Total de visualizações de página

Meus livros de Magia Astrológica no link

domingo, 3 de janeiro de 2016

Astrofísica: De olho no céu - Conheça os eventos astronômicos imperdíveis de 2016

Astrofísica: De olho no céu - Conheça os eventos astronômicos imperdíveis de 2016
A Eta Aquáridas será a principal chuva de meteoros do ano. Em 2016, o ápice do fenômeno acontecerá no dia 7 de maio, a partir das 3h.

O trânsito de Mercúrio, a conjunção de planetas e a oposição de Marte estão entre os destaques


Se 2015 foi o ano de belas 'superluas' e chuvas de meteoros, 2016 será o ano de conjunções planetárias, do trânsito de Mercúrio e da oposição de Marte. "O grande destaque do ano será o relativamente raro trânsito de Mercúrio, em maio. No mesmo mês teremos também uma bela oposição de Marte, que só acontece a cada dois anos", disse Gustavo Rojas, astrônomo e físico da Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). Eclipses do Sol e da Lua não serão visíveis do Brasil, e apenas uma chuvas de meteoros, a Eta Aquarídeos, em 7 de maio, poderá ser observada.

Trânsito de Mercúrio

Na manhã de 9 de maio, o céu será palco de um raro fenômeno astronômico: o trânsito de Mercúrio, nome dado à passagem do planeta entre o Sol e a Terra. O evento, que acontece 13 vezes em um intervalo de 100 anos, é como se fosse um “eclipse”. No entanto, devido ao seu tamanho diminuto e à grande distância que está da Terra, Mercúrio poderá ser observado como uma pequena bola negra passando em frente do Sol, sem encobrir o grande astro. Em 2016, o fenômeno terá início às 8h08 e terminará às 15h36. “O trânsito só poderá ser observado usando instrumentos óticos (binóculos e telescópios) e tomando as precauções necessárias a toda observação solar: observar somente pelo método da projeção – binóculos ou telescópios – ou com filtros astronômicos especiais. Em hipótese alguma se deve utilizar materiais caseiros como chapas de raios-X, filmes velados, pois podem causar danos a visão do observador. Para observar, tomando as devidas precauções, deve-se olhar para o Sol: Mercúrio aparecerá como um pequeno disco se deslocando lentamente em frente ao Sol”, diz Gustavo Rojas, astrônomo e físico da Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR).

Conjunções planetárias

Durante as conjunções planetárias, dois ou mais corpos celestes aparentam estar muito próximos um do outro no céu. Em 2016, o destaque será para as aproximações de Vênus e Saturno, em 9 de janeiro, e de Vênus e Júpiter, em 27 de agosto, que poderão ser vistas de todo o país. Os planetas poderão ser vistos tanto a olho nu como com o uso de equipamentos (binóculos e telescópios). A conjunção de Vênus e Saturno acontece a partir das 4h até o amanhecer, na direção Leste do céu. Já a aproximação de Vênus e Júpiter terá início no entardecer e será visível até às 19h30.

Oposição de Marte

Na noite de 22 de maio, a Terra estará entre Marte e o Sol, o momento mais adequado para observar o planeta da superfície terrestre. O fenômeno, chamado de "oposição", pois é o instante em que Marte e o Sol estão em posições opostas, poderá ser visto em todos os Estados brasileiros, sem o auxílio de instrumentos. “Em 2016, Marte atingirá a melhor posição de observação desde 2005, quando ficará a 76 milhões de quilômetros da Terra e atingirá magnitude -2, mais brilhante que qualquer estrela no céu”, disse Rojas. Para observar um astro em oposição, deve-se olhar, no começo da noite, na direção Leste, onde o Sol nasce. O ponto mais brilhante será o planeta, que ficará visível durante toda a noite.

Chuva de meteoros Eta Aquarídeas

A principal chuva de meteoros de 2016 será a Eta Aquarídeas, que atingirá seu ápice em 7 de maio e poderá ser observada a olho nu de todo o país. O fenômeno está associado ao cometa 1P/Halley e é visível, anualmente, entre os dias 19 de abril e 28 de maio. “Deve-se olhar para a constelação de Aquário a partir das 3h, sendo que o melhor horário para a observação será cerca de uma hora antes do amanhecer”, diz Gustavo Rojas, astrônomo e físico da Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). Neste ano, a Geminídeas, que costuma ser a mais intensa chuva de meteoros anual, não poderá ser vista, pois será prejudicada pela iluminação da Lua Cheia.

Superluas

“Superlua" é o nome dado ao fenômeno em que a Lua parece estar maior e mais brilhante. Ele ocorre quando o perigeu lunar – ponto da órbita em que o satélite está o mais próximo possível da Terra – coincide com a fase cheia da Lua. Nesse momento, ela pode parecer até 14% maior e até 30% mais brilhante. Em 2016, o céu terá “superluas” nos dias 16 de agosto, 14 de novembro e 14 de dezembro.
Fonte/Veja
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Marcadores