Total de visualizações de página

A pombagira

Meus livros de Magia Astrológica no link

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Astrofísica: Astrônomos identificam estrela antiga e rara na Via Láctea

Pesquisa inclui cientistas do Brasil e dos EUA.
Achado pode ajudar estudo das origens da nossa galáxia.

Do G1, em São Paulo
Estrela ultrapobre em metais pode ajudar a entender origens da Via Láctea
Estrela ultrapobre em metais pode ajudar a entender origens da Via Láctea

Estrela ultrapobre em metais pode ajudar a entender origens da Via Láctea (Foto: ESO/Divulgação)
Uma equipe de astrônomos do Brasil e dos EUA, liderada pelo professor Jorge Melendez, da Universidade de São Paulo, publicou um estudo que mostra que a estrela de nome 2MASS J18082002-5104378 é uma "relíquia" dos anos de formação da Via Láctea que oferece uma oportunidade única de estudar as primeiras estrelas que se surgiram na nossa galáxia.
A estrela 2MASS J18082002-5104378 foi descoberta em 2014, como informa o Observatório Europeu do Sul (ESO), em comunicado. Observações que se seguiram mostraram que, ao contrário de estrelas mais jovens, como o nosso Sol, essa estrela apresenta uma quantidade muito baixa de metais (nome que os astrônomos dão aos elementos mais pesados que o hidrogênio e o hélio). Ela é tão desprovida destes elementos que é chamada uma estrela ultrapobre em metais. E, ao mesmo tempo, é a mais brilhante desse tipo descoberta até hoje.
As estrelas pobres em metais são bastante raras tanto na Via Láctea, bem como em outras galáxias próximo de nós. Os metais formam-se durante a fusão nuclear nos núcleos das estrelas e espalham-se por todo o meio interestelar quando estas estrelas envelhecem e explodem. Consequentemente, gerações posteriores de estrelas formam-se a partir deste material cada vez mais rico em metais. As estrelas pobres em metais formaram-se a partir do meio não contaminado que existia logo após o Big Bang. Estudar estrelas como a 2MASS J18082002-5104378 pode, portanto, ajudar a entender segredos da formação do Universo.
Jorge Melendez, da USP (Foto: Reprodução/TV Globo)

 Os resultados deste estudo foram publicados na revista especializada "Astronomy & Astrophysics". A equipe de autores é formada por Meléndez (Universidade de São Paulo), Vinicius M. Placco (Universidade de Notre Dame, EUA), Marcelo Tucci-Maia (USP), Iván Ramírez (Universidade do Texas, EUA), Ting S. Li (UniversidadeTexas A&M, EUA) e Gabriel Perez (USP, Brasil).

Mediuniade: a comunicação verdadeira com os espíritos

Orientações espirituais do Astral Superior


O trabalho dos espíritos na Umbanda, Candomblé ou qualquer outro seguimento espiritualista, provoca reações muitas vezes extremas, radicais, intolerantes ou distorcidas. Para uns, é tudo coisa do Diabo. Esse conceito ou preconceito, gerando por estigmas, lançados pelas religiões dominantes que sempre perseguiram os espiritualistas. A Igreja Católica, Judaísmo Ortodoxo ou Islamismo, sempre foram pouco tolerantes com quem busca contato com o mundo metafísico. Mesmo que suas bases venham de contatos mediúnicos. Segundo contam Maomé teve contato com o Anjo Gabriel, da mesma forma que teria sido o mesmo anjo que anunciou a vinda do Messias. Também, teria Moisés e outros patriarcas contato com anjos e orientações vindas do plano espiritual. No entanto, para os intolerantes que sempre tentaram se apossar de Deus e dos conhecimentos, só a sua religião seria verdadeira e as demais não passariam de alucinações. Para os radicais das religiões patriarcais, o contato de seus anciões e patriarcas, seria por ordem divina e com Deus, mas, a fé de outras religiões, seriam coisas malignas ou fantasia!

Essa é a forma que age as pessoas cheias de vaidade religiosa, que é uma das piores vaidades. Assim, para as pessoas radicais, só "o meu Deus existe o deles não". Para essas pessoas intolerantes tudo na religião deles é verdade irrefutável mas, a filosofia e conhecimento dos outros é apenas enganação. E assim, vão se passando as eras, com o povo dividindo. Dividir o povo do mundo inteiro é o principal plano do Mal, dividir para governar. Hoje, abre-se uma igreja em cada esquina, com cada um querendo pregar a seu jeito e sem união. Mas, desde tempos imemoriais, que o homem se desentende e se divide. Tudo por vaidade, egoísmo.

Podemos ler uma passagem interessante, mesmo nos evangelhos, quando discípulos de Jesus, discutem sobre quem seria mais importante, quando Jesus responde que os primeiros serão os últimos e os últimos serão os primeiros. Isso porque Jesus percebeu ali entre seus discípulos a vaidade tomando conta de ambos e gerando uma cisma. E isso acontece todos os dias, em todos os lugares e em todas as crenças. Sempre tem os líderes religiosos que se acham mais importantes, mais santos, mais poderosos e mais inteligentes que os demais. Vemos fiéis enchendo a boca pra dizer "o meu Deus", como se ele tivesse se apossado da Divindade e os outros fossem apenas uma "ralé pagã". Vemos fanáticos, gritando na TV e na mídia em geral, que só será salvo quem aceita Jesus e que já aceitou. Assim, já se consideram santos, salvos e melhores que os demais. Como se aceitar Jesus fosse a chave de tudo. Na verdade, mesmo para os cristãos, não basta apenas "aceitar Jesus", o mais importante é saber se Jesus aceitou o coração de quem se diz "santificado".

Vemos muita gente hoje em dia, se dizendo cristão, mas, ignorando o que o Cristo disse ao jovem rico "ide, vende tudo o que tem e dá aos pobres...". Mas, o que vemos é o contrário. São pessoas citando enriquecimento, ganância, vaidade religiosa e se julgando acima dos outros. Esquecem-se quando Jesus disse: "meu Reino não é desse mundo" ou "juntai tesouros no céu". Enfim, as pessoas tendem a interpretar as coisas de forma que fique dentro de um contexto de favorecimento e que lhe deixe confortável.

E muitos exclamam, "Jesus aceita todo mundo, nós é que temos que aceitá-lo". Sim, Jesus, Deus, os Anjos, os Orixás, qualquer divindade sagrada, está de braços abertos a receber um coração puro, bondoso e desapegado. Mas, você pode se auto julgar? Pode se autoavaliar, como sendo uma pessoa boa ou que se arrependimento é verdadeiro, pleno e seu pedido de perdão foi aceito tão fácil? Só o Criador pesa os corações e julga conforme nossos merecimentos e bondade divina! Só ele diz se aceitou nosso pedido de perdão. Não são pastores ou padres que nos santificam só porque compramos uma Bíblia, passamos a vestir roupas sociais ou gritamos de olho fechado nas igrejas. A verdade é que a espiritualidade é muito mais complexa.

Cada quem vem com um destino a cumprir. Como a Bíblia nos mostra, o Ifá nos mostra, a astrologia nos mostra! Vemos que Moisés, Sansão, Davi, Salomão ou o próprio Cristo não puderam se desviar de seu destino. Pelo contrário, tiveram que trabalhar pra cumprir sua missão até o fim. E quando fraquejaram como Sansão, Davi ou Salomão, o destino e o Criador os puniram! Não está na nossa escolha, na nossa vontade e na nossa vaidade, dizer se fomos ou não aceitos por Deus. Não é uma regra, apenas ler a Bíblia, pagar dízimos e orar nas igrejas, pra sanar nosso carma não! Cada pessoa veio fazer algo importante e que já está acordado no plano espiritual. Não pense que pastor, padre ou pai de santo pode livrá-lo de seu destino e missão não! Ele pode apenas confortá-lo, ajudá-lo, orientá-lo, enviar a você uma força espiritual, mas, não pode livrá-lo de sua missão. Não é apenas orar, orar e se dizer crente que resolve seu destino ou lhe dará o perdão não.

Tem um montão de depoimentos invocados e exaltados, contando um passado sombrio e que de repente como num passe de mágica, só porque se batizou ou comprou uma Bíblia, parece que tudo foi apagado. Mas, não é assim não. Deus é um Deus acima de tudo de justiça. O amor, não tem força sem a justiça. Por isso, lemos no livro das revelações, que "o sangue dos mártires e santos, clamam por justiça". Assim, se você é um assassino ou cometeu diversos crimes, não é só pedir perdão e começar a orar, que vai zerar todo seu passado e pecados não! Claro que Deus perdão, quer todos os filhos ao lado dele, mas, tudo há um preço. E assim é que o carma é visto pelas sociedades antigas, ou seja, tem que cumprir algo para se libertar do carma! Imagina ai se o cara é traficante, passa a vida toda, matando, roubando, sequestrando, estuprando, matando pessoas por meio das drogas... mas, de repente, compra uma Bíblia, monta uma igreja e passa a orar e professar o evangelho! Isso será grandioso, um resgate e louvável, mas, não quer dizer propriamente que ele está perdoado! Isso só Deus, vai julgar e sendo justo, alguma pena poderá ter! Encarnações deverão ser estipuladas.

Bem, mas, voltando a questão da ação dos espíritos, uma pergunta que sempre recebo por email é: os espíritos sabem de tudo e podem me responder o que eu perguntar? Infelizmente o que vemos hoje em dia em grande maioria dos terreiros, são pessoas acreditando nisso. Tem pessoas que não saem dos pés das entidades querendo respostas pra tudo. Muitas até se pautam pelo que as entidades falam pra julgar os outros, pra tentar adivinhar o que os outros estão fazendo e tiram conclusões do que os espíritos dizem, como se fossem verdade absoluta! Porém é mais um engano, que permeiam o espiritualismo.

A verdade é que os espíritos, nem mesmo os orixás ou anjos, sabem tanto assim. Eles também tem limites, respeitam a ordem divina e não podem revelar tudo. Espíritos metidos a adivinhões nos terreiros ou centros espíritas, se afastem deles. Suspeitem de espíritos falastrões e sem prudência, pois certamente podem ser espíritos enganadores. É evidente que os anjos, orixás e guias, sabem mais do que nós, pois vem de outras dimesões mais elevadas e tem sentidos mais fortes que os nossos, pois estamos limitados pela matéria. Mas, cada espírito vem de um lugar, tem uma função específica e não são bisbilhoteiros ou anarquistas do astral. Eles sabem que não podem intervir. Por isso, não arme bagunças, achando que tudo poderá ser resolvido por anjos ancorados ou orixás, só porque você levou um prato de farofa numa encruzilhada ou cachoeira.

Nós evocamos ou invocamos um anjo, orixá ou espírito, mas, não quer dizer que nossos pedidos e orações serão atendidas não. Tudo será julgado conforme as leis, o carma e merecimentos. Não é só porque você faz uma novena que será atendido não. Como vimos, Jesus pediu se seria possível afastar o cálice do sofrimento, mas, teve que cumprir sua missão. Ou seja, temos coisas a cumprir que os espíritos não podem revogar! Por isso, pessoas inescrupulosas e gananciosas que vivem de amarrações e feitiços que mexem com o destino dos outros, em algum momento pagarão um preço caro.

É evidente que tem espíritos que sabem mais que outros, que são mais fortes que outros, assim como tem orixás mais potentes que outros. Mas, todos respeitam as leis da vida e do astral. Não são fantoches pra obedecer a nossos desejos ou propinas em forma de oferendas! Tem que haver uma conexão e não um suborno ou escravidão, nem de lá pra cá, nem daqui pra lá! Além disso, anjos, orixás ou guias de luz, não vem pra falar de coisas mesquinhas, contar sobre chifres, a vida do vizinho, do chefe ou como agarrar a pessoa amada. Esses espíritos elevados, vem pra revelar doutrinas, profetizar, orientar a raça humana para viver com mais luz a era atual. Eles não vem a terra pra vender consultas e sim pra orientar.

Mas, e quanto a questão dos guias de oraculistas que fazem consultas. Bem, ai, o astral fala de forma inconsciente, de forma astral ou mediúnica, mas, indiretamente, dando força, amplificando os dons e trazendo revelações, por meio dos códigos que podem orientar direções a alma, mas, não, pra responder o que queremos e sim o que precisamos. Todo médium tem cobertura astral, mas, não pra obedecer a desejos mesquinhos e sim pra tentar resgatar e doutrinar as almas de volta a luz. Por isso, um bom astrólogo, tarólogo, babalaô ou oraculista de qualquer tipo, tem o dever de sempre falar a verdade.

Se os búzios não abre, se não consegue identificar a leitura do signo ou qualquer outra análise, não custa nada dizer a verdade e dispensar o cliente. Jamais mentir! Mande voltar outra hora ou dispense de vez se perceber que os intentos são egoístas e mesquinhos.   Eu mesmo deixo de ganhar muito dinheiro, pois dispenso a maioria dos clientes que me procuram, pois se percebo que é apenas curiosidade, deboche o ambição por conhecimentos que serão usados incorretamente, eu me nego a fazer o mapa. Também quando percebo que a pessoa questiona demais, é incrédula demais e quer apenas testar ou quer advinhar algo que não está no alcance do que ela deveria saber, também eu dispenso. É de fundamental importância que nós filtremos e nos desviemos de pessoas que querem adentrar um mundo apenas por curiosidade.

Também essa história de que todo mundo pode aprender astrologia, tarô, búzios, numerologia, runas ou magia, é balela. Quem não tem dom, jamais poderá trilhar esses caminhos. Pode até fazer cursinhos, comprar livros, desenvolver um método, mas, estará trilhando um caminho perigoso. Cada pessoa que tem esse dom, já vem escolhido pelo astral, jamais vai fazer por hobby ou só pra faturar, como muitos fazem. Outra coisa inconsequente é ver alguém numa mesa, jogando diversos tipos de oráculos. Outro dia, vi um consultor, jogando baralho cigano, tarô e búzios, tudo em sequência. E ainda falando de astrologia. É um desrespeito aos sistemas oraculares, a espiritualidade e ao Astral. Cada oráculo requer um tempo, requer respeito, requer uma aplicação separada e apropriada.

O consultor pode até usar diversos oráculos numa análise, eu mesmo o faço, quando faço um mapa completo de uma pessoa, mas, faço sozinho e não na presença do cliente, que está ali emanando medos, energia e desconfianças. Fazemos, com calma, sozinhos e com respeito. Quem mistura muitas energias, não tem energia certa e bagunça todo sistema. Devemos evitar banalizar as artes divinatórias, pois são coisas profundas e sérias.

É claro que os vendedores de cursos, vão sempre defender que qualquer um pode estudar isso ou aquilo, mas, não é verdade. Depende sim de vocação, não apenas de decorar simbologia ou interpretações. Por isso, muitos se ferram, ao adentrar um mundo tão oculto e complexo como o da divinação, sem iniciação e sem pratica ritualística. A pessoa não pode por exemplo, chegar numa casa de Umbanda e comprar um punhado de búzio e achar que pode jogar, como se fosse um babalaô! Sem saber qual é seu orixá, o que seus guias acham disso ou o que poderá atrair pra si. Por isso, muitos enlouquecem ou caem em crises graves. Vemos que na Cabala há essa mesma advertência. Prudência é tudo! Lidar com o inconsciente e com pessoas não é fácil.

Como ocorre a comunicação entre encarnados e desencarnados, como identificar uma comunicação verdadeira de uma falsa e quais os problemas que podem surgir nessas ocasiões de contato são apenas algumas das perguntas importantes a serem consideradas quando se fala de comunicação com o mundo dos espíritos. Bem, quando indaga-se isso, adeptos do espiritismo ou cultos afrobrasileiros, dificilmente algum vai admitir que não tem certeza. A grande maioria vai dizer que tem axé, que seu guia é fulano de tal e que tem certeza, pois o que a entidade falou bateu com os acontecimentos de sua vida ou com suas características. No entanto, é apenas um engano. Uma entidade não é identificada como sincera ou verdadeira só por que define bem nossa vida ou características. Assim como vimos no ato dos apóstolos um espírito que adivinhava tudo e que foi expulso pelos apóstolos, muitos espíritos, sabem muito bem o que pensamos, alguns até conseguem ler nosso subconsciente, pois eles tem contato maior também com o inconsciente coletivo. Então muitas entidades estão apenas interpretando nossos desejos, falando aquilo que queremos ouvir pra nos cativar. E assim muitos caem nessas armadilhas.

Como eu já afirmei em outros posts anteriores, entidades evoluídas, não ficam interferindo na vida das pessoas, nem revelando coisas veladas, como se fossem uma coluna de fofocas. Uma entidade séria, não fica falando da vida dessa ou daquela pessoa, em primeiro lugar, porque a lei da privacidade é uma das leis mais poderosas do universo, por isso, a privacidade e mistérios de Deus, são impenetráveis. Não vá questionar uma entidade, como fez o Rei Saul, pra saber de coisas mesquinhas, perguntar sobre namorado e querer descobrir a vida privada das pessoas. As entidades que se prestam a este papel, geralmente não são evoluídas e nem iluminadas. É por existir regras, que os oráculos surgiram. Pois eles penetram os mistérios, por meio do poder do acaso e dos elementos sagrados. Não são as entidades autorizadas a desvelar mistérios selados. Mesmo anjos e orixás, precisam obedecer as regras.

Perceba que mesmo os grandes babalaôs precisam dos oráculos. Eles não ficam o tempo todo abusando as entidades. E mesmo os oráculos, tem que ter regras de uso. Nenhum sacerdote fica repetindo perguntas, fazendo consultoria gananciosa ou usando diariamente. Todos obedecem a ética e regras rígidas. Para Kardec, Deus deu a mediunidade aos seres humanos para que eles penetrassem no mundo invisível estabelecendo, dessa forma, o contato com os espíritos. Isso, no entanto, só pode ser realizado por aqueles médiuns com capacidades acentuadas, sendo eles os responsáveis pelo contato entre o mundo dos encarnados e o dos desencarnados.

E, apesar de existirem várias formas de se estabelecer esse contato, também é preciso tomar alguns cuidados, uma vez que podem surgir problemas. O que, hoje em dia, pode parecer uma afirmação óbvia para qualquer um que estude parapsicologia, foi comprovado apenas cerca de 70 anos depois com as pesquisas do cientista norte-americano, J.B. Rhine, da Universidade de Duke, provando estatisticamente que as capacidades mentais, chamadas mediúnicas, estão presentes em larga escala da população, em maior ou menor grau.Em O Livro dos Médiuns (1861), Allan Kardec diz que toda pessoa que sente a influência dos espíritos, em qualquer grau de intensidade, é médium. Trata-se de uma faculdade inerente ao ser humano e, por isso mesmo, não é um privilégio. “Pode se dizer”, ele explica, “que todos são mais ou menos médiuns”.

Os fenômenos estão ligados ao tipo de efeito que também varia de um médium para outro. Kardec ofereceu uma classificação que inclui médiuns de efeitos físicos; médiuns sensitivos; auditivos; falantes; videntes; sonâmbulos; curadores; pneumatógrafos (ou voz direta); psicógrafos. A comunicação com os espíritos pode ocorrer de várias formas. As mais conhecidas são a psicografia, a psicofonia, a intuição, a inspiração, a premonição e a audiência, entre outras. No entanto, como explica Aluney Elferr, todas as comunicações se realizam por meio do perispírito. “Ele é o agente intermediador de todas as manifestações mediúnicas, posto que o espírito não pode agir sozinho sobre a matéria”.

“Kardec disse que o espírito, por mais inteligente que seja e esteja tentando enganar uma pessoa, em algum momento acabará se traindo e demonstrando que aquela não é uma comunicação verdadeira. Porém, há apenas duas pessoas que têm condições de identificar uma comunicação: o médium e o público que está ouvindo”. Porém sabemos bem que espíritos enganadores, arteiros e que não liga muito pra cumprir as regras, também dão uma sensação maior de poder ou respostas a alguns médiuns que estejam dominados por desejos mundanos. Por isso, muitas vezes, fingem, ajudam a entidade a enganar e abusam desses espíritos ou se deixam abusar, pra conseguirem coisas que outros espíritos mais iluminados não lhes dariam. E isso ocorre muito nos cultos afrobrasileiros, em especial, do lado da Esquerda.

Para Aluney, “o reconhecimento se dá através de constantes verificações e vigília”. Ele explica que, depois de um tempo, o médium treinado ou educado passa a ter segurança e começa a se conhecer melhor a conhecer as comunicações. “Mas não pensemos que isso ocorre de um dia para outro”, ele prossegue. “Sempre é possível ver médiuns com essas dúvidas, e então o melhor é recorrer à prece e ao amigo espiritual para nos ajudar. Mas somente o treino constante e a boa educação mediúnica nos farão, um dia, sermos médiuns bons, ou bons médiuns”. E alguns médiuns, mais famosos, que vendem cursos, em especial de terapias que estão na moda como apometria ou projeciologia, costumam afirmar que quanto mais preparado espiritualmente o médium estiver, maior será o seu discernimento a respeito das mensagens que recebe. Pode ser! Mas, a questão é sobre esse tal "preparo". Quem pode ser autoavaliar "preparado". Preparado em que, no que? Especialmente, alguns seguimentos espiritualistas, que não tem iniciação, não tem simbolismo, não tem rituais e apenas, "vigílias" como dizem eles ou meditações! E assistência do plano espiritual, continua sendo identificável, pois não basta os sentidos mediúnicos, ver, ouvir ou sentir os espíritos, jamais, vai poder identificar profundamente aquela entidade! Mesmo Kardec,que foi o maior pesquisador e que escreveu como se tudo que lhe passaram fosse verdade absoluta, teve que recorrer a terceiros, outras médiuns que tinha a sensibilidade de se comunicar, ou seja, ele não pode garantir nada, apenas acreditar. Por isso que os grandes sacerdotes do culto ao orixá, como por exemplo os babalaôs iorubás, é precisa consultar o sagrado Ifá. Até mesmo os levitas hebreus, tinha seu oráculo, que era usado no templo, pois não se pode incomodar as divindades toda hora!

Por isso é necessário o aprofundamento do médium nos estudos espirituais sérios. A medida que for progredindo em seus estudos, e baseado em sentimentos elevados, suas percepções se ampliarão, e aí a identificação da procedência espiritual será clara e precisa. E esse aprofundamento, se dá por intensos estudos, meditação e busca, mas, acima de tudo, por iniciações, cumprimento de missões espirituais, do carma e da elevação mental. O orixá vai trazendo luz, o Orí vai se revelando, o axé vai firmando e não fica-se apenas no campo das energias imagináveis ou flutuantes. Com os anjos da mesma forma, a Cabala nos ensina e nos ajuda a sincronizar com as energias divinas criadoras. No Budismo também vamos tornando mais adaptados ao carma, aos elementos sagrados e e florescendo signos dentro de nós. Uma pessoa do elemento terra por exemplo e de signo chinês mais materialista, jamais será um canal sensível de contato com o sagrado, como por exemplo, um de elemento fogo e de animal mais místico, como por exemplo o Dragão, o Carneiro ou o Galo.

A MELHOR COMUNICAÇÃO É aquela em que há um bom entrosamento e afinidade entre o espírito e o médium. Após o término de uma comunicação recebida por meio de um bom médium, há uma elevação do seu nível vibratório. Às vezes, não permanece por muito tempo, mas se no caso for um espírito superior que está presente, consegue elevar as vibrações a ponto de manter no médium esse equilíbrio. Porém, essas entidades bem alinhadas, não vem pra falar da vida de ninguém, apenas pra orientar por um crescimento espiritual. Essa história de ficar também de cada em casa, querendo falar com um ente querido que se foi, é algo perigoso e muitas vezes enganador, por isso cuidado sempre! Eu não duvido que os espíritos voltem pra se comunicar, caso seu carma exija isso. Mas, tudo tem regras, excepcionalidades e não acontece de forma banal. Tudo tem um por quê e pra quê, não depende apenas da vontade do vivo.

Quando o médium vai incorporar, para que o Orixá/Entidade se aproxime, o anjo de guarda permite a passagem para ocorrer a incorporação. Quando o Orixá/Entidade está incorporado no médium, o anjo da guarda permanece ao lado, pois o médium está protegido por energias do Orixá ou Entidade que está ali. Quando há o processo de desincorporação, o Anjo da Guarda se aproxima mais, para manter o equilíbrio do médium. O seu anjo da guarda, sempre anda com você em qualquer lugar que você esteja, pronto a lhe proteger; embora você não o veja. Portanto, os médiuns devem ficar atentos para não oferecer resistência na hora da desincorporação desse Orixá/Entidade, pois existe uma hora certa em que o Orixá deve deixar a matéria e o anjo da guarda se aproximar, não deixando a matéria desprotegida.

Axé a todos e Shalom

Carlinhos Lima

Fé, caridade e dons divinos - Umbanda Astrológica

Fé, caridade e dons divinos - Umbanda Astrológica

Umbanda não suporta hipocrisia


A Umbanda atual, se for analisada nos seus milhares de templos, terreiros, casas de culto ou roças, veremos diversas vertentes, mas, podemos detectar claramente, o que predomina. Em especial nas grandes cidades, pois, é onde tá concentrada o maior número dessas entidades, onde tem mais massa de pessoas e onde as filosofias se disseminam com rapidez. Em primeiro lugar, porque é onde rola mais grana e onde o poder de comunicação é mais poderoso. Além disso, é onde pessoas mais letradas aproveitam pra imprimir sua ideologia, conceitos, projeto ou sei lá mais o que! E nesses grandes centros, em especial capitais, onde tudo é movido a dinheiro, podemos ver uma parte da Umbanda, ou Candomblé e cultos afro-brasileiros de um modo geral, de forma incisiva, inclinadas ao poder e riqueza. Sim, poder. Muitos se envolvem com política e poderosos. Isso, nem é tanta novidade, pois como já relatei aqui, desde o inicio dos tempos, que médiuns, magos, ocultistas e adivinhos, se aliavam a reis ou poderosos. Em primeiro lugar, porque é mesmo uma vida árdua a vida de quem milita nesse terreno desafiador e complexo. Além das perseguições, precisa se dedicar e tem que sobreviver, pois ninguém come pedra ou vento! E mesmo, quem é do cristianismo, foca impiedosamente no dízimo e arrecadação de grana. Não é a toa que se inventa templos luxuosos, réplicas de templos famosos como o de Salomão e cultos que só falam em prosperidade incansavelmente. Hoje em dia, pra muitos, abrir uma igreja é mais rentável que abrir um empresa. 

Em segundo lugar, o dinheiro é tentador! E por falar em tentação, os próprios clientes, que depois se dizem "enganados", são os primeiros a insistir querendo pagar o que for preciso para obter o que querem. A maioria não querem um não como resposta e vão de cabeça em qualquer coisa que lhe vendam! Quando querem um amor de volta, uma cura, um almejado sucesso, eles não querem ouvir o porque não podem ter aquilo, apenas querem saber o quanto custa, como se tudo pudesse ser comprado. E ai, quem tem seu terreiro, seu consultório e precisa pagar as contas, quase sempre omite, ou mesmo mente, pra arrancar a grana dos teimosos. Isso mesmo, teimosos, pois inocentes não tem. Todo mundo que vai lá e é depenado, seja nas igrejas ou nos cultos, vão porque querem, por que não aceitam o destino, querem mudar sua sorte e pagam, como se pudessem passar por cima da ordem cósmica.

Então, como eu venho afirmando, se revela uma grande parte, talvez a maior, da Umbanda, Candomblé ou cultos afro-brasileiros, não só agora, mas, em todas as épocas - aquela que é movida a dinheiro, pirotecnia, que abusa das macumbarias, dos sacrifícios, oferendas e tudo sem preceitos, outorgas ou prudência. E assim, temos uma parte considerável da Umbanda, que é de certa forma mercenária, inconsequente e mentirosa, pois, na maioria das vezes, precisa mentir pra arrancar a grana do cliente. Uma Umbanda, que não respeita calendários, hierarquia, ancestralidade e nem a magia ou o carma.

A outra metade considerável da Umbanda, é de certa forma hipócrita ou má instruída. Ainda vive nos conceitos ultrapassados do velho espiritualismo romântico. É aquela parte do tudo "branquinho", de "direitinha", onde tudo é proíbido e parece ser algo forjado na extrema candura! Quando sabemos que as coisas não é bem assim! E da mesma forma que a primeira corrente que citei, ligada apenas ao dinheiro, onde tudo é pirotecnia pra arrecadar mais, essa segunda metade, é a que diz renegar tudo, inclusive o esoterismo sagrado, a ancestralidade e a finalidade dos orixás. Elas se curvam ao cristianismo e kardecismo, vivenciando algo que não é condizente a Umbanda. Rejeitam os orixás, os oráculos, a iniciação e as hierarquias. 

É evidente, que em meio a esses milhares de terreiros, tem as pessoas sensatas, que sabem dosar, que são coerentes, temperadas, sábias e sabem que sombra e luz faz parte do todo. Sabem que cristianismo vem do seio judaico-cristão e que kardecismo vem de Alan Kardec e não dos cultos afrobrasileiros. Mas, o que há de mal nessas duas vertentes? Nada! São caminhos sensacionais de cura, de evolução e aprimoramento. Porém o que não tenho dúvida é que Umbanda é uma coisa, Kardecismo e Cristianismo são outra!

Certo dia um suposto teólogo num grupo de Umbanda, fez duas afirmações "geniais"! Primeiro que a Umbanda "é cristã" e segundo que na Umbanda "não tem orixás"! Eu fiquei tão comovido com isso, que passei a me perguntar se Cristo não seria umbandista ou Kardec não teria se iniciado na Umbanda? Foi a coisa mais ridícula que já ouvi uma pessoa dizer, ainda mais alguém que se diz "teólogo". Até mesmo quem sustenta que foi o Caboclo das Sete Encruzilhadas, que revelou ou ajudou Zélio fundar a Umbanda (o que eu discordo), sabe muito bem, que o citado Caboclo citou e jamais negou os orixás! Também, sabe muito bem que a Bíblia é completamente contra as práticas que temos na Umbanda. Evidentemente, que teologia e filosofia, requer muitas interpretação, além de sabermos que a Igreja tentou ocultar e de certa forma conseguiu, todo o caráter iniciático da Bíblia. Mas, não vemos nenhum umbandista lendo uma Bíblia exclusiva com esses trechos ocultados e sim a mesma que renega qualquer prática de espiritismo! Se a Bíblia é correta, verdade ou quem escreveu, ai já é um outro debate, mas, qualquer leigo ou teólogo, vai saber muito bem, que mesmo sem orixás, mesmo que só com caboclos, ciganos, baianos ou sei lá mais o que, não há nenhum embasamento pra dizer que a Umbanda é cristã!

No entanto, eu nunca descartei o estudo bíblico, assim como uso a cabala e qualquer outro conhecimento sagrado pra aprimorar minhas buscas, mas, o que quero dizer, é que não precisamos ser hipócritas, só pra sermos mais aceitos num país onde até os feriados são cristãos! Sabemos bem que muita gente usa o sincretismo e a mentira, pra não ser tão atacado, por covardia, dizem-se "cristãos umbandistas", só pra não serem atacados. O umbandita de verdade, pode ter fé, louvar, aceitar e adorar o Cristo, os anjos os santos e até frequentar a igreja, mas, não precisa sufocar os orixás, as tradições e se ajoelhar as culturas alheias, só porque o cristianismo manda no país. Pois sabemos que essa história de "país laico" é balela. Até os feriados são católicos. Até nossa constituição é cristã, e até os códigos penais, respeitam conceitos judaico-cristãos. Mas, isso não é suficiente, pra esquecer de onde os orixás vem! Assim como lembramos bem, de onde a Bíblia vem!

Além disso, lembrem-se bem que a Umbanda, tem influencia de diversas culturas, inclusive essa história de vestir branco ou de cultuar a sexta-feira como dia de Oxalá, nós sabemos bem que tem a forte influência do Islã, pois, quem estudar vai ver, o quanto os árabes influenciaram e influenciam no Continente Africano, assim como na revolta dos malês da Bahia, diversos escravos  que falam árabe, tentaram e imprimiram muito da espiritualidade muçulmana na cultura afro brasileira.

Mas, enfim, é mais fácil seguir as massas, não ser tão perseguido, fazer parte do contexto de nossa cultura e sociedade vigente. Se dizer cristão nas pesquisas de amostragem do IBGE, é bem mais fácil que se dizer macumbeiro! Por isso a Umbanda é quase invisível nas pesquisas do IBGE e só aparece o espiritismo que é mais influenciado pelo cristianismo. É fácil abrir um templo, onde só se vista de branco, como se outras cores não existissem ou fossem amaldiçoada. Só cantarolar, batucar nos tambores e rodopiar, sem nenhum ritual iniciático, sem usar nenhum oráculo e sem assumir a ancestralidade africana. Ter imagens no altar dos santos católicos, "é menos chocante", já que grande parte, acha o orixás muito primitivos, atrasados e analfabetos. Sem saber, a real cultura, sem conhecer o sistema fantástico do Ifá de Orumilá, uma sabedoria binária lindíssima e rica. Da mesma forma que muitos criticam a astrologia, sem sequer conhecer sua filosofia, seu simbolismo e sua real aplicação. Ou criticam a magia, influenciados pelo cristianismo que poda o conhecimento e que distorceu todos os conhecimentos dos antigos anciãos.

Umbanda é Axé, é força vital, é ancestralidade, é magia e conhecimento ancestral. É simbologia, espiritualidade e iniciação. É um caminho penoso, mas, apaixonante, onde busca-se os mistérios sem frescura, sem pirotecnia ou fetichismos. Umbanda, não tem que tentar agradar ninguém. Tem que divulgar a verdade. Umbanda de verdade, não para no tempo, não fica estagnada sem evoluir. Ela observa o tempo, os ciclos, as eras, a necessidade da sociedade, se adapta das culturas, mas, não se curva a predominância só por causa de covardia ou poder.

Se viemos cumprir uma missão, em especial iniciática, não são vestes, colares, batuques e danças, que vão cumprir esse papel. Também, não é usando de forma banal, a palavra "CARIDADE", que vai cumprir seu destino! Dia desses eu vi num vídeo, um suposto pai de santo, dizendo-se "doutrinador", tentando ensinar sobre Umbanda. E dizia ele "aos amados irmão de fé e sacerdotes de Umbanda, aqueles que não vivem pra caridade, esses eu nem falo...". Ou seja, ele afirmava incisivamente, que a principal função da Umbanda era a caridade! Pois bem! Mas, que caridade? Há diversas formas de caridade! Mas, é desse tipo de doutrinação, que a Umbanda vem se formando puritana, hipócrita, sensacionalista e fraca. A Umbanda está sumindo, enquanto a indústria evangélica, se torna cada vez mais poderosa e ofensiva, sem dó e nem piedade de quem cultura os orixás.

Mas, voltemos a questão da caridade. Bem, o que mais se ouve nos  terreiros puritanos, assim como em diversos seguimentos do kardecismo, é essa citação da caridade. Pois bem. A caridade é importante sim. Porém, ela é importante, pra todo ser humano, independente de religião. A caridade tem que ser aplicada na vida! Mas, é muito comum, ver espertinhos querendo tirar proveito, por exemplo, de médiuns, tarólogos ou astrólogo, querendo vir com essa alegação de que "não se pode cobrar por dons". Ué, qualquer dom, é digno de ser usado pra caridade! Então porque a pessoa tem o dom de ler um oráculo, ela teria que fazer tudo de graça, perder tempo e se dedicar aos interesses mesquinhos dos outros, só porque é um dom espiritual? Bem, se a pessoa recebe um espírito, que vem a ele pra cumprir uma missão, ele fará, independente de religião. No entanto, nenhum espírito, vem fazer turno na Terra pra servir interesses mesquinhos e prestar consultorias! Quando um espírito vem cumprir uma missão, ele vem orientar em conceitos espirituais e revelar fatos que sirvam pra projetos que estão acima de interesses pessoais. Nenhum espírito, vem a terra, incorporar pra ficar falando sobre briga de vizinhos, traições amorosas ou pra encomendar isso ou aquilo, para saciar os interesses egoístas de ninguém. Os espíritos, vem pra doutrinar, revelar uma ordem, assistir, proteger, mas, não pra responder perguntas interesseiras ou dar consultas de graça, só porque é alegado a tal caridade!

A caridade, tem que ser praticada no dia a dia, para o bem comum, por todo mundo, independente de religião. Um médico pode atender pessoas carentes sem cobrar, um dentista pode atender pacientes de graça, por não poder pagar. E assim por diante. Toda inteligência e dom, vem de Deus e precisa ser doada. A caridade não é apenas você se vestir de branco e ir dar passes num culto ou ir levar sopa a mendigos.  Além do mais, cada um tem uma missão individual. Se dar passes vai servir pra alguns, poderá não servir pra mim ou pra você! Por isso, os odus são importantes pra indicar a missão de cada um.

Se alguém nasce sobre os caminhos de Oxóssi por exemplo, terá missões ligadas a defender a natureza, os animais, o meio ambiente e o planeta. Defender comunidades carentes, povos abandonados e lutar pelo povo. E assim por diante. Não é se juntando a grupos, para apenas fazer coisas repetidas, receber espíritos e dar passes, como se a vida de todo mundo fosse unida que nem bolo de arroz. Como se repetindo o que os outros fazem servisse pra mim ou pra outra pessoa!

Cada um tem que buscar seu caminho. Tem gente que veio com um carma pra servir no campo da medicina, então ele atuando nesse setor, poderá ajudar os pacientes, não apenas atendendo de graça ou sendo "caridoso", mas, acima de tudo, sendo misericordioso, amoroso e paciente. Atendendo bem, sendo atencioso, não sendo soberbo, vaidoso ou ganancioso. E assim, vale em toda profissão. Não é apenas quem lê oráculos ou faz consultoria astrológica, que tem que consultar de graça, porque é um dom divino. Todo dom é divino, todo carma é importante e latente. Não pense que é só o médium que veio cumprir missões não. Tem pessoas que veio cumprir sua missão em particular. Até mesmo ser prostituta, pra pagar algo do passado reencanartório. Ou ser policial pra salvar pessoas e lutar contra o crime. Assim há várias formas de se cumprir o destino e fazer a tão famosa e citada caridade.

Se um dentista, psicólogo, médico ou sei lá mais o que, pode cobrar e quase sempre cobrar caro, pois alega que gastou e perdeu anos de sua vida estudando, saiba que um astrólogo, tarólogo, babalaô ou numerólogo e qualquer outro oraculista, também estuda muito. Dedica muito tempo de sua vida e compra livros caros. Nem todo mundo atende, orientado por um espírito de luz, que vem aqui passar tudo sem esforço não! A verdade é que um astrólogo tem que estudar muito. Um tarólogo tem que estudar muito e quem joga qualquer outro oráculo precisa se dedicar muito. 

Então não venha com mesquinharia e esperteza, querendo auxílio de graça, alegando malandramente, que um dom divino não se vende! As religiões, que não deveriam vender a palavra, vendem e a peso de ouro e as pessoas pagam sem relutar! Sem sequer saber que quem paga dízimo ou quem recebe, está infringindo leis espirituais. Primeiro, porque o dízimo foi criado para os levitas e não temos levitas no Brasil! Segundo, porque Deus não precisa de suborno e nem de gratificações pelos dons que nos dá. Ele nos dá muitas riquezas, se fosse cobrar pela luz do sol ou da luz, como nos cobram as companhias de eletricidades, jamais poderíamos pagar. 

Além disso, o dom da vida é um dom precioso. Então porque os prifisionais juntam bilhões pra desenvolver softweres e produtos? A inteligência não é um dom divino? Além disso, o astrólogo ou qualquer outro consultor, não está cobrando pelo dom e sim, pela informação, pelo uso do oráculo que ele teve que estudar tanto. Se você tem inteligencia pra falar outros idiomas, você monta logo um curso ou vai lucrar com isso,  trabalhando numa multnacional, se tem dom pra desenvolver um carro ou avião, vai ficar rico com isso, então porque quem tem o dom de ler os códigos sagrados de um oráculo, não pode receber por isso? Como eu já disse, quem vem com o dom da astrologia, não vem com o dever da caridade de assistir todo mundo que tem seus interesses mesquinhos não! Pelo contrário, ele vem com o dom pra divulgar filosofias divinatórias, que ajudam o ser humano nas suas buscas. Mas, não tem o dever de passar isso de graça, muitas vezes sendo perseguido e humilhado, sem a menor consideração. Além disso, as pessoas costumam buscar ajuda, apenas quando não estão na pior. Se estão alegres, prosperas e felizes, apenas zombam, criticam e diz que é tudo bobagem!

Quantas pessoas vão até a Umbanda, sem ser pela dor? Quantas vão e continuam indo, se seus interesses não forem satisfeitos? Porque igrejas evangélicas estão cheias de gente balançando carnês e falando de riqueza? Porque a grande maioria querem 'caridade do lado de lá", mas, "prosperidade do lado de cá"! Se você observar, cada signo, fala de dons, caminhos iluminados, metas e bom destino, mas, também falam das obrigações, coisas a serem superadas e dos desafios. Nada na vida é de graça. Tudo tem um preço. Cada Odú do Ifá por exemplo, fala dos benefícios, metas e destino, mas, também fala do carma, das obrigações e sacrificios.

Então não meça com a régua da esperteza, as coisas que você não conhece e apenas quer tirar proveito. Muita gente cheia da grana, as vezes pagam caro por luxúrias e ostentações, que apenas fazem mal a sua alma, mas, pagam sem reclamar, por uma marca, um hobby ou uma fama. Muitos gastam até toda sua fortuna com drogas, com promiscuidades e com paixões mundanas. Mas, quando estão desnorteados, ferrados e na escuridão, vem choramingando pra pagar um mapa astral! Ou querem com poucos reais, resolver crises que eles desenvolveram a vida toda! Então passam a culpar quem faz a consulta. Tem pessoas que paga um mapa, tentando resolver um problema enorme que ela mesma gerou por escolhas erradas na vida e acha que ali terá de uma única vez, todas as chaves da libertação e realização. Tem pessoas que gastam uma nota preta, com psicólogos caros, mas, querem ir uma vez num astrólogo e achar todas as respostas! Outros acham que porque fizeram um mapa podem abusar o astrólogo pro resto da vida, de graça, pensando que estabeleceram um vínculo com ele. Sem contribuir com um presente, uma ajuda, sem sequer divulgar o trabalho daquela pessoa ou mostrar o menor agradecimento! 

Mas, como eu disse, a vida nem é só dinheiro e nem é só caridade. Nada na forma banal ou mundana, dura ou tem qualidade necessária. Só que há que ter um meio termo. Tem pessoas que tem uma vida fantástica, carrão na garagem, mora num belo apartamento e ganha dez ou vinte vezes mais do que eu. Porem vive choramingando, não porque não tem, mas, porque quer ter mais do que tem! Tem gente que tem uma vida de classe alta, mas, se queixa como se fosse um miserável, porque o que ela ganha, não lhe dá direito de ter um padrão mais elevado! Tudo mesquinharia. E ai quer que o astrólogo resolva essa questão infeliz.

Tem pessoas que procuram por um mapa e choraminga pra pagar o mapa, mesmo recebendo uma fortuna, não porque não tenha rendas ou posses, mas, porque suas posses estão compromissadas com cartões de crédito, com gastos de viagens a lugares paradisíacos, com joias e perfumes caros, presentes a amantes ou porque trocou a decoração chique da casa, ou trocou o carro por um carrão do ano mais caro! E mesmo assim, sendo ele o mesquinho, egocêntrico e ganancioso, ainda quer jogar o kaô de "dons divinos não podem cobrar"! Ora, e tudo que a vida lhe deu, toda bonança que seus ancestrais e Deus lhe abençoaram, você já agradeceu aos anjos, ao Criador, a Mãe Natureza, aos Orixás? Já fez algo pelo meio ambiente, por quem precisa de alguma ajuda ou pelo seu lado espiritual? Claro que não!

Essas pessoas, só procura o plano espiritual quando estão depressivas, quando a vida lhe dá um tombo. E é por isso, que quase sempre a espiritualidade não lhes responde! Quando estão na fama, com grana farta e com sexo a tempo e a hora, elas acham que tudo é bobagem. Mas, a espiritualidade é como uma poupança. Se você não planta e nem armazena virtudes e gratidões, quando procurar não tem! Lembrem-se da parábola dos dez talentos...

Axé a todos!

Carlinhos Lima
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Marcadores