Total de visualizações de página

A pombagira

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Tarô e o portal do Arcano 2 - Beth

Em oposição ao primeiro Arcano que corresponde a Essência, a Substância ou Binário pode ser coagulado até ao estado material. O conceito substância pode ser entendido como princípio da matéria. Essa " Divina Materia" é o primeiro oposto do Espirito, sua primeira limitação no Mundo do não Eu.

Sua correspondencia astrológica é a ( Selene- Lua cheia; Diana- Lua crescente; Hécate- Lua minguante; Lilith- Lua negra). No plano do ser humano, os opostos caracteristica do Arcano 2, aparecem sob forma de Adão e Eva.

No plano da Natureza correspondem ao princípio receptivo, formativo, gestante dos processos vitais do mundo orgánico. A lâmina do primeiro Arcano apresentava o jogo de Energias, o domínio das ideias, sem acentuar contornos materiais. Na lâmina 2 tudo é bem claro, bem determinado. O Arcano da Papisa abrange tudo o que se encontra exteriorizado além do Eu. O mundo do número é contraposto o mundo do fenómeno.

Arcano 9 : " Lux Oculta" - Grande Arcano da Magia



Teth de valor numérico 9 tem a sua correspondencia zodiacal no signo de . O Sol, planeta regente de Leão indica a natureza solar, ativa, da iniciação com forte cobertura dos Mestres Ancestrais, pela força criadora também de Oxalá. A lanterna presente na imágem da lâmina 9 é cúbica.
As três chamas da lanterna indicam a iniciação nos três planos (Mental, Astral, Físico).

As chamas representam aquilo que simboliza a letra Shin (Mate). O manto do velho com as suas dobras revela o isolamento nesses mesmos planos. O bastão sinal de prudência tem três nós (em algumas representações) que evidenciem o triplo apoio, e daí o primeiro título do Arcano: "Protectores"

A idade avançada do peregrino demonstra de que somente o homem que superou a tempestade das paixões, a busca da felizidade pessoal e as ambições terrestes pode dedicar-se aos aspectos inerentes do Arcano. O indivíduo (1) que age de forma equilibrada no meio ambiente segundo a lei natural (8) torna-se sábio 9.

A substância (Binários) manejada (neutralizados) pelo vencedor (de si mesmo) = 9 Hermes Mercurio,T, com movimento, do elemento Ar e da criação da vida de Yori. A Metafísica ou Ciência da Criação (3) é colocada antes da escolha do caminho a seguir (6) = 9 Mago Branco/ Mago Negro. Os magos negros agem por cima da luz cubica que há neste poderoso arcano quando ele tá fluindo pela energia mais densa geralmente ligada ao passado, de Saturno e Yorimá. Aliás, esse é o papel de Yorimá nesse portal, o de fazer com que as pessoas se libertem e aprendam a filtrar o que há de bom em seus caminhos.

Elevar-se do plano elementar (Mundo Físico) (4) ao plano astral (Mundo Éspiritual) (5) leva à Iniciação 9. Para só depois, girar a roda do destino no portal 10.

Desvendando o vigésimo portal do Tarô

Arcano20

A Natureza naturante (1) transmuta os Minerais (19) causando transformação na crosta terreste (20). A existencia da polaridade (2) e a presença de perigos astrais (16) obriga a defesa por meio da transformação 20. A compreensão do Ternário da Criação ou Evolução (3) e a Esperança (17) explica a nossa atração para o Alto 20.

A adaptação elementar (4) e a destruição (16) são elementos da transformação da Natureza 20.
O pentagrama (5) que domina os mistérios de Baphomet (15) transforma o astrosoma 20. A religião natural (5) e a compreensão do Karma (15) fazem nos aceitar as mudanças na Natureza 20.

A consciencia do lívre arbítro (6) e a harmonia interna (14) provam a transformação astral 20. A vitória sobre si mesmo (7) no fim da encarnação (13) garante o aperfeiçoamento do astrosoma 20. A lei imutável do Karma (8) no plano zodiacal (12) condena o ser humano a contínuas transformações 20.

A força moral (11) e a iniciação (9) transformam o astrosoma 20. Uma Cabala (10) interna em resposta à Cabala externa (10), transforma o astrosoma 20.

O portal 18 do Tarô

Arcano 18
A essencia divina (1) e a Esperança determinem a existençia da lei hierárquica (18). O Homem (1) intuitivo e imaginativo (17) percebe claramente os perigos astrais (18). A substância metafísica (2) e a técnica de exclusão lógica (16) determinam a constituição da Hierarquia (18).

A criatividade da Natureza (3) e a lei do karma (15) = 18 perigos físicos. Os processos de formação (4) e Dedução (14) = Hierarquia 18. O Homem pragmático (5) sujeito as leis da morte (13) = 18 Enfeitiçamento.

A lei da analogia (6) e a roda zodiacal (12) faz nos admitir a Lei da Hierarquia 18. Uma agressão astral (18) acontece quando um conhecedor de si mesmo (7) utiliza a sua e a força e a da corrente (11) para obter fins pessoais. As condicionantes de uma vida ética (8) e o conhecimento da Cabala (10) geram domínio sobre o encantamento 18. Um Mestre (9) e um Discípulo (9) = 18

Compreendendo o 13º arcano do Tarô - a Morte

Uma passagem dos ensinamentos da Escola Esoterica de São Petersburgo relativamente ao 13º Arcano.

..." O processo da morte, ou seja o nascimento para o astral leva, para um homem adulto, cerca de 48 horas. Todavia, durante este tempo e tb ao longo dos 10 até 40 dias que se seguem, o "morto" deve passar por muitas experiencias e adaptar-se a inúmeras condições novas.
De início, isto é, no periodo que se segue imediatamente à agonia, o defunto experimenta as dificuldades da separação do seu astral.

Estas dificuldades são tanto maiores quanto menos ele aprendeu, durante sua encarnação, a separar através da meditação, o seu interno do invólucro físico que o continha. O sofrimento neste estágio tem o carácter de uma penosa separação daquilo que a pessoa se acostumou a considerar como o mais real em toda a sua existência.

Durante o mencionado periódo, desmorna-se o complicado edifício das ilusões que lhe eram caras. Quando se houver familiarizado com tal desmornamento e aceito a inevitabilidade da passagem ao mundo de novas experiências, o "defunto" começa a sentir o desconforto dessa mudança. Antes de tudo, tem que enfrentar as formas astrais dos elementais.

Aí vem a divisão da atividade do astrosoma em atividade do "Ruash" (Alma) e a atividade do "Nephesh" (Fantasma). Este tem por tarefa a devolução dos componentes do antigo corpo físico aos elementos da Natureza ou, em outras palavras, a tarefa de decomposição progressiva desse corpo. O "Ruash" deve analisar os clichês criados, tanto por impressões vitais recebidas (elemento-), como por impulsos ativos (elemento+) de sua personalidade, durante a encarnação recém acabada.

Quando essa análise é concluida, a alma (Ruash) passa a estudar os clichês das correntes planetárias que poderiam, em encarnações futuras, corrigir os erros de suas encarnações passadas e contribuir para a formação de um ser mais aperfeiçoado..."


« Última Edição: 08.11.2007 às 16:07 [UT] por michels »
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Marcadores