Total de visualizações de página

Meus livros de Magia Astrológica no link

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Tenha proteção psiquica



O poder da ação psíquica O poder da ação psíquica pode até ser uma condição inata, mas a força de vontade só se adquire e se aprimora na negação sistemática e voluntária de seus desejos pessoais prementes.


Para se entender os aspectos do poder da ação psíquica, há de considerar os seguintes aspectos: O Espírito, que é imortal, tem como atributos: A consciência que é a eterna percepção de si mesmo;A inteligência que é o conhecimento da Divindade;A vontade que é o "livre arbítrio" do uso destes dois outros atributos precedentes. Portanto, a vontade ou a sua potencialidade é um atributo do Espírito e não da mente que é mero instrumento pela qual a vontade é exercida. Sendo um poder de ação psíquica, para agir no plano astral e físico, a força de vontade precisa de um veículo e um suporte.


No Plano Astral, seu veículo é o Aura e no Plano Físico é a Bio-energia.
Quando se atua com a Magia, interagem quatro tipos principais de energias, derivadas da Energia Criadora, que movimenta o ciclo da vida. São elas: A Energia MentalA Energia Sutíl ElementarA Energia MagnéticaA Energia Vital A Energia Vital é o produto da interação das Energias Sutíl e Magnética, diria, metabolizadas em todos os seres vivos.


É esta Energia Vital que o indívuo, quando age com a Magia, que veicula por seu Aura, direcionando-a através do seu poder de ação psíquica, utilizando como suporte elementos materiais capazes de agir como irradiadores ou fixadores de forças sutis elementares, pondo-as assim em movimento em seus trabalhos de projeção ou atração, fixação ou desagregação.


Mas como funciona? - Sabemos que o ser humano , num conceito mais místico e superior ao expresso pelo pentagrama, é magisticamente Septenário. Isto já havia sido pressentido pelos egípcios há mais de seis mil anos, cujo feixe de sete princípios são interligados pelo nome. Apenas para conhecimento, a nominação desses princípios, que variam entre os vários segmentos filo-religiosos, são: Espírito ImortalA MenteCorpo MatrizCorpo CausalCorpo AstralCorpo FísicoAura O Espírito é imortal, mas pode estar obnubilado, quer dizer obscurecido, pelo Corpo Matriz, obcecado pelo Corpo Causal e, muitas vezes, prisioneiro por pesado resgate kármico, em um Corpo Mental e Físico deficiente.


A Mente, o Corpo Matriz e o Corpo Causal têm intensa relação entre si, bem como em conjunto com o Corpo Astral.


As relações entre o Corpo Astral e o Corpo Físico se processam através do Aura, que é o produto da transformação e acumulação, efetuada pelo Corpo Físico, da Força Sutíl com a qual ela tem afinidade vibracional. Entretanto, o fenômeno astral do Aura é duplo: interno e externo.


O primeiro, bem conhecido pelos espiritualistas, é o Aura Externo, produto da transformação e acumulação da Força Sutíl Cósmica, conduzida com Prâna e captada pela respiração, transformada no núcleo de radiação Astral, permedando e exsudando do Corpo Físico, condensando-se à sua volta e estabelecendo contato entre ele e o Corpo Astral.


Condensando-se em torno do corpo físico, forma um escudo de defesa que visa protegê-lo da atuação de outros corpos astrais que não o seu próprio ou aqueles autorizados e harmonizados pelo processo do desenvolvimento mediúnico.


Portanto, o Aura Externo é reagente, mas para tal necessita estar em prefeita sintonia vibracional com a Vibração Original do Orixá, que presidia o momento em que o Corpo Físico sorveu o primeiro hausto de vida em seus pulmões. Seu enfraquecimento permite a atuação de Corpos Astrais não harmonizados, que vulgarmente são chamados de "encostos" ou "obsessores". Sua preservação e dinamização são obtidas por rituais com banhos de ervas, com banhos com essências afins e com defumações, que têm a prioridade de repor os fluidos astrais e bio-elétricos que o núcleo de radiação astral necessita para transformar o Prâna e acumular o Aura.


No caso do Aura Interno, pouco conhecido, é o produto da transformação e acumulação da Energia Magnética, que emana da Terra, captada pelos Núcleos de Radiação dos pés, transformada no Corpo Astral e nele se acumulando.


Assim, a soma dos dois resulta em um "Corpo de Ação" e num reservatório de força cinética, capas de ser utilizada pelo Espírito, em projeções efetuadas pela sua Mente e direcionada pela Vontade. Com esta força cinética é possível formarem-se clichês astrais, bem como projetá-los pela Força de Vontade sobre o Mundo Físico e o Mundo Astral, veiculadas pela bio-energia.


O Aura Interno é sobretudo o agente e a alavanda propulsora para se utilizar na movimentação de "forças sutís", num efeito de contato e impacto.


Se enfraquecimento é a causa principal de violentos "choques de retorno" visto o indivíduo não ser suficientemente forte e capaz para agir e reagir contra as forças contrárias deletérias, pois a Magia não é um passatempo ou distração inócua: A Magia é um "campo de batalhas", com vencedores e vencidos.


Sua preservação e dinamização são obtidas por rituais destinados a evocar, fixar e irradiar as "Forças Sutís" da Vibração Original do Orixá afim ao indivíduo e as Entidades Espirituais protetoras.


Estes rituais, apresentam características diferentes: os relativos aos indivíduo e aos relativos às Entidades Espirituais. Ao indivíduo Todo e qualquer preparativo pessoal (amacis, guias de proteção, banhos, etc.), bem como a Saudação ao Anjo de Guarda, deve corresponder às afinidades vibratórias, decorrentes do momento de seu nascimento; À Entidade Espiritual Todos os rituais místicos, preceitos ritualísticos, banhos, amacis de consagração, etc, devem obedecer à correspondência vibratória da entidade protetora.


MAS AS ENTIDADES NÃO PODEM NOS PROTEGER SOZINHAS SEM QUE DEMOS NOSSA CONTRIBUIÇÃO POR ISSO TEMOS QUE ESTÁ SEMPRE EMPENHADOS EM EVOLUIR E NOS PREPARANDO.

Carlinhos Lima - Pesquisas.
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Marcadores