Total de visualizações de página

Meus livros de Magia Astrológica no link

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Tenha autoestima, seja original e não se humilhe pela atenção ou amor de ninguem

Uma palavra que todos tentam se desviar é rejeição. E de alguma forma, sejam pobres ou ricos, feios ou bonitos, todo mundo passará por ela ao longo de sua vida. Algumas pessoas convivem com ela até demais, são rejeitados por natureza! Grande parte por ter a estima baixa e outra parte, por ter uma encarnação muito difícil. Também, tem os que só tomam atitudes erradas e só vivem correndo atrás de quem não merece. Tem também aquelas pessoas que só querem companhia das pessoas maluquinhas, que fazem, aprontam e acontecem. E assim muitos acabam perdendo a própria essência para ser simplesmente uma sombra dos outros. Muitos nem crescem, continuam infantis pro resto da vida, ou na barra da saia da mamãe, sem assumir seus reais compromissos e identidade original...

Mas, quando encontrarmos esse tipo de gente, o melhor é que também nos afastemos delas, pois loucura pega! E se elas querem nos rejeitar, não nos humilhemos, rejeitemos elas primeiro... E não é uma questão de vingança ou cisma, é que o melhor é manter nossa integridade e autoestima que pegar alucinações de quem só quer viver de baderna.

Se alguma dessas pessoas ignora tua amizade, tuas mensagens, teu carinho e não tá nem ai pra seu olhar, seus elogios, sua atenção, simplesmente esqueça, pois ela só merece a si mesma e as amizades loucas que certamente deve ter, pois esse tipo de gente apenas vai onde outros loucos vão...

O amor se oferece, mas, com limites do bom senso. Amor não é humilhação, misericórdia não é obsessão, amizade não se joga no lixo e atenção só devemos dar a quem merece ou faz por merecer nossa atenção. Se alguém não te da o devido valor, te ignora, não te responde e faz de conta que você é um zero a esquerda, faça o mesmo com ela...

Se mesmo você dando atenção, elogios, amor e carinho, a pessoa prefere rejeitar sua companhia, deixe-la seguir seu caminho. Geralmente pessoas egoístas só procuram amigos humildes, quando precisam de favores...

"A adversidade é um trampolim para a maturidade." C.C. Colton 
 "A alegria é o segredo da beleza. Sem entusiasmo não há beleza que seja atraente." Christian Dior 
 "A alegria que nos falta, não raro, é a alegria que negamos aos outros." 

"A humildade de coração não exige que te humilhes. Mas que te abras. É o segredo das permutas. Somente então poderás dar e receber." S. Exupéry 
 "A pior verdade custa apenas um grande desgosto. A melhor mentira custa muitos pequenos desgostos e, no fim, um desgosto grande" Jacinto Benavente
 "A verdadeira riqueza de um homem é o bem que ele faz neste mundo." Maomé 

"As horas que precedem a vitória são com freqüência as mais difíceis."
 "A amargura dos nossos inimigos serve-nos bem mais que a doçura dos nossos amigos: Os inimigos dizem sempre a verdade; os amigos não." Catão 
 "A arte de viver consiste em tirar o maior bem do maior mal." Machado de Assis "A beleza é uma carta de recomendação a curto prazo." Ninon Lenclos 
 "A benevolência gera amizade; a verdade, o ódio." Terêncio 

Muitos vão querer interferir nas suas escolhas, que são só suas, você é o dono do caminho que quer seguir, você decide se vira a direita ou se vai pela esquerda, é claro que quando se está em grupo as ideias podem se misturar, se entrelaçar, mas você nunca poderá interferir nas escolhas dos outros, por que assim como você, elas também tem escolhas, entretanto temos que viver juntos e ao mesmo tempo separado, alguns vão interpretar como desapego outros porém vão enxergar qualidade de vida. Se sentir que está ficando difícil demais a vida te ensinará algo com isso, se achar que está fácil demais a vida também te dará uma resposta, nada é tão ruim e nada pode ser tão bom, o bom mesmo é tentar equilibrar o que acontece de bom com o que acontece de ruim, por que você estará nos dois lados e conhecerá os dois caminhos, em momentos ruins saberá como se erguer ou não, em momentos bons saberá curtir ao máximo, sempre esteja preparado para as duas ocasiões, e é claro lutar sempre por que a vida é uma guerra! O mundo é um lugar em que você terá várias escolhas, acho que todo mundo já conseguiu observar isso ou algum dia vai poder observar, de escolha em escolha nós vamos criando o nosso próprio mundo, os nossos objetivos de vida, claro que isso terá um preço e uma palavra sempre te acompanhará. 

Tenha sempre um momento para refletir na vida, um momento só seu, medite na vida, ore, suplique, tenha fé, a obra sem fé está morta, portanto faça obras, leve uma palavra amiga para quem precisa, fique triste com a tristeza de outros, se preocupe com as pessoas mas não se torne escravos delas, saiba reconhecer quando alguém precisa realmente de ajuda, entenda o problema do outro mas não se envolva com o problema, observe de longe, fique por perto mas nunca se envolva, ajude sem querer ajudar.

O desamor traz a amargura e com ela um desejo inconteste de querer que o Outro pague pelo mal que lhe fez. É como se uma vingança surda ecoasse lá dentro e você a escondesse de todo mundo. Todo mal-amado reage assim com relação a um amor não correspondido. Você tenta embotar um lado que todo ser humano tem. A linha é muito tênue entre bem e mal. Ele vai se dar mal não porque você quer. Você não tem tanto dom assim. Ele (ela) vai rolar como as pedras porque, simplesmente, será mais um, entre tantos, a amargar a lei do retorno. Semeou vai colher de acordo com o que plantou. Pura constatação. Pode até levar um tempinho, mas o retorno acontece. Às vezes até mais rápido do que você possa imaginar. Tire de si a culpa. A força do seu pensamento não chega a tanto. Ele (ela) vai pagar porque o universo sempre conspira a favor daqueles que fazem o bem. Amou e recebeu em troca o desamor. Essa conta vai ser paga por alguém que, lógico, não será você.

Agora, não adianta dar um basta, dar um não ao Outro se você não está realmente fortalecido (a). Se não tiver um grande preparo psicológico, nos primeiros dias a recaída vem. Aí tudo volta a ser como era antes. Talvez ainda pior: você fortalece o poder de domínio do Outro sobre você e torna-se cada vez mais refém do desamor. Quando você começa a tomar consciência de todas as maldades que o Outro fez, começa a se recuperar. Começa a se descobrir, começa a se amar.

Você deixa de enxergar o lado colorido do mundo e os olhos parecem ganhar uma venda. Você só enxerga a vida do Outro. A sua é deixada de lado, fica à margem. Você esquece de si. Uma das primeiras coisas que passam a fazer parte da rotina de um mal-amado é a ausência de prazer. É como se você vivesse por viver levado (a) apenas pelo tempo. E se o Outro sumisse, desaparecesse de uma vez por todas. Parar de sofrer. É tudo que se quer quando se está vivendo o desamor. É como se você fosse o (a) diferente no universo. Você se acha bonzinho (boazinha) demais, faz tudo o que o Outro quer, faz tudo para agradá-lo, faz tudo para ter a aprovação dele (dela). Deixa se levar na estrada da ilusão que o Outro trilha para você. Ele promete e você espera. Espera que ele (ela) mude. Mas a mudança não chega nunca.

Desamor tem tudo a ver com perdão. Perdoando você se liberta e se reconstroi. Exige uma tomada de consciência e um longo tempo. O tempo necessário para você ser mais você. Quando se descobre o desamor é porque está na hora de tentar descobrir qual a próxima lição a ser aprendida. A vida está precisando de bons alunos. Não adianta cobrir o Outro com ouro, insenso e mirra. Ele não vai entender a linguagem do amor. Não se preparou para compreendê-la e interpretá-la. Esteve acenando o tempo todo com a luz cinza do desamor. Você que não conseguiu decifrá-la. Ele (ela) nem sabe o que é mirra. Faltou ao Outro preparo espiritual, psicológico e afetivo. Principalmente. Você insistiu nesse vazio que se prenunciou bem antes e que agora tomou todos os espaços.

Como na relação a dois, o desamor pode estar ao seu redor desde muito tempo. Você que só percebeu neste exato momento. Tomou o pé na bunda sem fazer nenhum esforço para amar a si mesmo. Você é o amor da sua própria vida. Desamor também exige um exercício de espiritualidade. Para sair dele não bastam apenas lições de psicologia. É necessário uma fé incomensurável. Dobrar os joelhos no chão e rezar. A cura pode demorar, mas vem. Despertar na luz de um novo dia e renovar, apagando da memória, dos sentidos, o tanto desamor que a vida lhe ensinou.
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Marcadores