Total de visualizações de página

A pombagira

Meus livros de Magia Astrológica no link

sábado, 27 de novembro de 2010

Ser livre é bom, mas, tudo tem limites e a prudência é boa



Não acredito ter uma relação direta entre os programas de TV, os outdoors, e as revistas escancaradas nas bancas de revistas mostrando a nudez total e cenas de sexo explícito com a idade cada vez mais precoce com que nossos filhos iniciam sua atividade sexual sem o devido preparo, e sem maturidade para serem pais ou mães, nem preparo para morrerem precocemente de AIDS. Nem os pais estão preparados para isso tudo.

No mundo primitivo, no qual viviam nossos irmãos neandertais, ainda não se usavam roupas, mas apenas peles de animais por cima do corpo, isso nas regiões frias. Antes disso as pessoas andavam nuas. Mas não havia o sentido de erotismo que há hoje. Um homem não ficava ansioso para ver um seio à mostra, nem uma mulher ficava eufórica quando via regiões mais íntimas dos homens. Tudo isso era comum, era cotidiano, era natural, como entre os índios.

A fêmea neandertal já era fértil aos doze ou treze anos de idade, e engravidava possivelmente uma vez por ano, sem ter muitas vezes um pai único para seu filho, pois ainda não havia o casamento como hoje conhecemos e chamamos de monogâmico. E a maioria de seus filhos não sobrevivia. Poucos, alías, chegavam aos 50 anos. E isso era excepcional, e o homem de 50 anos.

A expectativa de vida do Homem de Neandertal, por exemplo, o conhecido homem das cavernas, que surgiu por volta de 200 mil anos atrás e desapareceu por completo há mais ou menos 50 mil anos, era de cerca de 20 anos de idade. É a idade com que alguns jovens hoje entram na faculdade. Eles viviam em geral muito pouco. Morriam de várias doenças e atacados por animais ferozes. Não havia medicamentos, médicos, nem hospitais. Um ferimento não costurado era capaz de causar uma hemorragia incontida e levar à morte.

Hoje, são raras as mulheres que se casam antes dos 20 anos. E a tendência, principalmente das que fazem faculdade, é de se casarem lá pelos 30 anos ou mais.Na antiguidade, e até a Idade Média, ainda era comum as meninas se casarem com quatorze ou quinze anos. E com o passar do tempo a idade foi aumentando, à medida que a expectativa de vida também aumentava.Todavia, mesmo com o aumento da expectativa de vida do ser humano, e da elevação da idade para o casamento, no Ocidente as pessoas iniciam a vida sexual cada vez mais jovem, muitas vezes com 12, 13 ou 14 anos apenas. Alguma coisa está fora do rumo nessa estória.

Hoje, as pernas e seios estão à mostra sem limites. Os músculos dos homens são cada vez mais exibidos. As emissoras de TV competem na apresentação de novelas e filmes cada vez mais erotizados, e em horários cada vez mais cedo. E transmitem novelas cheias de erotismo e atividade sexual infanto-juvenil até no final da tarde no Brasil, sem absolutamente qualquer controle ou freio disso. Tudo parece, em princípio, bom, normal, natural. Mas não nos demos conta de que a nudez foi aumentando tanto até chegar aos biquínis minúsculos, que nada mais tapam das nádegas das mulheres, e na frente só tapam mesmo a micro região do sexo, e as sungas de algumas décadas atrás deixavam entrever o volume dos membros dos homens, tudo despertando cada vez mais o sentido erótico do corpo e despertando o desejo sexual.

Se alguém critica, dizem que é contra a democracia, contra a liberdade de expressão. E assim, sem nenhuma censura, seja prévia, seja após a realização e transmissão de material incompatível com o horário de exibição, nos tornamos reféns das emissoras de TV, que podem impor para nós e nossos filhos o que bem entenderem. Tudo o que querem é apenas a “audiência” maior, pois isso lhes dará mais e mais dinheiro. Tudo, no final, para os encarnados que dominam a mídia, se resume a dinheiro. Nós somos apenas consumidores, a lhes darem dinheiro. Nada mais do que isso.

É difícil as pessoas serem bombardeadas diariamente com propaganda erótica e não se deixarem inconscientemente levar pela onda erótica. Simplesmente entram na onda, sem perceber, e ficam presos a ela, sem conseguirem sair, e muitos se afogam em meio a tanto sexo fácil que acaba decorrendo da propaganda erótica planejada nas trevas, na calada da noite, e que envolve quase todos.

Hoje o banquete do sexo está aí para todos. Só não se deleita quem não quer. Só não se lambusa se não quiser.

Crianças usadas por pedófilos, pedofilia incontrolável na internet, gravidez precoce, desarmonia familiar, adultérios incontidos e destruidores causando tantas e tantas separações, mesmo daqueles que se amam de verdade, mas que se deixam arrastar pela onda, pelo Tsunami do sexo e do erotismo...Fazem apologia do sexo livre, antes chamado inicialmente de amor livre, na era hippie, e também da normalidade do adultério. Tudo hoje parece ser permitido e normal. Essa é a ideia que os planejadores lançaram na humanidade, e engolimos direitinho, sem reclamar, e com o maior prazer.

Com o passar do tempo, chegando o século XX, mais precisamente no meado do século, teve início a revolução sexual, a revolução feminista, e as pessoas passaram a tirar mais as roupas, as mulheres abondonaram o sultien, passaram a usar saias cada vez mais curtas, e os homens passaram a usar também calções curtos, deixando à mostra partes do corpo há tanto tempo escondidas. É claro que hoje vemos as coisas de modo um pouco diferente. O sexo também contribui para aumentar os laços afetivos, amorosos, unir os casais, fazer brotar o amor...Todavia, mesmo com o aumento da expectativa de vida do ser humano, e da elevação da idade para o casamento, no Ocidente as pessoas iniciam a vida sexual cada vez mais jovem, muitas vezes com 12, 13 ou 14 anos apenas. Alguma coisa está fora do rumo nessa estória.

As inteligências malignas do mundo espiritual vêm planejando isso há muitas e muitas décadas, pacientemente, até que conseguiram dominar o mundo Ocidental quase que inteiramente, com a propaganda erótica ostensiva.Quando vejo, hoje em dia, matérias na televisão sobre gravidez na adolescência, AIDS, abortos e separações, fico a pensar no processo de erotização que todos nós temos sofrido há muito tempo. Na Índia, e em países árabes, como o Egito, o índice de AIDS e abortos é bem menor por lá. Sem falar que não há tantas adolescentes grávidas, nem pais precoces e despreparados para educar seus filhos.

“ Em Beltane o Grande Rito é realizado e possui um significado muito mais especial nesse Sabbat, pois representa o Casamento sagrado, a União Sexual da Deusa e do Deus que sustentará a Terra, dando uma colheita farta e abundante para todos nós nos meses vindouros. O Grande Rito é ralizado simbolicamente, quando o Athame (símbolo fálico) é mergulhado no Cálice (símbolo do ventre da Deusa). Na Europa Antiga, as pessoas celebravam Beltane unindo-se sexualmente em meio aos bosques. Todas as crianças concebidas por meio dessas uniões eram consideradas “bem-aventuradas” e filhos da Deusa e do Deus. Essas uniões em meio às árvores era um ato de Magia simpática e todos acreditavam que tinha um efeito positivo nos reinos animal, vegetal e humano.”

Percebemos que a busca pelo sexo, o prazer e a magia através dele e da liberdade, já fazem parte da vida do homem há muito tempo, mas, na nossa época, a prudencia em nossos atos se faz cada vez mais necessária. O melhor filtro é o amor! Com ele atrairemos o prazer verdadeiro, que só se revela no sexo com amor!

O simbolismo do taro aliado a intuição.

[tarot.jpg]
O TARO NOS TEMPLOS EGÍPCIOS Em seu "Essay upon the Astronomical Tarot" Oswald Wirth refere-se à sua origem assim: "De acordo com Christian (Histoire de la Magie) os vinte e dois arcanos maiores do Taro, representam pinturas hieroglíficas que foram encontradas nos espaços entre as colunas de uma galeria, onde os neófitos deviam passar nas iniciações egípcias. Haviam 12 colunas ao norte e 12 colunas ao sul, ou seja, onze figuras simbólicas de cada lado. Estas figuras eram explicadas ao candidato em ordem regular, e elas continham as regras e os princípios da iniciação. Esta opinião é confirmada pela correspondência que existe entre os arcanos quando eles são desta forma arranjados." Na galeria do Templo, as figuras eram arranjadas em pares, uma oposta à outra, de tal modo que a última era oposta à primeira; a penúltima à segunda, e assim por diante.

Quando as cartas são colocadas, encontramos uma significação interessante e profunda. Desta forma a mente encontra a unidade a partir da dualidade, o monismo à partir do dualismo, o que podemos chamar da unificação da dualidade. Uma carta explica a outra e cada par mostra mais do que cada uma de per si. Assim, por exemplo, os arcanos X e XIII (Vida e Morte) significam em conjunto uma certa unidade, uma condição complementar que não pode ser concebida pelo processo mental normal e imperfeito.

Pensamos em Vida e Morte como dois opostos antagônicos um ao outro, mas, se pensarmos mais longe, veremos que cada um depende do outro para existir e nenhum dos dois pode existir separadamente. Ao pensarmos nessa dualidade, aqui nos vem a cabeça a idéia de pensamento positivo que tem em contrapartida, o pensamento negativo. Então se não houvesse meios externos de combater o pensamento negativo sendo esta força de poder grandioso estaremos escravizados pra sempre. Pois se dizem por ai que o pensamento é a maior força do Universo, como poderíamos nós simples mortais controla-lo.

Na verdade o pensamento é sim uma força muito poderosa, mas, ta longe de ser a maior força do universo, pois as criaturas nunca poderão ter mais poder que seu criador. A maior força do universo é o amor. Assim temos a seguinte organização para os 22 Arcanos Maiores, de acordo com esta concepção: O CAMINHO DA INICIAÇÃO DISPOSIÇÃO DOS ARCANOS MAIORES NUM TEMPLO EGÍPCIOOS 22 CAMINHOS E OS ARCANOS MAIORES: "Eis a chave religiosa e cabalística dos Taros, expressa em versos técnicos à maneira dos antigos legisladores" - (Eliphas Levi - Dogma e Ritual da Alta Magia):
1 - Aleph - Tudo mostra uma causa inteligente, ativa.
2 - Beith - O número dá prova da unidade viva.
3 - Ghimel - Nada pode limitar aquele que tudo contem.
4 - Daleth - Só, antes de qualquer princípio, está presente em toda parte.
5 - He - Como é o único senhor, é o único adorável.
6 - Vau - Revela aos corações puros seus belos dogmas.
7 - Zain - Mas é preciso um só chefe às obras da fé.
8 - Cheth - É por isso que só temos um altar, uma lei.
9 - Teth - E nunca o Eterno mudará sua base.
10 - Iod - Dos céus e dos nossos dias regula cada fase
11 - Caph - Rico em misericórdia e enérgico no punir
12 - Lamed - Promete a seu povo um rei no porvir
13 - Mem - O túmulo é a passagem para a terra nova, só a morte acaba, a vida é eterna.
14 - Nun - O bom anjo é aquele que acalma e tempera
15 - Samech - O mau é o espírito de orgulho e cólera
16 - Ain - Deus manda no raio e governa no fogo
17 - Phe - Vésper e seu orvalho obedecem a Deus
18 - Tzadi - Coloca sobre nossas torres a lua como sentinela
19 - Quph - O seu sol é a fonte em tudo que se renova
20 Resh - O seu sopro faz germinar o pó dos túmulos0ou
21 - Shin - Aonde os mortais sem freios descem em multidão 0u
22 - Thav - Sua coroa cobriu o propiciatório A ÁRVORE DA VIDA E OS ARCANOS MENORES
1 - KETHER- Os quatro ases: A coroa de Deus tem quatro florões
2 - HOKMAH - Os quatro dois: A sua sabedoria se espalha e forma quatro rios
3 - BINAH - Os quatro três: De sua inteligência dá quatro provas
4 - CHESED - Os quatro quatro: Da sua misericórdia há quatro benefícios
5 - GVURAH - Os quatro cinco: O seu rigor quatro vezes pune quatro erros.
6 - TIPHERETH - Os quatro seis: Por quatro raios puros sua beleza se revela
7 - NETZAH- Os quatro sete: Celebremos quatro vezes a sua vitória eterna
8 - HOD - Os quatro oito: Quatro vezes triunfa na sua eternidade
9 - YESOD - Os quatro nove: Por quatro fundamentos seu trono é suportado
10 - MALKHUTH - Seu único reino é quatro vezes o mesmo. E conforme os florões do divino diadema. ... Vê-se por esse arranjo tão simples, o sentido cabalístico de cada lâmina. Assim por exemplo, o cinco de paus significa rigorosamente Gvurah de Iod, isto é Justiça do Criador ou cólera do homem; o sete de copas significa vitória da misericórdia ou vitória da mulher; oito de espadas significa conflito ou equilíbrio eterno, e assim às outras.

Assim podemos compreender como faziam os antigos pontífices para fazer este oráculo; as lâminas lançadas à sorte davam sempre um sentido cabalístico novo, mais rigorosamente verdadeiro na sua combinação, unicamente a qual era fortuita; e, como, a fé dos antigos nada dava ao acaso, eles liam as respostas da Providência nos oráculos do Taro, que eram chamados Theraph ou Theraphins entre os hebreus, como o pressentiu primeiramente o sábio cabalista Gaffarel, um dos magos habituais do cardeal Rechelieu.

No entanto, volto a dizer, que não devemos seguir os ensinamentos de mestres, pra sempre, mas, apenas toma-los como bases, e desenvolver nossos métodos pessoais. Na verdade o taro e os arcanos devem fluir em nós.

Carlos Lima – Tarólogo e Astrólogo. Hoje em dia as pessoas sentem um grande vazio na alma. A grande maioria, vive desnorteada, com a impressão de sempre estar faltando algo em suas vidas. Isso acontece, na maioria das vezes, porque a pessoa se tranca ou vivem fazendo o que os outros querem que elas façam. Dê um basta nisso tudo, busque uma atividade que lhe traga prazer.

Não é dificil encontrar pessoas que se formam, depois de passar anos estudando, mas, que ao completarem os estudos, veem logo que não é bem aquilo que queriam. Muitas pessoas, tem na alma uma inclinação para a espiritualidade, o esoterismo e a astrologia. Mas, por preconceito, má informação e influencias de pessoas mal intencionadas, acabam não buscando saciar suas necessidades. E por isso sofrem não se realizam, nem se harmonizam.

O Tarô por exemplo, é um oraculo maravilhoso, que ja mudou a vida de muitas pessoas, dando a elas mais estabilidade e compreensão de si mesmo. Se você ja identificou interesse por esse mundo maravilhoso do Tarô, faça um curso, garanto que você não vai se arrepender! Mas, deve procurar pessoas serias, competentes e habilidosas.
[19081.jpg]
Carlinhos Lima - Astrologo, Tarologo e Pesquisador.

Iniciação e intuição são necessarias no Tarô.

[FOT20080623201823.jpg]
Tenho visto ultimamente, alguns tarologos famosos afirmarem que pra se jogar tarô não é preciso nenhum dom mediunico. Isso além de ser ridiculo é longe de ser verdade. Pessoas ceticas que não tem nenhum dom pode até não cairem em achismos e seguirem corretamente o simbolismo das cartas, mas, nunca terão sensibilidade pra decifrar os segredos ocultos das cartas. Além do mais, o tarologo e o tarô tem que se tornar um só na hora da concentração em consuta em tem que fazer parte daquela cena apresentada pelos arcanos, porque senão ele nunca vai conseguir decifrar.

O Arcano XV, por exemplo, é explicado por tarologos famosos, cheios de curriculo, fama e marketing, como um simples simbolo dos desejos humanos e que não tem nada de mistico ou externo neste naipe. Errado! Os Arcanos são sim simbolismos ocultos que represenam variaves coisas. Vejam que variadas crenças acreditam no poder das mandalas e da mesma forma o simbolismo dos naipes, captam as energias inconscientes das pessoas.

O arcano 15 não simboliza apenas os desejos em usos mais ocultos e magisticos ele representa sim uma entidade maligna literal e sobrehumana. Não é a toa que a figura nos mostra um ser horroroso prendendo pessoas por uma corda. O autor quando criou essa carta, quis sim falar dos desejos que prendem o homem na cegueira espiritual, mas, mentalizou o ser que atiça tudo isso e que foi a causa da queda e do pecado de nossos Ancestrais.

Se não tiver o dom, pode dormir e acordar com o taro na mão que nunca passara de um simples estudioso. É por isso que tem muita gente de dinheiro com vasta biblioteca, muitos cursos, nome na midia comprando espaço e escrevendo livros, mas, que não consegue levar nenhuma mensagem significativa as pessoas que querem evoluir. Dai eles partem pra essa onda da moda dizendo que o poder é mental e não espiritual; Que tudo o que se refere a mediunidade é achismo e que o estudo está acima de tudo. Errado! Todos os grandes mestres e profetas formam escolhidos e não se oferecem por vontade propria. Todo buscador na verdade, sente um chamado e quem entrar em cursinhos pra aprender o taro sem ter dom, só vai jogar o dinheiro fora e ficar mais confuso.

Se uma consulta só com intuição é precaria, só com conhecimento simbolico é ridicula. Pois só vai deixar o consulente mais confuso. Afinal o taro, com todo seu simbolismo não é pra estimular a intuição? Pois que eu saiba advinhação não existe! Então qual a utilidade dos simbolos. Vai querer convencer a gente com essa babozeira de mentalismo e misturar psicologia com Tarô!? Como poderia se ajudar uma noiva que quer casar e vem pedir orientação sobre o noivo? Dizendo que o Arcano que saiu mostra que ele é confiavel só por que sua simbologia mostra uma pessoa "positiva"? Isso nunca vai funcionar sem intuição, pois é por meio dela que se lê as cartas sim.

Essa historia de olhar o taro como um alfabeto pode dar certo se a intuição do estudioso fluir bem, pois do contrario ele ira formar palavras contraditorias. Não se sabe de nenhum tarologo que tenha se destacado sem envolvimento com o lado da espiritualidade e do esoterismo. E quem nega isso ta na verdade mentindo, só quer ludibriar as pessoas com seus cursinhos, sem deixar que elas evoluam, pra não tomar seus lugares. Ai vem com essa historia de "metodos classicos".

Essas 78 cartas não estão ali aleatoriamente. Elas têm uma estrutura simbólica que fala de todas as probabilidades da vida humana, tudo que pode ocorrer, decisões, acertos ou desacertos. A estrutura do tarô é como se fosse um diagrama da vida, um mapa. Mas, mesmo assim tendo sido esquematizado, pra que os buscadores possam aprender os metodos dos mestres, tem que ser um escolhido e se for iniciado, terá muito mais desenvolvimento como interprete dos simbolos.

Se você fizer isso, vai acontecer aquilo, se você fizer aquilo outro, acontece outra coisa. Quando você abre um tarô, vai vir uma carta dentro dessa seqüência estrutural e se tem a exata idéia de que ponto da trajetória você se encontra naquela situação. Por exemplo, se você vai comprar um carro, o tarô pode indicar se você está em um momento apenas da sua vontade, num momento de estar realmente concretizando, ou prestes a fazer uma compra errada porque está muito afoito. É claro que pra se interpretar as cartas tem sim que conhecer os metodos e não podemos negar isso, até mesmo os grandes iniciados como Moisés, tiveram seus treinamentos. Mas, sem serem escolhidos pelo Astral Superior e sem a divida proteção e cobertura, não se vai muito longe. A não sem quer sabe usar de sensacionalismo, demagogia e embrulhe.

Existem grupos de cartas que estabelecem isso. O que é mágico é a escolha das cartas. Como a pessoa escolhe uma carta, virada, sem ela ver, de acordo com o que ela deseja.Tanto faz ela escolher olhando ou não cada símbolo, o resultado vai ser o mesmo. A mágica é a pessoa inconscientemente escolher exatamente o símbolo que ela está vivendo. Pois assim que se revela o segredo, por que forças astrais guiam os buscadores neste momento, sem a intervenção do Astral não se revela nada. É por isso que tem pessoas que se torna inviavel fazer qualquer previsão.

Todo o tipo de sistema oracular funciona com ou sem as pessoas presentes. Senão, negaríamos inclusive os princípios espirituais, de você se conectar com Deus, receber uma intuição, poder se conectar com a divindade. Independente de a pessoa querer, ou sequer estar presente, a resposta sai. O tarô não lê o seu cérebro, mas, estamos todos ligados por energias cosmicas que nos conectam a todas as esferas e a todas as dimensões, quando nossa mediunidade flui.

Atraves da interpretação dos simbolos aliados a simbologia o tarlogo lê o registro espiritual, aquilo que está no seu campo áurico. O seu corpo físico é a condensação, é o resultado das suas camadas áuricas. Quando você lê o tarô, você não está lendo o corpo físico da pessoa, você está lendo o que está à volta dela, conectado com todo o universo. A pessoa se conecta com seu eu interior e solicita uma mensagem. O sistema é aleatório.

Terapia com o tarô é conversar com o cliente, saber o que está se passando, ou, a partir do jogo, escolher determinadas cartas e determinados símbolos para ele meditar e visualizar. O símbolo do tarô é usado para ver o que o paciente está precisando complementar na sua psiqué. E pra isso não é preciso só se conhecer simbolos, mas, tambem ter intuição e saber usar a metodologia certa.

Se você lê o que significa o Mago, vê que é início, vontade, desejo. A interpretação do significado da carta é o mesmo em qualquer tarô. Mas, como saber de que forma ele vibra, sem ter uma forte intuição? Eu vejo muitos tarologos se perdendo na pergunta, porque querem seguir os manuais.

Existe tambem uma corrente de tarologos almofadinhas, querendo tirar o brilho do Tarô Egipicio dizendo que o taro é um oraculo novo, que não tem nenhuma ligação com o Egito. Isso além de ridiculo é irritante. O taro não pode ser comparado com lendas, ele tem sim um passado distante, e não nasceu de simbologismos feitos por sensacionalistas. Antoine Court de Gebelin, em 1785, que criou essa história sobre a origem do tarô no Egito. Mas, na verdade ele só tava tendo um insgt, porque o que não tem fundamento logo morre no esquecimento. O grande sonho dele era descobrir os hieróglifos egípcios. Em uma visita que ele fez a uma cartomante, ao olhar as cartas ele imaginou que ali estavam os símbolos do Egito preservados. Foi ele quem traduziu a palavra tarô como “caminho da vida”. Vendeu essa idéia e todo mundo comprou, pois ele era um mitólogo e um lingüista muito renomado. Isso sim é intuição e revelação. Ao contrario de muitos escritores sensacionalistas que querem tirar o brilho do taro, pra continuarem ganhando dinheiro as custas da boa fé dos buscadores.

A tradução que ele fez do tarô pode até ser errada, porque ele falou sobre uma origem errada. É tudo errado, mas caiu na mística do povo porque no fundo ele teve a revelação de uma profunda ligação que o tarô tem com o Egito. O mais antigo e preservado que existe é de 1540, de Marcolini, que fez, na Itália, um manual de como jogar os arcanos. Quem ou como foi feita essa transição, não se sabe. Isso porque, são revelaçoes que pesquisadores ceticos nunca encontrarão a resposta, porque são conhecimentos velados.

Nos registros que se tem sobre o tarô, fica claro que começou como jogo. Aproximadamente 100, 150 anos depois, surgiram os primeiros tratados sobre cartomancia. Mas, isso não quer dizer que o verdadeiro taro, em sua origem tivesse esse formato, nem que tivesse esse nome. Na verdade eles eram grafados em pedra e não em papel.

Só a partir de Gebelin é que o tarô realmente entrou no circuito esotérico e todos os ocultistas passam a estudá-lo. Obviamente, quem desenhou o tarô conhecia as ciências ocultas, era uma pessoa iluminada, um grande espiritualista. Mas demorou mais de 500 anos para ele ser aceito e incorporado. Não porque não tivesse valor ou fundamento, mas, porque o novo ou que faz sentido para nossa evolução sempre tem barreiras e oposições pra ser aceito. Uma dessas barreiras no campo da evolução foi a Igreja que sempre quis disimar novas filosofias importantes. Chega de simplismos. O taro e muito maior do que o que se pensa e metodologia apenas não basta.
[tarot.png]
Carlos Lima - Tarologo.
Postado por Umbanda-Astrologic
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Marcadores