Total de visualizações de página

A pombagira

Meus livros de Magia Astrológica no link

domingo, 14 de novembro de 2010

O espiritualismo é para todos!



A Umbanda é um sistema religioso fundamentalmente naturista, isto é, se manifesta através das
forças da natureza, assim como com espíritos contemporâneos, ou não, pesando expressivamente
em seu exercício as vibrações das Almas.

A Umbanda é um sistema religioso fundamentalmente naturista, isto é, se manifesta através das forças da natureza, assim como com espíritos contemporâneos, ou não, pesando expressivamente
em seu exercício as vibrações das Almas. A Umbanda possui muitas co-irmãs e as pessoas muitas vezes confundem-na com outras religiões que possuem nomenclaturas semelhantes às utilizadas na Umbanda, no entanto a semelhança é meramente aparente e termina aí. O fato da Umbanda ter como uma de suas raízes a forte influência africanista e cultuar Orixás, gera muita confusão e sobressai a necessidade de apontar limites bem claros.

Na verdade se você observar bem os cultos de Umbanda ou Candomblé, verá uma forte semelhança com as festas de povos mulçumanos ou islãmicos. Perceberá tambem que a crença de cultuar Oxalá na Sexta-feira vem do mesmo conceito de cultuar Alá no mesmo dia. Verá tambem que astrológicamente não há nesse dia nenhuma ligação com a vibração de Oxalá, e que é apenas uma influencia de varios paises africanos que são mulçumanos na religião.

E da mesma forma o esoterismo existente nessas religiões que hoje conhecemos aqui como "afro-brasileiras", na verdade vem de uma origem muito distante. A incorporação e espiritualidade não é restrita a povos primitivos da Africa, ou ao Espiritismo de Kardec, mas, vem desde a origem do homem. Além disso que observar profundamente verá que não existem apenas orixás negros, pais velhos apenas como pretos velhos, mas, de todas as raças! Isso gera entre os radicais, muitas criticas, mas, o certo é que a espiritualidade é divera, ampla e pra todos!

Carlinhos Lima - Astrologo, Tarologo e Mago de Umbanda Astrológica

Ervas de Exu I

Amendoeira: Seus galhos são usados nos locais em que o homem exerce suas actividades lucrativas. Na medicina caseira, seus frutos são comestíveis, porém em grandes quantidades causam diarreia de sangue. Das sementes fabrica-se o óleo de amêndoas, muito usado para fazer sabonetes por ter efeitos emolientes, além de amaciar a pele.


Amoreira: Planta que armazena fluidos negativos e os solta ao entardecer; é usada pelos sacerdotes no culto a Eguns. Na medicina caseira, é usada para debelar as inflamações da boca e garganta.
Angelim – amargoso: Muito usado em marcenaria, por tratar-se de madeira de lei. Nos rituais, suas folhas e flores são utilizadas nos abô dos filhos de Nanã, e as cascas são utilizadas em banhos fortes com a finalidade de destruir os fluidos negativos que possa haver, realizando um excelente descarrego nos filhos de Exu. A medicina caseira indica o pó de suas sementes contra vermes. Mas cuidado! Deve ser usada em doses pequenas.

Arrebenta Cavalo: No uso ritualístico esta erva é empregada em banhos fortes do pescoço para baixo, em hora aberta. É também usado em magias para atrair simpatia. Não é usada na medicina caseira.
Arruda: Planta aromática usada nos rituais porque Exu a indica contra maus fluidos e olho-grande. Suas folhas miúdas são aplicadas nos bori, banhos de limpeza ou descarrego, o que é fácil de perceber, pois se o ambiente estiver realmente carregado a arruda morre. Ela é também usada como amuleto para proteger do mau-olhado. Seu uso restringe-se à Umbanda. Em seu uso caseiro é aplicada contra a verminose e reumatismos, além de seu sumo curar feridas.
Avelós – Figueira-do-diabo: Seu uso se restringe a purificação das pedras do orixá antes de serem levadas ao assentamento; é usada socada. A medicina caseira indica esta erva para combater úlceras e resolver tumores.
Azevinho: Muito utilizada na magia branca ou negra, ela é empregada nos pactos com entidades. Não é usada na medicina popular.

A Aroeira

Denegrir imagens que é diabolico.

[1553002743_14ad0e9d61.jpg]
Infelizmente vemos hoje seitas sensacionalistas, fazendo programas na TV denegrindo a imagem das pessoas. Vemos, hipocritas acusando pessoas famosas em especial artistas, dizendo que estes fizeram pactos com o Diabo, pra ganhar dinheiro e fala. Mas, podem ter certeza que se estes mesmos artistas começarem a pagar o dizimo deles tudo isso será retirado.

Na verdade pacto com o Diabo tem quem vive denegrindo a imagem dos outros estorquindo as pessoas e usando da boa fé dos necessitados, pra ter poder e conforto. Como disse Jesus: "Estes já ganharam seu galardão na Terra". Saiba que andar gritando o nome de Jesus aos quatro cantos não voga nada, pois nos disse o Mestre: "nem todos que dizem senhor, senhor, entrará no Reino dos Céus". Tambem entre os Dez Mandamentos temos um que é muito interessante e importante, o qual diz: "Não chamar o santo nome de Deus em vão". Ai eu encaixo o sábio ditado Popular: "Quem muito reza chinga a Deus!".

Não é só porque se paga Dizimos que pode se declarar santo ou que tenha a admiração do Senhor. Aliás, o Dizimo foi criado para o Templo do Senhor e não pra qualquer picareta que monta uma seita e começa a estorquir as pessoas.

Em todos os tempos as pessoas que tinham visões diferentes e crenças diferentes foram criticadas e tiveram sua imagem denegrida, tanto por ivenja, quanto por sectarismos. Imagine o que não enfrentou os Faraós do Egito quando estavam fazendo as piramides! É logico que todos obedeciam porque ele era o Rei, mas, por suas costas, certamente muitos o chamavam de louco. Até porque nunca existiu ninguem na face da Terra que tenha sido unanimidade em aprovação.

As pessoas que usam a Biblia pra denigrir os outros, na verdade usam as Escrituras a serviço do Antecristo, pois, o lema dele é dividir para governar. Já o lema do Senhor Jesus e todos os Magos Brancos do Astral Superior é unir para libertar. E assim cada um monta sua Seita, compra seus bens materias e se acha no direito de denegrir os outros. Mas, quem garante que a riqueza deles tenham vindo mesmo de Deus? Bem, a Biblia nos fala que riqueza e pobreza vem das mãos do Senhor. Então porque as riquezas dos artistas viriam do Diabo? E só a dos intolerantes religiosos viriam de Deus? Sabemos que aquele que usa a boa fé do povo pra enriquecer está muito mais apto a enriquecimentos ilicitos e não quem enriquece com sua arte e talento. Na verdadade caros irmãos temos que ficar atentos com estes lobos em pele de cordeiros.

Não é porque uma pessoa faça ou use um pentagrama que ela seja diaboliaca. Veja que Salomão com toda sua sabedoria usou diversos simbolos. Afinal a bandeira de Israel não carrega um Hexagrama que na Umbanda é o simbolo de Xangô, enquanto o Pentagrama é a força de Yorima. E assim por diante. Dessa forma sabemos que temos entre os orixas, entidades que se recionam a bençãos de riqueza e prosperidade, como Oxossi, Oxum e Oxumaré. E se apegar ao axé desses orixás está muito longe de ser obra demoniaca.
Axé a Todos.

Carlinhos Lima - Astrologo, Tarologo e Pesquisador.

A Essencia Espiritual

[relampagos_raios_tarde.jpg]
A essência é uma energia que existe bem no centro do nosso peito. E que precisa de ser alimentada. Porque se não a alimentarmos, essa energia vai enfraquecendo, vai definhando, e nós acabamos por ficar completamente desenergizados. E como fazer para alimentar a nossa essência? Exercendo o Ser que somos.

Fazendo as nossas escolhas de acordo com quem somos na realidade, e não segundo o que os outros julgam que nós somos. Se seguirmos o que sentimos e não deixarmos que os outros nos influenciem nas nossas opções, estaremos a Ser, estaremos a exercer o nosso Ser. E ao seguir o caminho da nossa energia, estaremos a alimentar a nossa essência, que assim poderá crescer e expandir-se energeticamente. Porque a essência é a única parte do nosso ser que, se alimentada, tem a capacidade de começar a emanar luz.

Se a pessoa não tem a essência fortalecida, ela não emana luz. É a nossa essência que emana luz por nós. Nós fomos educados pela sociedade para termos objectivos na vida. Dizem-nos sempre que devemos ter metas na vida, que temos de fazer o possível e o impossível para alcançar o que queremos…Mas a realidade é que nós não devemos ter objectivos, não devemos ter metas, se estes vierem fora de nós, fora da nossa essência. Neste caminho espiritual já percebemos que os objectivos exteriores normalmente são uma grande armadilha do ego.

O ego procura sempre objectivos consoante as emoções de que fugimos e evitamos, pois são exactamente essas as que mais nos magoam e das quais temos mais medo. O ego vai tapar o sol com a peneira desse medo. Por isso, vamos tentar ter um objectivo, sim, trabalhar nele, mas um objectivo espiritual ou emocional. Se o objectivo espiritual ou emocional for paz interior e tranquilidade, na realidade tudo o que fizermos a partir de agora será de acordo com essa perspectiva, com essa ligação ao nosso mundo interior.

Vamos focar toda a nossa vida em encontrar essa paz e essa serenidade. Esse é o objectivo. E não, como acontece ainda com a maior parte das pessoas, continuar atrás de objectivos como o grande carro, o grande casamento, o grande emprego, a grande casa… tudo isso é fora de nós, tudo é ego, no fundo só para tapar a falta de paz interior. Que dispensa quaisquer intermediários e quaisquer bens materiais. O homem pode ter várias dimensões: a mental, a emocional, a material, a energética. Mas só uma o faz Ser para além do infinito.

A espiritual.Muitos de nós passamos a vida preocupados em tentar mudar ou melhorar o mundo, mas porque é que não nos preocupamos antes em resolver a reacção que temos ao mundo? A questão não deveria ser tornar o mundo melhor, porque o mundo é dual, é feito de contrários, todos temos um lado bom e um lado mau. E quando queremos acabar com tudo o que há de mal no mundo estamos a querer alterar a ordem do Universo. Porque o mundo tem de ter aquela parte negativa, como contraponto do Bem, e para que todos façamos a nossa experiência na matéria.

Se conseguirmos viver a nossa vida mantendo-nos positivos e não deixarmos a negatividade do mundo contagiar-nos, o que é que vai acontecer? Deixamos de ter tantas emoções mal resolvidas ou por resolver e assim conseguimos evitar o acumular de karmas, nesta e noutras vidas. Por isso, faço-vos uma proposta – olhem para a vossa vida e observem a vossa reacção às coisas, ao mundo. Ninguém pode controlar o que o outro faz, mas podemos controlar a nossa reacção ao que o outro faz. E como é que vocês reagem? Conseguem levar na positiva? Deixam deprimir-se? Ou vão deixar o vosso filtro apanhar tudo como se fosse dirigido a vocês em particular? Quando Ele diz que o mundo é negativo e que tudo isto gira em volta da nossa capacidade de não entrar nessa negatividade, no fundo trata-se de não nos deixarmos contagiar por essa negatividade.

Se nós estivermos espiritualmente resolvidos, se soubermos processar as emoções, iremos ter os filtros mais ou menos tranquilos, e quando algo for negativo, assistimos mas não deixamos a negatividade entrar em nós. Porque quando a deixamos entrar e ficamos densos, vamos ganhar karma com as nossas emoções mal resolvidas… e vamos mesmo ter de voltar cá mais vezes até as resolvermos. Como Jesus explica “As experiências na matéria terão que ser vivenciadas, mas o que realmente conta cá em cima não é o que se vive e sim como é que se vive.”Na Era de Peixes, todas as nossas decisões eram tomadas em função do medo, medo do pecado, medo de ser castigado, medo de errar.

Os 10 mandamentos ou os sete pecados acabavam por, através do medo, ditar as nossas escolhas. Era preciso agir correctamente para a nossa consciência não ser julgada e condenada a partir do medo. Se eu agir assim vou ser mau, se eu pensar desta maneira sou uma má pessoa...

Na Era de Aquário estamos a fazer a mesma coisa mas em função do karma. Eu não faço isto porque me vai trazer mau karma, eu não penso aquilo porque vou criar mais karma. Ou seja estamos a fazer o mesmo erro. Estamos a deixar-nos limitar novamente por uma condicionante Se... se... ou se..., com a agravante de que agora em vez de 7 pecados ou 10 mandamentos temos uma infinidade de acções que se traduzem em karma.

Nunca agimos em função de nós próprios, da nossa essência, das nossas escolhas mais íntimas. O que fazer então para não cair em nenhuma destas condicionantes limitativas? Destes “ses”? Conectarmo-nos à energia do Céu, que nos devolve a plenitude do nosso Ser, e agirmos em função dessas escolhas. As escolhas da essência do nosso Ser. É preciso ter a coragem de assumirmos quem nós somos. Se nos conectarmos à energia do céu encontramos o nosso Ser tal como ele é. Quando optamos em função da nossa essência mais íntima, da conexão com a plenitude do nosso Ser, não podemos errar.

Podemos agir em consciência, através do que sentimos, não do que racionalizamos. E agiremos sempre bem. “Porque no caminho do Ser não há erro. Tudo é evolução”, diz Ele.

Carlinhos Lima - Astrologo, Tarologo e Pesquisador.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Marcadores