda Astrológica é diferente em alguns aspectos da Umbanda Tradicional e do Candomblé. Por exemplo, os orixás não vistos como na maioria dos seguimentos afrobrasileiros, como simples espíritos, ancestrais ou forças que representam elementos e a natureza. Na Umbanda Astrológica, os orixás, também são vistos como forças de egrégoras e signos. Assim como os odús do Ifá. Ao mesmo tempo em que signos astrológicos ou do Ifá, não vistos apenas como casas e símbolos, mas, como tendo senhores responsáveis por aqueles portais e casas. Ou seja, há um mistério muito mais complexo do que as formas simplistas que muitos divulgam e confundem. Só que o ser humano tende a ter dois comportamentos radicais: ou são tradicionalistas e creem apenas naquilo que está pré-estabelicido por tradições que ele conhece e que por isso teima em não mudá-las ou contestá-las, e/ou, é anarquista, tentando mudar tudo radicalmente e descartar o que já está em vigência. Quando na verdade, temos que aceitar, acatar ou buscar reformular, com prudência, apenas aparando arestas, tentando entender e corrigir sem uma agressiva reformulação insensata.

Mas, os cultos afrobrasileiros causam tantos debates e  estigmas, pelo fato que ele é divulgado. Muita gente não pisa os pés num terreiro por exemplo, nem vai num jogo de Tarô ou de búzios, achando que indo lá tá indo falar com mortos, tá indo na macumba ou tá indo a um pacto! O que não tem nada a ver. Nem sempre ao falarmos de orixás, estaremos falando de espíritos, mas, de signo. Dizer por exemplo que uma pessoa é de Oxóssi, não quer dizer que ela vai incorporar um índio ou que tem caboclos na sua cola o tempo todo. Apenas quer dizer que ela tem a força dessa vibração que tem o signo ligado a terra, as florestas, a vida no meio ambiente e que é uma pessoa com características desse orixá. Temos que compreender que orixá, nem sempre é espírito ou entidade literal, mas, símbolo, signo e força ancestral.

Da mesma forma que, signos, não podem ser vistos apenas como símbolos pra serem lidos. Na visão de Umbanda Astrológica, e por isso a fusão empregada, vemos a força atuante de senhores de cada portal zodiacal, representantes dessa força e por isso a comparação ou cruzamento com os orixás. Assim como cruzamos cabalísticamente com anjos ou qualquer outras forças espirituais. Então quando falamos de Senhores do Destino, falamos por exemplo de Orumila, a Testemunha da Criação, que através dos signos de Ifá, a sua Coroa Astrológica, revela os segredos divinos ao homem. Pois o homem ao se ver em dúvida e sozinho, busca sempre o sagrado em busca de respostas.

Axé a todos e Shalom!

Leiam meu livro:

Compre o seu aqui

Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Marcadores