Total de visualizações de página

A pombagira

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Desenvolvendo a Sexualidade com a Bombogira




Nada de sentimentos. Nada de compromissos. Se o objectivo da mulher é o orgasmo, basta despir a roupa, responder às carícias e deixar o corpo vibrar. Embora não seja um comportamento tipicamen- te feminino ter prazer pelo prazer, faz parte das fantasias de muitas mulheres.

Mas o mito do príncipe encantado não se destrói de um dia para o outro. “Um dia, encontrarás o grande amor”, dizem-nos. Com esta base, será difícil assumir os nossos desejos sem nos culpabilizarmos.

A maior parte das mulheres é mais sensível ao julgamento dos outros. Infelizmente, nesta sociedade, um homem que multiplica as conquistas é considerado um D. Juan, enquanto que uma mulher que faz o mesmo sujeita-se a insultos. Desprezo? Ciúme? Seja quais forem as razões, não é fácil ser alvo de más-línguas. MARIANA, estudante, com 22 anos, queixa-se: “Muitas vezes, desejo ir para a cama com um colega, sabendo de antemão que não haverá continuidade ou nada de sério entre ambos. No entanto, na altura de passar à prática, recuo. Naquela faculdade, os rumores cor-rem depressa. Assim, o prazer de algumas horas seria assombrado por críticas e rótulos de mau gosto.”

Uma diferença evidente entre o homem e a mulher situa-se a nível dos sentidos. Em relação ao homem é sobretudo visual, enquanto que a mulher funciona de uma maneira mais complexa: simultaneamente táctil, auditiva e olfactiva. Excitá-la é obra mais elaborada, sobretudo se ela revelar dificuldade em entregar-se por se sentir insegura nos sentimentos.

Ursula, de 26 anos, estudante de Sociologia, relata-nos as suas decepções: “A única vez que tentei uma relação puramente sexual, caí numa ejaculação precoce. Resulta-do: nenhum prazer e uma perda enorme de energia. Por isso, penso que as mulheres não estão programadas para aventuras sexuais, visto que não há garantia de prazer. Talvez lhe pareça radical, mas terei muita dificuldade em repetir outra proeza do género. Só acredito nessa possibilidade de viver praticando sexo, como diversão a pessoas vazias de sentimento, quase inclinada a vida de ninfomaniaca”

Qualquer mulher pode reivindicar o sexo pelo sexo, mas todas correm o risco de se apaixonar por aquele com quem vão para a cama. E os homens, tambem correm esse risco sim, visto que são mais propensos a confundir sexo com sentimentos. O problema de tudo tudo depende das pessoas: Algumas mudam de parceiro sexual com muita facilidade e têm dificuldade em se fixar afectivamente, enquanto outras procuram afeição e amor, julgando que apenas querem sexo.

ESTELA, viuva, com 35 anos, é um exemplo típico de quem confunde os dois objectivos: “Para me deitar com um homem, necessito de me sentir cúmplice e em harmonia intelectual. Assim, desde que tudo se passe bem na cama, todos os elementos se conjugam para me apaixonar, mesmo que a ideia inicial fosse outra. Escusado será dizer que as decepções são enormes, pois nem sempre eles estão na mesma onda.” Pelo seu lado, ESTELA, protege--se do afecto libertando o corpo: “Tenho um apetite sexual feroz. Se não o sacio, fico uma pilha de nervos durante dias. Necessito tanto de sexo como os homens. Mas atenção: escolho sempre um parceiro por quem não me possa apaixonar. Nada de confusões. Tento separar alhos e bugalhos.”
No seu livro Bien Vivre sa Sexualité, o psiquiatra François Poudat afirma que o mais importante é ser claro consigo próprio: definir antecipadamente as intenções e assumi-las plenamente. Mas qual é a solução para optimizar as oportunidades de ter prazer? Segundo o psiquiatra francês, “a partir do momento em que a mulher se deixa ir, o prazer vem atrás, desde que não lhe calhe um inábil”. E subli- nha a importância da confiança que permite a ambos serem testemu- nhas dessa grande intimidade que é o prazer.

Se o sexo é tão bom, porquê privar-se?
A resposta parece óbvia: porque nem toda a gente está à vontade com a moral, o corpo e os seus sentimentos. François Poudat expõe o seu ponto de vista: “Para bem viver uma relação puramente sexual é preciso agir com intenções positivas e amantes, e não ter a impressão de se comprometer ou de se sujar. Além disso, há que agir por vontade intrínseca e não para entrar na norma, ou seja, para ser igual aos outros.”

Na opinião de François Poudat, não existem situações perfeitas, mas centenas de compromissos. Cabe a cada um de nós encontrar aquele que nos convém. AUXILIAR AS PESSOAS A DESENVOLVEREM A SUA SEXUALIDADE, CONTROLAR OS DESEJOS E ASSUMIR SEUS SENTIMENTOS, É O PAPEL DA BOMBOGIRA DE LUZ E ENTENDER ESSE PAPEL É O PRIMEIRO PAPEL DE EVOLUÇÃO HUMANA. NA ASTROLOGIA OBSERVAMOS O PONTO DE LILITH NO MAPA E AS LUAS NOVAS ALÉM DOS ASPECTOS DESAFIADORES, ASSIM COMO A POSIÇÃO DE MARTE E PLUTÃO.
MAS DEVEMOS FICAR ATENTOS, POIS QUEM NÃO SE HARMONIZA COM POMBAGIRA AUMENTA OS BLOQUEIOS, TRAUMAS E TORNA-SE INFELIZ.

O que nos distingue. Em termos de sexualidade, existem diferenças fundamentais entre o homem e a mulher.

• O homem tem uma sexualidade baseada na eficácia, indo direito ao ansiado fim • A mulher mostra-se mais sensível ao ambiente e ao afecto • Partindo deste princípio, defendido pelo psiquiatra François Poudat no seu livro Bien Vivre sa Sexualité, as mulheres terão menos tendência para multiplicar as conquistas, visto que o desejo nem sempre vem à baila.

Carlinhos Lima - Pesquisas.

Magia em movimento constante


MUITA GENTE PENSA QUE A MAGIA NÃO MUDA E MUITOS SE DIZEM MAGOS, SÓ PORQUE CONHECEM ALGUNS CONCEITOS ENSINADOS POR ALGUNS ESCRITORES. NO ENTANTO A MAGIA É UMA MANIFESTAÇÃO DE ENERGIAS E COMO TUDO É MUTAVEL. CADA EPOCA TEM UMA FORMA DE MAGIA DIFERENTE.

UM ENCANTAMENTO FEITO POR MOISES NO TEMPO DOS FARAÓS SENDO REPETIDA HOJE JÁ TERÁ UM EFEITO DIFERENTE. É POR ISSO QUE AS MAGIAS PREGADAS NA UMBANDA TEM AÇÕES DIFERENTES DEPENDENDO DE QUE AS EVOCA, DE ONDE SE EVOCA E QUE ELEMENTOS SÃO USADOS. OU SEJA MESMO QUE TUDO SEJA REPETIDO CORRETAMENTE, ELA NÃO FUNCIONARÁ DA MESMA FORMA. POR ISSO QUEM QUER DESMANCHAR UM FEITIÇO E DIZ QUE TRAZ ISSO OU AQUILO EM DIAS CONTADOS MENTE.

PARA SE QUEBRAR UM FEITIÇO A NECESSIDADE DE SE USAR OS ELEMENTOS COMPATIVEIS PARA TAL E NÃO SÓ FICAR ESPERANDO PELOS GUIAS PARA DESFAZE-LOS. UM FEITIÇO FEITO POR UM HUMANO SÓ PODERÁ SER QUEBRADO POR OUTRO HUMANO QUE TENHA FORÇA PARA TAL. É POR CAUSA DA DEMAGOGIA QUE A UMBANDA ESTÁ TÃO DESMORALIZADA.

OUTRA COISA IMPORTANTE É SE RESPEITAR AS FORÇAS COSMICAS, OS ELEMENTOS E AS CONFIGURAÇOES ASTROLOGICAS. POR EXEMPLO: UMA MAGIA DE AMOR NÃO PODE SER FEITA NUMA QUADRATURA DE MARTE COM SATURNO, OU NUM ASPECTO DESAFIADOR DE VENUS COM SATURNO, ETC.

A PRUDENCIA É UMA LEI FUNDAMENTAL PARA SE USAR QUALQUER TIPO DE MAGIA. OUTRA COISA FUNDAMENTAL É QUE O MAGO RESPEITE PROFUNDAMENTE A NATUREZA E A HIERARQUIA ESPIRITUAL.

CARLINHOS LIMA - ASTROLOGO, TAROLOGO E PESQUISADOR.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Marcadores