Total de visualizações de página

A pombagira

Meus livros de Magia Astrológica no link

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Os orixas na Umbanda Tradicional.


ESTE SANTO BATE COM VOCÊ? Essa Lista leva em conta as definições da Umbanda Comum.
Para ter certeza de qual é o seu orixá,só mesmo consultando os búzios. Mas nada impede que você se familiarize com eles identificando as características divinas que influenciam tanto a sua personalidade como a das pessoas ao seu redor. O mapa natal, através da analise do horoscopo pode nos dar uma noção mais aprofundada de quais inluencias regem nosso destino.

Exu, o mensageiro:
Esse controvertido orixá é o primeiro a ser homenageado nas cerimônias para evitar que atrapalhe o ritual, já que compostura não é com ele. Guardião das encruzilhadas, ele circula na fronteira entre a matéria e o espírito. Os filhos de Exu primam pela inteligência e a astúcia, podendo fazer trapaças. Sentem prazer em comer e beber, têm humor e adoram sexo. A pombagira representa sua versão feminina.

Iemanjá, a grande mãe

Senhora dos rios, mares e oceanos, ela é a matriarca dos orixás, personificando a responsabilidade e o encanto da função materna. Embora Iemanjá seja representada como uma mulher linda, o forte de seus descendentes não é a beleza, e sim a capacidade de trabalhar e de proteger a família - suas filhas são ótimas mães. O maior defeito de seus filhos e filhas é falar demais e não saber guardar segredo.

Oxóssi, o caçador

O orixá da fauna e da fartura concede aos seus filhos o dom da elegância e curiosidade. Embora sejam bons pais e mães, joviais e amigáveis no trato, têm dificuldade com os parceiros amorosos e costumam apreciar a solidão. Os descendentes de Oxóssi não conseguem ser monogâmicos e sentem-se livres para quebrar compromissos, passando às vezes por irresponsáveis.

Omulu, o curador

O deus da peste conhece tanto as doenças quanto as curas. Transita entre os vivos e os mortos usando uma capa de palha para esconder suas chagas. Quando bebê, Omulu foi abandonado pela mãe e encontrado por Iemanjá, que curou suas feridas. Tímidos e solitários, os filhos desse orixá derretem-se quando recebem atenção e amor, revelando-se bons amigos. É possível que se tornem deprimidosou sábios na velhice.

Xangô, o justiceiro

Os filhos do deus do trovão e da justiça se dão muito bem na área de advocacia, negócios e burocracia. De constituição física sólida, eles aparentam integridade e têm apetite por comida, dinheiro e poder - é comum envolverem os outros em suas guerras pessoais. Gostam de ostentar seus amantes, a fidelidade não é o seu forte. Bons amigos e excelentes pais, defendem suas crias como ninguém.

Oxalá, o pai

Reverenciado como o deus da criação, ele gerou a terra, os homens, os orixás. Seus filhos demonstram talento para as funções de chefia, magistério, trabalhos criativos e culturais. Adoram desafios, apreciam ser tratados como especiais e transformam-se em notáveis adversários quando encontram oposição. A aura de dignidade é comum entre os filhos de Oxalá, mas eles também podem se revelar pessoas mandonas ou mesmo chatas.

Iansã, a guerreira

Senhora dos raios e das tempestades, é a esposa de Xangô que o acompanha nas batalhas e conduz a alma dos mortos ao outro mundo. Deusa do erotismo, Iansã torna os seus filhos mais dotados para a prática do sexo do que para o cultivo paciente do amor. Corajosos, eles podem dar a vida pelas pessoas que gostam, mas não admitem traição. A conversa brilhante e o jeito extrovertido são suas marcas.

Ogum, o lutador

O deus da guerra, da metalurgia e da tecnologia facilita o progresso, as conquistas e as viagens. Seus filhos distinguem-se pela teimosia e pelas atitudes arrojadas. Dotados de uma frieza racional, fazem qualquer coisa pelos amigos, mas não sabem amar sem machucar e acabam despedaçando corações. Dividem a fama de grandes amantes com os filhos de Exu, que é irmão de Ogum.

Oxum, a sedutora

A deusa da água doce, do ouro, da fertilidade e do amor é supervaidosa e a esposa favorita de Xangô. Seus descendentes espirituais detestam a pobreza e a solidão. Costumam ser pessoas insinuantes, que sabem agradar aos seus amores, o que, por outro lado, não as impede de tentar manipulá-los. A beleza e a fortuna - duas coisas que Oxum adora e oferta aos protegidos - podem tanto ser uma dádiva quanto um pretexto para a arrogância.

No entanto fique sabendo, que as definições são muitas, pois, estas caracteriscas, sempre mesclam, mitos, lendas e arquetipos formulados pelos sacerdotes. E nesse contexto a Umbanda-Astrologica ajuda muito bem a formular arquetipos e influencias mais compreensiveis, por causa do estudo das interpretações das influencias astrologicas.

Carlinhos Lima - Astrologo, Tarologo e Pesquisador.

Os Orixás na Umbanda Moderna

CLASSIFICAÇÃO DOS ORIXÁS NA UMBANDA: 1º) Orixás Virginais = Recebem do supremo Espírito Reino Virginal 2º) Orixás Causais = Aferem karma causal 3º) Orixás Refletores = Coordena Energia – Massa 4º) Orixás Originais = Recebem dos três as vibrações universais 5º) Orixás Supervisores = Supervisiona as leis universais 6º) Orixás Intermediários = Senhores dos tribunais solares do Universo Astral 7º) Orixás Ancestrais = Senhores de toda a hierarquia planetária · Todos os Orixás Ancestrais são subordinados à Cristo Jesus que é o tutor máximo da Terra.


Os Orixás Ancestrais são os que conhecemos na Umbanda. Entre os espíritos que atuam dentro da vibração energética do nosso Eledá, é escolhido um para nos acompanhar mais de perto, seja pela afinidade com o ser encarnado ou pelo simples desejo de acompanhar esse espírito na sua caminhada encarnatória. No caso de médiuns, normalmente este espírito é aquele que incorpora quando invocada a vibração do Orixá principal.

Os Orixás, dentro do culto Umbandista não são incorporados. O que se vê dentro dos vários terreiros, centros, tendas etc, são os falangeiros dos Orixás, espíritos de grande luz que vem trabalhar sob as Ordens de um Orixá. Os Falangeiros incorporam em seus “cavalos” e mostram sua presença e sua força em nome de um Orixá.

Orixás cultuados na Umbanda:
Oxalá, Ibeiji, Obaluayê, Ogum, Oxossi, Xangô, Iansã, Iemanjá, Nanã, Oxum. Outros Orixás: Exu, Obá, Ewa, Logun-edé, Iroko, Ossãe, Oxumarê, Tempo, Orumilá, Ifá. Os orixás: Exu, Obá, Ewa, Logun-edé, Iroko, Ossãe, Oxumarê, Tempo, Orumilá, Ifá e Ibeiji não formam a Tríade do Coronário dos médiuns na Umbanda.

Carlinhos Lima - Astrologo, Tarologo e Pesquisador.

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Mediunidade, dons e má fé!



Pois é prezado irmãos a mediunidade é sem sombra de duvidas um dom especial. Mas, tambem significa para muitos a conexão com o carma. Na verdade são muitas as formas de mediunidade. Muitos são os dons, como reconhece os Evangelhos e muitas são as formas que se apresentam para nós esses dons! Na verdade o Criador não erra, como diz o ditado popular, "Deus dá o frio conforme a coberta", mas, nem sempre nós recebemos bem essa missão de ser um medium durante todo nossa vida.

Digo toda, porque quem nasce medium, certamente, vai têr mediunidade até desencarnar, a menos que evolua muito durante sua jornada. Muitso vão catando bem as dicas que o Criador vai deixando pelo caminho e vai se santificando, se purificando e se iluminando num grau evolutivo tão acelerado que chega a um ponto de não precisar mais dessa mediunidade. Mas, a grande maioria não consegue progredir, afinal são duras penas e duros desafios. Como diz os ensinamentos "muitos são chamados, mas, poucos escolhidos". Infelizmente!

Ou como sempre vimos os religiosos dizendo: "Largo são os portões que levam a perdição". Por isso muitos dos convocados para ser obreiros do Senhor, se perdem pelo caminho, na sua propria trajetoria, se destraviam pelos caminhos tentadores do pecado e malignidade.

A mediunidade muitas vezes e na maioria das pessoas amedronta, dá problemas e traz transtornos. Isso porque grande maioria dos espiritos que reencarnam pra progredir, continuam rebeldes, não aceitam sua missão, ou trouxeram cargas emocionais tão pezadas que não conseguem captar as mensagens como elas são enviadas pelo Astral Superior, tudo fica confuso na cabeça dele e muitos declinam pra loucura. Não é a toa que a esquisofrenia é tão parecida com precessos mediunicos.

Além do complexo sistema ser dificil de compreendermos, pois, falamos de coisas que atuam sem que vejamos, possamos comprovar, estudar, pesquisar ou adentrar, como fazemos num site da internet, ainda têm os malfeitores, agentes do mal que tentam nos confundir, desviar enlouquecer! E pra piorar ainda mais, além dos espiritos maus desencarnados, temos os sensacionalistas, charlatões, mentirosos e demagogos de plantão que desvirtuam tudo e nos deixam malucos.

Caros irmãos, vocês não fazem ideia de quantos sofrem mundo à fora, na penumbra da incompreensão, nas visões mal explicadas, no preconceito ao seu redor, no medo, na solidão e no abandono da realidade. Muitos são os dramas e muitos os desafios. E ainda não podemos esquecer da forte pitada de ego, que o proprio ser humano mistura nisso tudo. Porque em grande parte dos casos, às pessoas não querem buscar algo que faça sentido, mas, geram um projetos proprio, traçam seus planos e metas e seguem rumo ao mundo que só ele têm na cabeça.

E temos tambem as pessoas que passaram suas vidas todas, agindo como pessoas "normais", nunca se importaram pra espiritualidade, nem quiseram em tempo algum se importar com o tema. Mas, que trouxeram sim algo pra ser vivido, superado, transformado ou buscado nesse sentido. Ai ela se interessou o tempo todo, sua vida toda, com dinheiro, carreira, vaidade, amor, sexo e prazer o tempo todo. Então tudo bem! Sim até determinado momento em que tudo desmorona! E ela vai com o tempo em atraso pra sua busca, tentar compreender, mas, continua teimando e chega até o fundo do poço, quando percebe está afundando quase que sem jeito de retorno. Ai existem dois problemas: Primeiro que esse tema é muito complicado e mesmo buscando auxilio, nem sempre a pessoa vai encontrar as pessoas certas pra ajuda-la e segundo, que nem sempre às pessoas buscam o que é certo pra elas, mas, sim o que eles querem. E há sim uma grande diferença ai entre o que elas querem e o que elas realmente necessitam!

Assim muitos individuos que têm o dever de buscar vivenciar mais a espiritualidade, continua teimando, apostando no material, achando que dinheiro compra até o bem estar espiritual. Então procuram um sacerdote com o intuito de fazer uma consulta. Nessa consulta, ao se detectar o que existe de errado na vida da pessoa, passa-se um diagnostico. Mas, esse diagnostico em 99% dos casos, será "resolvido" pelo sacerdote, ou seja o cliente, só paga, se livra do problema e a vida continua! Sera´que é simples assim mesmo? Claro que não e um dia muita gente vai saber do que eu tô falando agora!

Muitos sacerdotes até têm a vontade de dizer tudo que as pessoas precisam fazer por si mesmas, mas, praticamente todas, se irritariam, não querem a verdade e sim soluções. Ou seja, dá-se uma oferenda aqui e ali, faz-se uma macumbinha e tenho quem eu quero de volta, aumento nos lucros e as doenças se vão! Boa barganha, sem trabalho e sem dor! Será mesmo que tá resolvido? Evidente que não, a espiritualidade não é um balcão de negocios.

Sabemos sim que esse tipo de trabalho de magos ou sacerdotes, prestando serviços aos nobres que buscavam soluções existe desde os primordios e muitas vezes dá certo sim! Muitas oferendas são em forma de louvor, de agradecimento e de conexão com o Astral Superior. Na verdade é pra ritualistica que existem os sacerdotes, afinal eles têm têm o dom da magia, devem sim fazer, pois, pra leigos é perigoso e não recomendado. O que quero dizer é que devemos buscar saber o algo mais, o empenho, a missão, a espiritualidade é eterna o materialismo não. Essa vida terrena é passageira a alma é eterna! Não é só pagar uma oferenda e nunca mais querer saber dos seus guias, orixás e mestres! Tudo ronda a responsabilidade espiritual.

Outra coisa interessante é vêr pessoas que chegam nos cartomantes, tarologos, astrologos e sacerdotes pedindo consulta. Ai ao saber do preço exclamam: "Pensei que você trabalhasse de graça, pois, têm que fazer caridade"! Esse tipo de atitude além de cinica é ofensiva, com um tipo de disfarce sem vergonha, daqueles que querem se aproveitar da boa vontade das pessoas. Como se o sacerdote ou buscador, não tivesse seus compromissos pessoais e tivessem que viver ali trabalhando de graça enquanto ele vive o deslumbre de seu ego, pintanto e bordando.

Então, o medium têm que fazer caridade! E têm sim, mas, conforme sua missão que é repassar a mensagem do Astral Superior, cada um dando sua contribuição na busca, assim como jornalistas e outros profissionais, recebem só pra escrever ou ouvir.

A Igreja cobra Dizimos, o governo cobra impostos e os espiritualistas cobram pelo uso de seus dons, que afinal de contas são ferramentas, pelas quais eles se diferenciam dos demais, porque se não tivessem dons, seriam pessoas comuns, que nada teriam de ligação com a espiritualidade.

O psicologo, pode cobrar pra dar sua opinião, mas, o tarologo e astrologo não! Essa é a opinião de muitos imbecis que se fazem de desentendidos, querendo se aproveitar do tempo e da boa vontade alheia! Mas, na hora de dar grana num papelote de droga, ou encher a cada na bebida, acha que o dinheiro tá muito bem aplicado! Tudo idiotice!

Uma madame pode dá mil reais nuam calcinha numa loja de grife ou num creme caro, os quais não impedirão, nem de elas serem abandonadas do conjugue, nem de envelhecer! Mas, na hora de buscar ajuda espiritual, o medium têm que trabalhar de graça porque precisa fazer caridade. Mas, em que local do caminho de sua vida isignificante esses aproveitadores materialistas, perderam a caridade deles? Como disse Jesus: "Dai a César o que é de César" e disse mais: "Quem têm ouvidos ouça"!

Sem essa de alguém vim dizer que opera só com os dons, pois, na verdade, até os grandes magos, tiveram que buscar evolução, como Buda, Moisés e o proprio Cristo, como tambem muitos outros. Então a busca é diferente em cada época. E assim o Astrologo, Tarologo, Cartomante e até sacerdote magista, têm que estudar, lêr, meditar e se manter. Por isso, sabemos que ha´um dever, não só material, mas, moral e espiritual de cobrar pelos seus serviços. Porque o proprio Cristo nos ensinou a doar, mas, tambem a valorizar os dons, isso ficou muito claro na parabola das moedas! Quem quiser entender medite, leia e reflita.

Muitos são os dons!!!


A Materia é Composta de Energia


Mediunidade através dos tempos


A Astrologia é uma ciência sagrada.


A mediunidade na visão da psicologia


O verdadeiro comtemplador de astros


OS GRANDES MISTERIOS


O poder da mente e mediunidade


quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Muitos segredos continuarão velados!



Muitas pessoas, ou maioria das pessoas se perguntam o porque de todos os conhecimentos magisticos serem secretos! Eles são velados, na verdade nem todos, mas, grande parte, porque sabemos muito bem da ganância e ambição do homem que ao longo de sua historia sempre buscou têr controle do poder. E é justamente por isso que não existe sábios sobre à Terra que conheça todos os segredos! Até mesmo Cristo não conhecia todos os segredos enquanto homem! Muito foi sendo revelado a Jesus, conforme ele se aproximava do cumprimento de sua missão e assim, vemos claramente em sua historia que ele foi evoluindo degrau por degrau. Até mesmo Jesus, obedeceu a Hierarquia Superior, cumpriu o serviço para o qual foi designado.

Na verdade o desafio do mago e sábio é justamente captar a essência das coisas. A missão mais importante do buscador é tentar compreender o mundo tanto à sua volta, quanto dentro dele mesmo. E saibamos assim que muitos são os segredos que nunca serão revelados a nós, não só encarnados, mas, também desencarnados! Os grandes segredos de Deus não compete a nós sabermos, até porque existem leis, regras e mandamentos.

Muitos evoluiram nas buscas sobre conhecimentos magicos. Grande parte deles ajudados por demônios perigosos, outros tiveram ajuda do Astral Superior e cairam na ruina do orgulho, maldade e avareza. Por isso que adentrar os portais do templo sagrado da magia cosmica é tão depurativo, dificil e amedrontador.

Uma das principais regras do buscador é não questionar demais, porque como diz o ditado popular "a curiosidade matou o gato". Foi a vontade de saber como era ser Deus, que levou Luzbel a ruina! O buscador, tenta sim achar respostas pra suas duvidas, mas, há uma diferença em procurar encontrar suas respostas necessarias entre tentar descobrir segredos desnecessarios. Por isso o bom caminho é buscar encontrar os conhecimentos que somem luz e sabedoria ao nosso ser e não que some atribulações ou loucura.

Muitos conhecem muita coisa de magia, usam bem esses conhecimentos, porque evoluiram no caminho da sabedoria, mas, grande parte se deixam corromper e é justamente por isso que estes caminhos são proibidos.

Há uma diferença substancial entre o que se ensina popularmente nos terreiros sobre entidades e Umbanda e o que representa suas verdadeiras raizes. Isso porque muito foi desvirtuado, usado de forma corrosiva, imperfeita e sem moral ou ética.

Muita coisa se apresenta a nós de uma pra nos confundir, nos testar e pra percebermos onde são melhores buscados nosso aprimoramento, como tambem onde conhecemos melhor nossos limites. O Karma que tanto vêmos falar hoje, em especial por filosofias espiritas, não é só pra depurar almas, ou só pra fazer sofrer, na verdade o papel do carma é iluminar, convencer o homem que ele é eterno, como também evitar que a humanidade continue errando sem limites.

Dos segredos velados de Umbanda, o que mais nos chama atenção sem duvida são as formas como as entidades são vistas ou se apresentam aos buscadores. Caboclos por exemplo, têm em sua origem tempos distantes de quando o homem ainda tinha pureza em sua alma, obedecia hierarquias e sabia muito bem respeitar a Natureza. Mas, seu formato chama atenção de muitos pelo fato de só querem trabalhar com essas entidades, personificadas em indios, quando na verdade eles podem usar às mais variadas formas. Na verdade estamos falando de entidades que poderão se apresentar vindos de dimensões distantes, com uma linhagem de milhares de anos, com outros formatos, fisionimias ou cores. Claro que pra nós aqui no Brasil as oriengens são respeitadas pelo Astral Superior, por isso grande parte dos Ancestrais vão sempre se apresentarem de forma muito substancial como os antigos pagés nas matas, mas, saibamos que hoje somos muito mais um povo mestiço. Assim podemos ter um Caboclos americano, chinêns, egipcio ou de qualquer outra étnia do mundo. Tambem sabemos que Pais Velhos nem sempre serão pretos, mas, podem sim se mostrarem na experiência dessa linha com qualquer personificação, mantendo a mesma essência vibracional.

Outra linha que sempre causa curiosidade, questionamentos e até medo, com razão, é a chamada Linha de Exus. Que há sim uma explicação que creio eu já ter dado em outros artigos, tanto para o nome quanto para finalidades. Mas, é um assunto tão vasto que poderiamos falar em milhares de temas que não se esgotaria. Isso porque exus estão ligados tanto as memorias conscientes, quanto inconscientes do ser humano. Sendo que essas memorias em grande parte doloridas, ligadas a turbulências, guerras ou até mesmo o mal! Tudo isso gera na verdade a grande confusão de comparar, sincronizar ou classificar Exu com demonios ou o proprio Diabo.

E não tenham duvidas que seres malignos, enviados por magos negros ou por conta propria, se passam sim por essa linha, até porque elas trabalham no limite da consciencia cosmica. Ela nutre desejos, está ligada aos medos, rancores, serve como via de escape e descarga nas emoções do ser humano. E ai fica facíl até mesmo identificar demônios internos, como sugere alguns parapisicologos.

Mas, antes de julgar qualquer força ou entidade, temos que têr sempre em mente, que: "nem tudo é o que parece ser!" ou "Nem tudo que reluz é ouro". Assim nem tudo que se mostra como bom pertence ao Bem e nem tudo que se mostra ruim, pertence a Mal. Lembremos sempre que Cristo foi tentado por Satanás em forma de anjo de luz! Ele reconheceu, mas, nós reconheceriamos? Por isso antes de julgar qualquer coisa, tenha convicção de que seus conceitos estão corretos!

Leia tambem:

Segredos Velados e Pombagira!


A POMBAGIRA LUTANDO PELA MULHER


Entidades populares da Umbanda



Carlinhos Lima - Astrologo, Tarologo e Pesquisador.


segunda-feira, 26 de outubro de 2009

CHAKRAS E REALINHAMENTO



A palavra chacra, do sânscrito, significa roda e evoca o caráter dinâmico desses centros magnéticos, que captam, armazenam e distribuem a energia. Relacionados a órgãos e glândulas, eles têm importância decisiva para a nossa vida física, mental e espiritual, influenciam nossas emoções e são influenciados por elas. Atuam diretamente sobre a nossa disposição e alegria de viver. Os sete principais chacras estão localizados entre a base da coluna e o topo da cabeça. Quando seu fluxo é bloqueado, podem surgir distúrbios físicos, emocionais, mentais e espirituais.

O realinhamento dos chacras purifica nossos canais, alimenta, regula e equilibra os órgãos, células e as funções vitais.

Quando estamos em harmonia, a energia penetra naturalmente através desses centros de força e cumpre sua função. Essa atividade natural de reabastecimento energético possibilita a nossa boa condição de saúde física, emocional, mental e espiritual.

Siga o link e fico mais informado:

Leia mais sobre Chacras

Segredos Velados e Pombagira!



Muitas perguntas chegam ao Climazzen do mundo todo. Muitas repetitivamente insistem numa resposta que vou dar alguma satisfação sucinta agora:Justificar
Uma das mais frequentes é sobre Pombagira! Quase sempre as perguntas vêm acompanhada de medo, incompreensão e o assunto é mesmo complexo deixando todos curiosos mundo à fora.

Na verdade esse não é um tema muito aberto que se possa tratar com tanta profundidade, porque se refere a segredos velados, coisas ocultas e são misterios para iniciados. Até porque a espiritualidade não é uma coisa que se possa dar "mastigada", ela tem que ser conquistada, buscada e testada. Até mesmo profetas escolhidos pelo Astral Superior passaram por grandes provações, medos e incompreesão.

Outra coisa importante do buscador perceber é que há o lado tecnico, aquele que é pregado pelas filosofias, tradições e religiões, mas, também o lado logico, que é aquele da revelação pessoal. Ou seja, aquilo que é revelado pra cada um de nós e que poderá conter diferenças substancias. E assim podemos notar diferenças que na maioria das vezes geram divergências. Assim se perguntarmos a dois sacerdotes sendo cada um de um seguimento diferente da Umbanda ou Candomblé veremos que cada um poderá dar uma difinição propria e divergente, porque pra cada um deles, pode ter sido dada uma forma diferente do entendimento espiritual sobre cada entidade. No Vodu por exemplo, mesmo tendo a mesma essência do Candomblé, veremos que cada Orixá têm algumas mudanças importantes em suas definições.

Essas mudanças é que fazem as pessoas perderem a fé, acharem que é bagunça ou pensarem que há só enrolação. Assim surgem também os que dizem que isso é melhor do que aquilo, que tal seguimento é mais sábio do que os outros e assim por diante. Mas, o que temos que entender é que o conhecimento é dado de forma fragmentada, conforme a necessidade de cada época, de cada cultura e de cada pessoa. Isso porque tudo têm seu tempo exato pra ser revelado. Veja que a tecnologia humanda da informatica teve seu grande avanço à pouco tempo, mesmo a huminadade tendo nas costas milhares de anos! Assim tudo vai ser revelado conforme a necessidade da sociedade de cada época.

Uma coisa que tambem atrapalha muito é a deturpação do conhecimento, pelo simplismo, quando as pessoas definem uma filosofia com certas definições limitadas. Assim uma entidade é tal coisa, têm tal forma e só! Quando na verdade a profundidade de cada vibração é imensa. Também, a influênia negativa no repasse da tradição oral, pois, se até mesmo livros e pergaminhos grafados são deturpados, veja lá através do boca a boca, o quanto não se acrescente, inventa ou se tira dos conceitos da tradição.

E ainda quero destacar as pessoas que ao se depararem com dificuldades ou desejos em seu caminho, não querem nem saber como funciona o efeito de cada coisa, simplesmente procuram alguém que elas possam pagar pra fazer o que elas querem no campo magistico ou espiritual. Dai vem tambem grandes equivocos e deturpações. As pessoas pensam que a espiritualidade é um mercado onde se investe em creditos espirituais, como se compram ações na bolsa.

Muita gente ao passar por problemas, tendo em sua missão carmica e espiritual que fazer alguma busca, não se interessa em saber o que têm que mudar ou conquistar, simplesmente pagam e pronto! Sem saber elas que poderá até ter o resultado esperado, mas, que terá cobranças depois.

Não são poucas as pessoas que têm problemas todos os dias e de todas às formas. São centenas de e-mails que recebo semanalmente, mas, elas não querem nem saber o porque vivem aquilo, querem saber sim como conseguir superar e só. Alguem derepente perde o amor, o emprego ou qualquer outra coisa, ai não quer nem saber o porque isso ocorreu. Ele na sua concepção, quase sempre induzido por um amigo, ou por anuncios tipo "trago seu amor em 24 horas", procura resolver com uma mandinga poderosa, como se pede uma pizza em casa e o motoboy vai levar! Mas, espiritualidade não é isso e quando ela passa a perceber, ao invés de admitir que foi pela via errada, age como critico, dizendo que tudo é enrolação, que não acredita nisso ou naquilo etc e tal! Na verdade sempre teremos questionamentos, duvidas e sempre haverá quem vudide das coisas, até porque ninguem nasceu pra ser seguidor do que seu espirito desaprova. Mas, antes de chegar ao momento de criticar, primeiro faça uma autoanalise de como você age diante da espiritualidade.

Muitas pessoas estão passando crises serissimas na vida nesse momento, em alguns casos, provocados por terceiros, em outros casos pelo carma, mas, na maioria deles pela propria pessoa. Por isso antes de querer uma mandiga ou milagre que resolva tudo como num passe de magicas, é importantissimo analisar onde está o erro primeiro.

E é nessa falta de analise isenta de egocentrismo, egoismo ou orgulho que vêm as confusões. Dai dessas confusões é que nascem as deturpações dos conhecimentos e filosofias ou tradições. Assim voltando ao assunto da Pombagira é que temos varias definições erroneas sobre essa entidade. Ela não é uma prostituta que é uma alma desencarnada e que trabalha na beira de motéis só esperando oferendas. Até temos muitas entidades que trabalham assim, alguma Kiumbas, outras em linha de desenvolvimento, mas, o foco principal é outro. O raio principal da Bombogirá é o de desenvolvimento espiritual por via da sexualidade. E essa Bombogirá não atua só nas mulheres, ou só atua induzindo a sexo, na verdade ela atua em varios seguimentos, conforme a linha, a vibração e a necessidade carmica. Perceba que por via do sexo se mexe nos negocios, no casamento, na religião, na saude e em muitas outras coisas, por isso o entrecruzamento das vibrações são importantes. Por tudo isso a coerencia e prudencia acima de tudo. Antes de dar um veredicto final uma analise profunda das causas têm que ser feita.

O pior é que a maioria das pessoas não querem ouvir a verdade e sim soluções. Elas não dão o braço a torcer que muito do que vivenciam hoje é culpa delas mesmas, querem sempre um culpado pra acusar por seus flagelos, ou um bode espiatorio. Nunca foi erro delas! Quase sempre elas se colocam no papel de vitima. E algumas são sim! Algumas pessoas são muito invejas perseguidas, mas, nem todas!

Só que a maioria das pessoas não querem ouvir a verdade quando buscam ajuda, elas e muitas delas querem voltar a se iludir. Muitas apegadas ao ego, buscam reatar um relacionamento, somente por orgulho. Nem é amor o que elas sentem mais, só que não suportam terem sido abandonadas. E ao invés de buscar refazer sua vida, a pessoa gasta tempo e dinheiro pra trazer alguém de volta. Isso sem saber que prejudica seu lado emocional, espiritual e carmico.

Carlinhos Lima - Astrologo, Tarologo e Pesquisador.

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

O poder Ancestral sobre nós por meio das vibrações!



Hoje em dia cientistas céticos tentam desqualificar os conceitos da fé, da espiritualidade e das ciências misticas. Mas, cada um têm o direito de acreditar no que achar melhor! Tudo depende do olhar, de quem olha e de que prisma é usado pra se enchergar as coisas.

A Astrologia por exemplo, não foi criada pra ser comprovada, mas, sim pra servir de ferramenta com a qual o ser humano pudesse fazer uso pra atingir os misterios importantes que servissem pra sua evolução. Essa evolução não se dá apenas na alma e na mente, mas, também no corpo. Isso porque quando nos encontramos com a mente são e livre de entraves, juntamente com a alma iluminada, sem duvidas o corpo se comportará com harmonia, nos deixando super equilibrados.

Todos os seguimentos de fé surgiram da observação dos fenomenos naturais que inclinaram o homem à busca do Sagrado. Foi observando os céus que o homem teve a inspiração divina da Astrologia; Foi observando os fenomenos da natureza que os homens, se inclinaram a imitar a Natureza e assim acabou entrando em contato com a magia. E assim ocorreu com o surgimento do religare, dos conceitos de fé e tudo ligado ao que está intocavel aos nossos sentidos fisicos.

Só que não creio em nenhuma dessas ciências, até mesmo os inventos da ciência convencional como criação do homem, mas, como revelações e inspirações divinas. Assim a Astrologia têm uma profundidade muito maior do que pensam os filosofos que tentam decifrar sua origem. Ela foi revelada por seres superiores. Veio como dadiva da nossa Hierarquia Ancestral, resistindo ao tempo e aos ataques até os dias de hoje!

No entanto, a ifluência direta de ambiosos, interesseiros e seres malignos, chegaram a melar muito dos conhecimentos sagrados que nos foi revelado nos templos. Tudo por causa da luxuria, vaidade, avareza e outras formas de pecados humanos. Reis inescrupulos, poderosos e mentirosos se acomodaram com o uso eficiente da magia e dos conhecimentos, usando à seu favor. Isso tudo acabou denegrindo toda luz desse conhecimentos magnificos.


O bom conhecimento astrológico foi posto a prova a serviço de reis e nobres que podiam pagar caro por esses trabalhos. Os cálculos complexos, os estudos de cada planeta nos mapas e a relação entre os planetas eram vistos pelos reis, nobres e pessoas em geral como magia. Por isso mesmo, se o astrólogo errasse suas previsões e análises, ele era executado. O interesse desses nobres era aumentar seu poder e suas riquezas, por isso era fundamental saber se conseguiriam progresso em suas empreitadas. Isso garantiu uma sobrevivência do conhecimento e prática dos astrólogos que mais acertaram, garantindo uma seleção natural e cada vez mais rica e precisa do saber astrológico.

Graças a todo esse contexto, foram feitas várias compilações de antigos livros, sempre confrontados com algumas novas descobertas. Sobreviviam sempre as técnicas mais eficazes, pois na astrologia, o que não funciona deve ser descartado. O lado negativo dessas compilações, foi que surgiram adulterações, mentiras e inclinações ao mau uso dos conhecimentos.

Na antiguidade, eram atribuídas divindades e mitos à cada planeta. Havia festas, rituais e celebração de vários acontecimentos celestes cíclicos, como a festa do Deus Sol, comemorada dia 25 de dezembro, época do solstício de inverno do hemisfério norte, quando o sol entra em capricórnio. Era nessa época que aconteciam os dias com menos tempo de luz solar e as noites mais longas. Alguns estudiosos acreditam que a data de nascimento de Cristo foi estrategicamente colocada pela Igreja Católica no dia 25 de dezembro para encobrir a tão celebrada festa pagã.

Os estudos astrológicos são os agentes responsáveis pelos eventos que percebemos nas nossas vidas. Isso nada tem a ver com espiritualidade, magia ou clarividência. É pura evolução do estudo do céu ao longo de milênios.Ao longo de muitos anos, toda essa observação se tornou um estudo importante para administrar as dificuldades sazonais. Essa ferramenta consistia no cálculo de certas posições planetárias demonstradas num gráfico. A evolução desses estudos há mais de dois mil anos atrás nos trouxe um detalhamento riquíssimo sobre os astros e da sua relação com o homem - a astrologia.

Hoje após o bom uso da mediunidade, com uma mecanica espiritualizada mais bem elaborada do mecanismo mediunico, podemos captar melhor as energias, assimilar melhor os conhecimentos, pois, hoje temos um acesso maior aos estudos de homens sabios e nobres. Como o grand Sant Yves, que muito fez pra decifrar codigos e conceitos secretos, que são hoje as bases principais da Umbanda-Astrologica.

E a Umbanda-Astrologica, mesmo tendo todo respeito e admiração pelas obras dos reformadores da Umbanda brasileira, têm em Sant Yves, o grande contribuidor, para que podessemos compreender melhor a influencia dos astros sobre nós pela visão mais espiritualizada. Essa visão mais espiritual, nos faz perceber que as energias cosmicas das vibrações se personificam tornando-se assim mais palpaveis, pelas quais tiramos um proveito maior do poder Ancestral. Assim não vemos os planetas apenas como energia, mas, com representantes, personificados que trabalham pela Hierarquia visando a evolução das almas.

Carlinhos Lima - Astrologo

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

A Magia é para os Mestres




MUITOS TEM PENSADO QUE A MAGIA PODE SER DEFINIDA EM RITUAIS, SIMBOLOS E ENCANTOS, MAS A MAGIA SE REVELA CONFORME O MOMENTO, O LOCAL E A NECESSIDADE. MUITOS MAGOS ARROGANTES FORMA DERROTADOS POR INICIANTES QUE TIVERAM HUMILDADE E CORAGEM. MUITOS ESCOLHIDOS SE DESVIAM PELOS CAMINHOS DO ORGULHO E POR ISSO SE ENFRAQUECEM, ENQUANTO OUTROS VÃO EVOLUINDO E SE SOBRESSAINDO. POR ISSO NÃO DEVEMOS PENSAR QUE NINGUEM É MAIS IMPORTANTE. O VERDADEIRO MAGO NÃO TEM ORGULHO, AVAREZA OU EMPAFIA. AO CONTRARIO TEM HUMILDADE, AMOR E RESPEITO ALIADOS A UMA GRANDE PRUDENCIA.

A palavra magia deriva das raízes persas e gregas, magus e magos, termo para designar o sábio. Mag. ë a raiz lingüística da palavra, magia, significa igualmente a força e a grandeza. A pratica da magia não pertence a nenhuma cultura, sociedade ou tribo, ela e parte integrante da sabedoria universal.

Os operadores da magia, através dos milênios e séculos, e em todas as filosofias e culturas desempenharam papeis similares. Foram chamados de, bruxas, xämas, sacerdote, sacerdotisas, sábios, feiticeiros, místicos ou curandeiros. Possuíam aptidões para curar os doentes, assistir nos partos, semear a terra, manejar o rebanho, estudaram as influencias das estrelas e dos planetas, conheciam os segredos da terra, e os poderes da luz, construíam templos e cômoros sagrados. Em todas as culturas possuem seu mago ou visionário. Prova disso poderemos encontrar, nas historias dos povos da, Índia, Sumeria, Tibete, Oriente Médio e na Sibéria. Na Europa eles apareceram como os Druidas, as sacerdotisas e os sacerdotes da raça celtica, os Celtas também possuiam a tradição familiar de Bruxaria, cuja a verdadeira idade e origem de seu povo estão envoltas nas brumas da Historia.

A migração do povo celta, difundiu a sabedoria, magia e religão por toda a Europa.. Na arte, cultura, e metalurgia, poesia, esculturas e literatura, leis e costumes sociais, deixaram uma grande marca na cultura européia. Os seus costumes, tecnológico e espirituais muitos Bruxos e Magos modernos utilizam seus ensinamentos. Os celtas inventaram o arado de tração, os sistemas de campos retangulares e a rotação de culturas, assim como a teoria sobre a imortalidade da alma e a reencarnação.

As raízes da magia, com certeza viveu uma idade de ouro, onde a única tradição primordial aportaram logo após a destruição de atlantes, onde puderam ser reconstituídos, pêlos sábios, os antigos ensinamentos. No decorrer dos séculos e milenios a ciencias dos magos, sofreram persequicöes, e proibições. Milhares de pessoas foram sacrificadas, queimadas, crucificadas vivas. Prova disso foi a chamada santa inquisição , ou aqueles que matavam em nome de Deus, os lideres religiosos comandaram uma enorme cruzada de Sangue, a comando da Santa Igreja Católica. No mediterrâneo os religiosos Islâmicas, Muçulmanos, Indianos entre outros povos brigam a milênios, também matam para defender seus pontos de vistas, muitas vezes ate indo contra as suas propias escrituras sagradas, deturpando seu compreendimento e seu significado.

Os operadores da magia possuiam uma tradiçäo secreta, que so os iniciados tenham acesso aos conhecimentos e mistérios da magia. Magia uma tradição que a milênios transmite seus incinamentos ao pê do ouvido ou seja secretamente. Após a santa inquisição estas ordens secretas ficaram muito mais difíceis de se ingresar. Foram fundadas varias ordens iniciaticas e pequenos grupos que se reuniam para a pratica de magia.

Os ensinamentos eram transmitidos de pai para filho, de mestre para discípulo. Muitas ordens secretas e filosoficas mantiveram muitos ensinamentos vivos ate os tempos modernos. Hoje estamos no tão esperado terceiro milênio, a era da comunicação, informação. Teólogos, Historiadores, homens da ciências, filósofos e pensadores de varias origens, alguns deles tentam negar a disciplina magica, que caminhou ao lado da religião, da ciência e da arte, através dos milênios.

A tradição magica ocidental, especialmente a pratica da no Brasil hoje em dia recebeu influencia de povos de diversas origens, tais como as tradições: Celticas ( Os Druidas, Tradição Familiar), Hebraica ( Kabala), Hindu ( diversas escolas filosóficas e religiosas), Egípcia, Inca, Indígena, vincks, afro-bras, xamas e curandeiros, mestres e gurus do mundo todo. Dados que comprovam a existência dos magos ou operadores de Magia, poderemos encontrar na Historia e mitologia de povos antigos. A cidade de Hagmatana ( hoje Hamadan) era chamada pêlos Gregos de Ecbatana dos Magos e era habitada exclusivamente por astrólogos, Adivinhos, Intérpretes de sonhos e especialistas em oráculos.

Os Ritos de Magia. Era, entre todas as existentes na antigüidade, uma das mais belas e profundas. A sua lei fora escrita originalmente em mil peles de bois. Segundo essas antiquíssimas crenças, o mundo fora criado por " Ahura Mazda", " A Luz Viva", e por " Angra Manyu", o " Deus do Mal", que combatiam sem cessar o domínio de todo o universo. O mago era o mediador destas forças e desses gigantesco poderes para fins nobres.

Em toda parte, apesar das diferentes crenças relativas a natureza intima dos seres vivos, do macro ao microcosmo, a teoria e pratica da magia tiverem uma rápida evolução, reservada, naturalmente a casta sacerdotal por excelência. As tradições magicas antigas se dividem em duas: tradição Patriarcal e a Matriarcal.

A arqueologia encontrou templos ou cômoros sagrados, aonde eram cultuada, a grande mãe ou deusa mãe, criando e gerando a vida. As mais antigas obras de arte que representam figuras humanas são mães, datam de 35000 a 10000 anos antes da era crista. Foram descobertas por toda a Europa ate a África, estatuetas de Vênus, como foram chamadas pelos arqueólogos, demostram a plenitude da maternidade e a maturidade da natureza feminina. Foram esculpidas em osso, e pedra ou moldadas em barros. Estas estatuetas, eram confeccionadas, com grandes ventres, seios grandes e com coxas bem fortes, não eram simplesmente arte erótica da época. Estas estatuetas foram achadas em cômoros sagrados, suas posições em lugares sagrados e em sepulturas, estas estátuas representam lugares sagrados. Esta época o papel na concepção não era compreendido. É muito provável que o papel do pai na concepção só começasse a ser amplamente entendido a partir de cerca de 3500 anos da era Cristã.

Nada tem de surpreendente que o papel do pai tivesse passado despercebido por tantos milênios. Como uma mulher não fica grávida em todo o ato de relacionamento sexual, e vem a saber que está grávida depois que se passaram dias ou semanas, a conexão entre concepção e atividade sexual com machos não era óbvia para o homem primitivo. Para nossos ancestrais, o macho abria a vagina, mas não a colocação da vida no ventre da mulher isso era obra do poder Divino, talvez a luz da lua, ou um espírito visitante. Os mitos mundiais acerca do partenogênese, talvez a mulher até pudesse produzir a vida pôr conta própria.

Somente após o começo da civilização documentada é que a família patriarcal se estabeleceu, ou seja tarde na história humana. Os antropólogos encontraram muitas estatuetas de Vênus, e sepulturas Neanderthal, remontando à muitos milênios, com seus mortos enterrados em posição fetal, seus ossos pintados com ocra vermelha.

Simbolicamente, os defuntos tinham reentrado no ventre da mãe terra. O vermelho simbolizava o sangue da mãe, e voltaram simbolicamente para o seu encontro. Completando, o que nossos ancestrais da idade glacial sabiam ser o grande ciclo da vida, de um ventre, de uma simples mãe para a Grande Mãe ou Deusa Mãe. A identificação estreita entre a mulher com a terra, e a terra com poderes divinos, os nossos ancestrais consideraram que o poder divino que presidia à criação era feminino.

A velha religião com uma visão da vida matriarcal era uma Religião de êxtase. A arqueologia nos comprovam com desenhos e figuras humanas com olhos arregalados de assombro, seres humanos dançando com animais selvagens, alçando vôo com pássaros, dividindo domínios aquáticos com os peixes e as serpentes. Estas práticas religiosas e ritos xamânicos que sobrevivem até os dias de hoje entre povos indígenas também indicam experiências de êxtase religioso, danças, tambores, cânticos, que reencenam os mitos primevos da criação e induzem ao transe.

Não tenho duvidas que o Universo foi criado com a Magia Mantrica empregando o poder do Sol. É por isso que pontos cantados, Salmos entoados ao som de harpa e cantos gregorianos são muito mais poderosos do que simplesmente narrados. Tambem encantos em linguas mortas tem muito mais poder, porque traz forças magicas de tempos remotos e a sabedoria dos antigos Ancestrais. É por isso que os Apostolos no Templo ao serem preenchidos pelo poder do Espirito Santo, falaram em linguas estranhas, porque entraram em contato com os primeiros dialetos da Era da da Magia Criadora. E assim tambem na Umbanda temos os pontos cantados, como no esoterismo temos os mantras. E em Umbanda-Astrologica eu acredito, que ao encontro de um atros com outro, na entrada de um planeta em um signo ou casa, ou mesmo num aspecto exato, uma nota musical é tocada e o som invisivel e imperceptivel aos ouvidos humanos sáo ecoados no Cosmos criando sempre uma nova onda criadora de eventos.

Carlinhos Lima - Astrologo, Tarologo e Pesquisador.

Magos e mecânica da magia!



Pois é galera, quando se fala em magia, ou se pensa em magos e bruxos, logo nos vem a mente aqueles personagens fantasticos das fabulas, desenhos animados, filmes e lendas. Como Merlin, Magico de Oz e outros tantos magos e bruxos, apresentados pelo cinema.

Então criamos a ilusão que ao dominar a magia um mago ou bruxo real terá todo controle dela em suas mãos pra usa-la quando quiser, como nas belas historias de Harry Potter. Uma Outra coisa iportante é que muita gente acredita que o Pastor, o Padre ou orações são capazes de fazer milagres, curar ou salvar, mas, dizem que magia é ilusão. Não se dão conta que um milagre, como o que Cristo fêz, ao transformar àgua em vinho, tenha sido magia! Jesus tinha pleno controle da magia cosmica, não só como prega os seguidores e divulgadores de Reiki, mas, uma magia muito mais profunda. É por isso que muitos o chamavam de Mestre dos Mestres! E ele realmente era! Mas, perceba que ele diz: "mulher, não chegou minha hora".

E assim os magos, fortes ou não, precisam respeitar o tempo, os elementos e as Leis do Astral Superiro. Ai tá a diferença entre um verdadeiro mago, um charlatão ou um imbecil com conhecimentos magicos. O imbecial, se mete em desafiar as leis, o tempo e a propria vida. Esses passam a conhecer, adentram os portais e se tornam fortes destruidores, se tornando os famosos Magos Negros. Mas, por fim acabam destruindo muita coisa e a sí proprio.

Tudo tem que ter uma causa pra surtir um efeito! E quando tenta-se burlar as causas, ou passar por cima dos efeitos, criam-se desequilibrios cosmicos, que certamente trará punições, sofrimento e dores. E o pior é que muitas vezes os inocentes também sofrerão junto.

Enfim a magia tem toda uma mecanica, uma fonte e regras. Quem desrespeita isso, acaba entrando em choque com ela. Muitos bons magos já existiram em todos os cantos do mundo. Hoje não vemos mais, apenas magicos de espetaculos fazendo truques! Um bom sacerdote com poder de magia é coisa muito rara, mas, ainda existe. Tambem temos que saber diferencia entre o conhecedor de magia e o que opera a magia. Muitas vezes a pessoa tem conhecimentos, mas, não tem o dom, ou ela tem o dom e nao sabe usa-la. E é assim que surgem os mestres, pra orientar os escolhidos. Sempre foi assim!

E é nesse contexto que entram os guias, os anjos e orixás que nos trazem revelações. Pra você que gosta de magia, se encanta por ela, não se deixe desancatar. Apenas escolha os bons caminhos, vizando especialmene o bem estar de sua propria alma. Se você têm o chamado certamente têm o dom tambem.

Estou trabalhando num livro de magias de Umbanda, pra lançar em breve, com muitas dicas, conselhos e novidades. Se você é um estudioso, conhece encantos, historias e tem revelações e quiser colaborar é só mandar para o meu email que terei o maior prazer em inserir no contexto do livro. Axé a Todos.

Carlinhos Lima - Astrologo, Tarologo e Pesquisador.

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Banhos Especiais


BANHO DE DEFESA

Este banho serve de manutenção energética dos chacras, impedindo que eles se impregnem de energias nocivas em determinados rituais. Por exemplo, quando vamos realizar alguma oferenda numa cachoeira, é importante que nos “fechemos” para determinadas vibrações que podem estar abundantes num sítio energético, já que além de nós, todo o tipo de pessoa vai até estes lugares para pedidos escusos, com entregas “pesadas”. Usamos, também, quando vamos conhecer um outro terreiro e não sabemos se ele é ou não idôneo, pois, infelizmente, ainda existem aqueles que usam o nome da Umbanda para comercializar a fé alheia.

Quando vamos num sítio energético para determinados rituais com ou sem incorporação, enfim, “fechamos” os nossos chacras. Até mesmo para nos prevenirmos para os trabalhos com os Exus Guardiões, já que todo o tipo de problemas e situações estarão presentes na assistência. As ervas para estes banhos, podem ser aquelas relacionadas ao próprio Orixá regente da pessoa, ou aquelas que uma entidade receitar.

BANHOS DE ENERGIZAÇÃO
São recomendados para ativar e afinizar as forças dos Orixás, Protetores de Cabeça e do Anjo da Guarda. Seus principais efeitos são ativar e revitalizar as funções psíquicas, para uma melhor incorporação; melhorar a sintonia com as entidades. Este banho reativa os centros energéticos e refaz o teor positivo da aura. É um banho que devemos usar quando vamos trabalhar normalmente nas sessões. Também, podemos usá-lo regularmente, independente de trabalharmos ou não como médiuns.

AMACI
É o banho mais conhecido pelas pessoas que começam a freqüentar os Centros de Umbanda e que somente deve ser indicados por uma Entidade Espiritual ou pelo Guia Chefe do Terreiro, Pai/Mãe-de-Santo, Zelador(a) do Terreiro, Babalaô ou Chefe de Culto. É o banho que derramado da cabeça aos pés, pois é preparado de acordo com o Orixá do médium. Normalmente quando o filho esta em duvida de quem seja seu Pai ou Mãe de Cabeça, usa-se um Amaci de Oxalá, o qual rege a cabeça de todos nós, pois todos somos filhos de Oxalá. O banho de ervas (amaci) age como um neutralizador de correntes negativas, e como um energizador, dando a pessoa força suficiente, para que ela possa sair do estado em que se encontra.

BANHO DE FIXAÇÃO
Este banho é usado para trabalhos ritualísticos e fechados ao público, onde se prestará a trabalhos de magia, iniciação ou consagração. Este banho é realizado apenas por quem é médium e irá realizar um trabalho aprofundado, onde tomará contato mais direto com as entidades elevadas. Este banho “abre” todos os chacras e a percepção mediúnica fica aguçadíssima. As ervas utilizadas para este tipo de banho estão diretamente relacionadas ao Orixá regente do médium e à entidade atuante. São assim receitados apenas por um verdadeiro chefe de terreiro ou médium-magista ou pela própria entidade.

Carlinhos Lima - Astrologo, Tarologo e Pesquisador

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Animais no Altar
























O homem sempre sentiu uma força animal dentro di si. Quando falo em animal falo de todas as especies que não o homo sapiens. Os grandes mestres sempre disseram que temos um animal dentro de nós. Os chamãs por exemplo em seus rituais, sempre mentalizam ou sentem a força de animais selvagens com energias fluindo fazendo o corpo vibrar. Como por exemplo um logo, uma onça ou uma ave. Veja que a aguia faz parte da bandeira de varios paises. Como tambem na Biblia, temos muitas citações em relação aos animais principalmente na ritualistica sagrada. Não é a toa que os animais sempre fizerma parte dos altares de todas as religiões.

Eram sempre usados varios tipos de animais em rituais, especialmente os sacrificiais. De certa forma o sacrificio de Cristo, é um ritual mais evoluido das praticas ritualisticas de todos os tempos, que empregavam os sacrificios de animais em oferta aos deuses. No Candomble por exemplo existe o uso em rituais usando varios tipos de animais. Vemos que no egito os deuses eram vistos com aspectos de animais, ou com caras, olhos, bocas, chifres e até totalmente em forma de animal. Tambem foram desenvolvidas diversas formas de lutas marciais que empregam o movimento dos animais na arte da luta. Como por exemplo o Kungfu, a Capoeira e muitas outras.

Uma outra coisa muito profunda é a simbologia do Zodiaco de varios povos que sempre empregou a imagem de animais, para simbolizar o signo do nativo nascido num certo periodo. E até mesmo a elaboração do mapeamento do céu usou a forma animal para nomear a maioria das constelações. Isso porque o ser humano sempre capta essa forma animal no sagrado. Vemos que até mesmo no sexo, o homem usa muitas posições no ato, inspirado na posição usada por animais. E olha que tem umas que é preferencia por unanimidade! Até mesmo os Evangelhos nos mostra a ação do Criador descendo sobre Jesus em forma de pomba. Como tambem visitando Moisés em forma de aguia. No fundo sabemos que cada ser humano tem um animal dentro de si. Sendo que uns tem total controle sempre ele e outros não.

E assim tambem cada orixá tem seu animal preferido, como Ogum que está sempre ligado ao cavalo, como tambem na Umbanda-Astrologica pelo signo de Aries ligado ao Caneiro. E assim por diate. Descubra qual animal mais mexe com sua natureza, meditando, fazendo uma reflexão dos seus atos e de suas emoções. Tambem que seu signo age internamente dentro de você, saiba que um ariano tem mais iniciativa para a guerra, um escorpiano mais inciativa pra vingança e assim se segue. Sabendo no entanto que tudo pode ser amplificado, minimizado ou até anulado dependendo das configurações gerais do mapa.

Segundo as Escrituras a desgraça do homem sempre veio em simbologia animal. Primeiro a Serpente tenta ao casal no paraiso. Depois temos a adoração de um bezerro de ouro pelo povo no dezerto e muitos outros fatos ligados ao demonio com ligação com o simbolismo animal. Como por exemplo, uma legião de demonios que foi tirados de um homem e colocando em porcos por Jesus. Mas, tambem temos a citação do Salvador simbolizado como um Cordeiro Divino, o Leão da Tribo de Judá e a Pomba do Paraclíto Santo, uma das Tres Pessoas da Santissima Trindade. Então que cada um possa sentir a força de seu animal interno de forma positiva, como um tigre ou um leão como foi compreendido, nas forças vitais descritas por Sidharta o Buda.

Carlinhos Lima - Astrologo, Tarologo e Pesquisador.

A Grande Maga da Encruza



A SENHORA DA ENCRUZA.
Na Umbanda, a entidade espiritual que se manifesta incorporada em suas médiuns está fundamentada num arquétipo desenvolvido à partir da entidade Bombogira, originária do culto Angola. Mas ela não se manifesta apenas em mulheres como também nos homens. Nos cultos tradicionais oriundos da Nigéria não havia a entidade Pombagira ou um Orixá que a fundamentasse. Ela era apenas a parte feminina da personalidade de Exu. Mas, quando da vinda dos nigerianos para o Brasil (isto por volta de 1800 ou um pouco antes), estes aqui se encontram com outros povos e culturas religiosas e assimilam a poderosa Bombogira angolana que, muito rapidamente, conquistou o respeito dos adoradores dos Orixás. Porque sabemos da dualidade contida na natureza e ela está presente também em Exu.

E com o passar do tempo às formosas e provocativas Bombogira conquistou um grau análogo ao de Exu e muitos passaram a chamá-la de Exu Feminino ou de mulher dele. Na minha visão de Umbanda-Astrológica eu a vejo como a companheira de Exu, a Lilith, a Lua em sua fase negra, mas, de certa forma a outra metade de Exu ou sua natureza feminina é também aceitável. Porque sabemos que todos os seres muito provavelmente se dividiram, mas eram no principio hermafrodita. No entanto mesmo se dividindo resta ainda em cada ser uma parte do outro sexo.

No entanto, Bombogira marota e astuta como só ela é, foi logo dizendo que era mulher de sete exus, uma para cada dia da semana, e, com isso, garantiu sua condição de superioridade e de independência. E não é possível se encontrar poderosas Pombagiras comandando vários exus com toda força de comando e inteligência magisticas.

Na verdade, num tempo em que as mulheres eram tratadas como inferiores aos homens e eram vítimas de maus tratos por parte dos seus companheiros, que só as queriam para lavar, passar, cozinhar, dar prazer na cama e cuidar dos filhos, eis que uma entidade feminina baixava e extravasava o “eu interior” feminino reprimido à força e dava vazão à sensualidade e à feminilidade subjugadoras do machismo, até dos mais inveterados machistas.

Mas sua força, além de complexa, trouxe confusões a muita gente. Aumentando assim fortemente a homossexualidade e comportamentos libidinosos nas pessoas. Sendo que o período mais pesado ocorreu com a passagem de Plutão pelo signo de Escorpião, a qual amplificou muito a liberdade sexual, mas também trazendo ao mundo o surgimento da AIDS com muita força destrutiva, a qual vem tirando o sossego da humanidade até hoje.
Pombagira foi logo no início de sua incorporação dizendo ao que viera e construiu um arquétipo forte, poderoso e subjugador do machismo ostentado por Exu e por todos os homens, vaidosos de sua força e poder sobre as mulheres. Enganam-se quem pensa que esta entidade só atua no Brasil. Ela trabalha em todos os continentes sob variadas formas e com diversos nomes.

Pombagira construiu o arquétipo da mulher livre das convenções sociais, liberal e liberada; exibicionista e provocante; insinuante e desbocada; sensual e libidinosa, quebrando todas as convenções que ensinavam que todos os espíritos tinham que ser certinhos e incorporarem de forma sisuda, respeitável e aceitável pelas pessoas e por membros de uma sociedade repressora da feminilidade. Mas isso não é nem de longe benéfico a humanidade, não foi daí que surgiram o adultério, prostituição infantil, trafico de mulheres ou de drogas, mas foram amplificados, pela incompreensão das pessoas ao lhe dar com a verdadeira energia oculta da natureza de Bombogira. Essa é sim uma força muito perigosa. Conheço vários Pais-de-santo que pagaram caro por usaram exageradamente essa energia.

Ela foi logo se apresentando como a "moça" da rua, apreciadora de um bom champagne e de uma saborosa cigarrilha, de batom e de lenços vermelhos provocantes. Mas esse não é nem de longe seu perfil verdadeiro. Essa é sim a Senhora ainda em evolução, que está em busca da luz espiritual. Ela é enxergada assim, porque assim se apresentam as que trabalham mais próximas do terra/terra. Mas na verdade a Bombogira já elevada ao posto de Senhora das Encruzas ou Rainha, não deseja nem necessita desse tipo de oferenda, ele e já um orixá e trabalha pelo equilíbrio da sexualidade humana.

"O batom realça os meus lábios, o rouge e os pós ressaltam minha condição de mulher livre e liberada de convenções sociais". Vejam nessa afirmação, que se trata de arquétipo ainda em evolução; que está em luta constante com as regras e que por isso requer também uma intervenção direta dos médiuns, pois a Umbanda e Quimbanda se entrelaçam em seus triângulos, sendo que a ajuda precisa ser mutua.

Escrachada e provocativa, ela mexeu com o imaginário popular e muitos a associaram à mulher da rua, à rameira oferecida, e ela não só não foi contra essa associação como até confirmou: "É isso mesmo"! Mas não se enganem, pois há um segredo oculto por traz de tudo isso que só os verdadeiros buscadores vai compreender. E todos se quedaram diante dela, de sua beleza, feminilidade e liberalidade, e como que encantados por sua força, conseguiram abrir-lhe o íntimo e confessarem-lhe que eram infelizes porque não tinham coragem de ser como elas. No entanto muitos exageram nessa busca pela tal “liberdade”, pois o homem tem a ilusão de que pode fazer o que quiser, mas ele vive debaixo de Leis.

Daí coloca para fora seus recalques, suas frustrações, suas mágoas, tristezas e ressentimentos com os do sexo oposto. No entanto nem todos conseguem entender qual realmente é a verdadeira mensagem que essa Senhora nos quer passar. Mas, a todos eles ela ouviu com compreensão e a ninguém negou seus conselhos e sua ajuda num campo que domina como ninguém mais é capaz. Sua desenvoltura e seu poder fascinam até os mais introvertidos que, diante dela, se abrem e confessam suas necessidades. Mas em meio a tudo isso muitos só conseguem confusão, por que a vêem como uma simples escrava, que recebe pagamentos nas encruzilhadas e que usara sua magia para realizar pedidos.

Um outro erro notado em quase todas as casas de culto é o limitado numero de Pombagiras. Muitos chefes de terreiro só identificam Pombagira com poucos nomes sendo que a mais conhecida é Maria Padilha. Não sabendo que temos Pombagiras, do fogo, da água, do vento, das flores etc., e que cada uma tem uma afinidade, missão e atua num plano de ação muito bem definido.

Passou-se a admirar e amar esse fantástico arquétipo tão humano e tão liberalizado de sentimentos reprimidos à custa de muito sofrimento. Pois grande parte da humanidade se identifica facilmente com ele. Pombagira é isto. É um dos mistérios do nosso divino criador que rege sobre a sexualidade feminina.

Critiquem-na os que se sentirem ofendidos com seu poderoso charme e poder de fascinação. Ela é a Kundalini Sagrada e em seu estado mais elevado quando se encontra repleta de Luz, pertence à Corrente Astral de Afrodite, atuando até mesmo como Eros.

Amem-na e respeitem-na os que entendem que o arquétipo é liberador da feminilidade tão reprimida na nossa sociedade patriarcal onde a mulher é vista e tida para a cama e a mesa. Saibam que assim como a mulher não é só para estes afazeres, a Pombagira também não se presta apenas a atender pedidos e realizar desejos. Antes ela é um desafio que requer de nós compreensão e ajuda-nos a evoluir nossa espiritualidade por meio de nossos sentimentos.

Com isso feito, críticas contrárias à parte, o fato é que o arquétipo se impôs e muita gente já foi auxiliada pelas "Moças da Rua", as companheiras de Exu. E quem compreendeu seu verdadeiro sentido e auxilio conseguiu sim evoluir e aliviar o carma.

A espiritualidade superior que arquitetou a Umbanda-Astrológica sinalizou à todos que não estava fechada para ninguém e que, como Cristo havia feito, também acolheria a mulher infiel, mal amada, frustrada e decepcionada com o sexo oposto e não encobriria com uma suposta religiosidade a hipocrisia das pessoas que, "por baixo dos panos", o que gostam mesmo é de tudo o que a Pombagira representa com seu poderoso arquétipo. Mas, a maioria das pessoas não consegue admitir que tenha uma natureza cheia de defeitos que precisa ser remodelada e amoldada conforme suas necessidades carmicas.

Aos hipócritas e aos falsos puritanos, pombagira mostra-lhes que, no íntimo, ela é a mulher de seus sonhos, mais profundos, intensos e desafiadores, mas também seus pesadelos; provocando-o e desmascarando seu falso moralismo, seu pudor e seu constrangimento diante de algo que o assusta e o ameaça em sua posição de dominador. Por isso muitos se achando melhor que os demais passam a andar com uma Bíblia debaixo do braço dizendo que somente o Cristo é que importa. E só porque não trabalha nos sábados, paga o dizimo e vão à igreja todos os dias tem muita luz no espírito, se tornando uma pessoa sem pecados.

Esse arquétipo forte e poderoso já pôs por terra muito falso moralismo, libertando muitas pessoas. E não adianta ficar o tempo todo com a Bíblia na mão achando que se livrou dessa companhia, pois ele é parte de cada ser humano e se manifesta no sexo, nos desejos, como também no subconsciente. Certamente se Freud tivesse conhecido essa força desafiadora ele não teria sido tão atormentado com suas descobertas sobre a personalidade oculta dos seres humanos. Mas para azar dele e sorte nossa, a Umbanda tem nas suas Pombagiras, ótimas psicólogas que, logo de cara, vão dando o diagnóstico e receitando os procedimentos para a cura das repressões e depressões íntimas.

No entanto, temos infelizmente muitas Pombagiras involuidas que trabalham em terreiros mal conduzidos que só fazem levar ao povo muitas confusões e desequilíbrios, muitas vezes irreversíveis. Afinal, em se tratando de coisas íntimas e de intimidades, nesse campo ela é mestra e tem muito a nos ensinar, mas quando o ensinamento vem de mãos erradas induzindo a erros, como tomar o parceiro do próximo, ou jogar maldições, só o que se encontra é desarmonia.]

Seus nomes, quando se apresentam, são simbólicos ou alusivos. E o pior é que a maioria dos templos só conhece e trabalha com um numero limitado de personificações. Na verdade existe uma quantidade quase inumerável de Pombagiras que trabalham na Linha de todos os Orixás. E tenham por certo que cada uma delas tem a afinidade perfeita com a energia cósmica de seu médium. Uma Pombagira das Sete Encruzilhadas para uma pessoa atua diferente para outra conforme o elemento, o signo e o seu poder ou grau na Hierarquia.

Também como os orixás, existem as definições por ciclos, sendo que umas trabalham na linha vibratória dos Guias, outras com os Protetores e as mais fortes com os Orixás Menores. Para ter uma noção mais profundo sobre isso é que eu crie a UMBANDA-ASTROLÓGICA, um método inovador que estuda com precisão o mapa natal do individuo e tem uma visão mais profunda do que uma consulta por incorporações.

Que a Senhora Pombagira das Almas, traga luz ao caminho de todos os brasileiros na caminhada e na busca espiritual, trazendo amor para todos. E o mais necessário prudência!

O simbolismo dos nomes é típico da Umbanda porque na África, ele não existia e o seu arquétipo anterior era o de uma entidade feminina que iludia as pessoas e as levavam à perdição. Já na Umbanda e agora mais aprofundado aos astros na UMBANDA-ASTROLOGICA, é a configuração astrológica que vale, sendo que a própria posição das forças astrais apresentadas na hora do nascimento é que contem a visão da força que representa o lado oculto dos nativos. Assim orienta e ajuda a todos os que as respeitam e as amam, confiando-lhes seus segredos e suas necessidades, porque elas podem buscá-la com muito mais precisão e firmeza.

Elas são ótimas psicólogas e podem orientar também nas giras de bons terreiros, mas nem todos estão aptos a entender seus ensinamentos. Sabemos que são muito boas psicólogas e se a procurarmos seus conselhos com a mente aberta e o coração limpo vamos sim encontrar uma resposta. E que psicólogas! "Salve as Moças da Rua"! No tarô poderemos identificá-la nos arcanos, assim como na Umbanda-Astrológica, através não de uma só força ou ponto, mas de uma leitura completa de toda configuração revelada.

No seu mapa de UMBANDA-ASTROLOGICO, analisa-se quais correntes, falanges e em cada grua que a Pombagira trabalha.

Carlinhos Lima – Astrólogo, Tarólogo e Pesquisador.

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Conceitos: Cultos afros, Candomblé e Umbanda-Astrologica


As diferentes sociedades e culturas têm concepções próprias do tempo, do transcurso da vida, dos fatos acontecidos e da história. Em sociedades de cultura mítica, também chamadas sem-história, que não conhecem a escrita, o tempo é circular e se acredita que a vida é uma eterna repetição do que já aconteceu num passado remoto narrado pelo mito.

Na verdade o pensamento magico nasceu da vontade do homem em compreender os fenômenos a sua volta. E esse pensamento magico, nasceu juntamente com o primeiro ato de pensar. Desde o primeiro momento que o homem se viu apto a pensar ele passou imediatamente em analisar o ambientte à sua volta.

E nessa ànalise ele começou a se inclinar ao lado magico de tudo que existia em torno de si. Mas, não era só o que ele via que lhe intrigava, mas, principalmente o que não podia vêr, entender ou tocar.

Dessa vontade em compreender sempre mais foi que ele ficou cada vez mais inclinado a buscar o desconhecido, que ao mesmo tempo passou a ser amedrontador, desafiador e sagrado. Assim nesse seu intuito de buscar captar que ele foi aflorando o dom da comunicação por meio energetico e telepatico com outras dimensões, mundos e formas. E sentia em sua alma que tinha que se religar à algo muito maior que sua mente consciente podia entender e que precisava buscar entender.

Assim foram vindo as ideias que iriam gerar os elos com outros mundos, dimensões, pensamentos e buscas, gerando o espaço de onde surgiriam as religiões. Se investigarmos um passado distante, passaremos por muitas formas de culto, de fé, de magia e de encontros que muitas vezes deixava nossos ancestrais ora felizes, ora confusos! E são muitas as mudanças, confusões e revelações. Assim cabe a cada um buscar suas metas, seus caminhos e se encontrar com seu "Deus Interior".

As religiões afro-brasileiras, constituídas para nós a partir de tradições africanas trazidas pelos escravos, cultivam até hoje uma noção de tempo que é muito diferente do “nosso” tempo, o tempo do Ocidente e do capitalismo (Fabian, 1985). A noção de tempo, por se ligar à noção de vida e morte e às concepções sobre o mundo em que vivemos e o outro mundo, é essencial na constituição da religião.

Muitos dos conceitos básicos que dão sustentação à organização da religião dos orixás em termos de autoridade religiosa e hierarquia sacerdotal dependem do conceito de experiência de vida, aprendizado e saber, intimamente decorrentes da noção de tempo ou a ela associados. Assim, muitos aspectos das religiões afro-brasileiras podem ser melhor compreendidos quando se consideram as noções básicas de origem africana que os fundamentam. Mas, isso se aplica à todas as religiões, pois, o religioso terá um campo muito mais amplo à sua frente, pra desenvolver seu espirito se tiver essa noção bem focada em suas buscas.

Da mesma maneira se pode ampliar o conhecimento sobre valores e modos de agir observáveis entre os seguidores dessas religiões quando consideramos a herança africana original em oposição a concepções ocidentais com que a religião africana teve e tem de se confrontar no Brasil, sobretudo nas situações em que concepções de diferentes origens culturais se opõem e provocam ou propiciam mudanças naquilo que os próprios religiosos acreditam ser a tradição afro-brasileira, seja ela doutrinária, seja ritual.

No entanto, uma coisa que tenho percebendo ao longo de mais de uma decada de pesquisas é que direcionar uma religião como tendo uma só origem, limita, confunde e as vezes distorce todos os conceitos. Na verdade, nós não podemos negar que os cultos afro-brasileiros, em especial do Candomblé tem sim grande maioria de seus conceitos embasados na Africa. Mas, se buscarmos nos aprofundar com uma enfase maior nas origens de cada ensinamento, tradição e luta dos Ancestrais, vamos perceber que as origens vêm de um lugar muito mais distante e longincuo.

As noções de tempo, saber, aprendizagem e autoridade, que são as bases do poder sacerdotal no candomblé, de caráter iniciático, podem ser lidas em uma mesma chave, capaz de dar conta das contradições em que uma religião que é parte constitutiva de uma cultura mítica, isto é a-histórica, se envolve ao se reconstituir como religião numa sociedade de cultura predominantemente ocidental, na América, onde tempo e saber têm outros significados.

O candomblé é a religião dos orixás formada na Bahia, no século xix, a partir de tradições de povos iorubás, ou nagôs, com influências de costumes trazidos por grupos fons, aqui denominados jejes, e residualmente por grupos africanos minoritários.

O candomblé iorubá, ou jeje-nagô, como costuma ser designado, congregou, desde o início, aspectos culturais originários de diferentes cidades iorubanas, originando-se aqui diferentes ritos, ou nações de candomblé, predominando em cada nação tradições da cidades ou região que acabou lhe emprestando o nome: queto, ijexá, efã (Silveira, 2000; Lima, 1984).

Assim se ele se divide conforme o costume de cada cidade originaria, podemos assegurar, que receberam influências dos costumes dessa terra (Brasil) e uma dessas influencias bem destacada foi a indigena. Como também a Cristã, a Espirita e muitas outras. Assim como a Umbanda incorporou muitos outros conceitos em suas tradições, o Candomble recebeu da mesma forma adaptações pra sobreviver ao longo dos tempos.

Esse candomblé baiano, que proliferou por todo o Brasil, tem sua contrapartida em Pernambuco, onde é denominado xangô, sendo a nação egba sua principal manifestação, e no Rio Grande do Sul, onde é chamado batuque, com sua nação oió-ijexá (Prandi, 1991).

Outra variante iorubá, esta fortemente influenciada pela religião dos voduns daomeanos, é o tambor-de-mina nagô do Maranhão. Além dos candomblés iorubás, há os de origem banta, especialmente os denominados candomblés angola e congo, e aqueles de origem marcadamente fom, como o jeje-mahim baiano e o jeje-daomeano do tambor-de-mina maranhense. Foram principalmente os candomblés baianos das nações queto (iorubá) e angola (banto) que mais se propagaram pelo Brasil, podendo hoje ser encontrados em toda parte.

O primeiro veio a se constituir numa espécie de modelo para o conjunto das religiões dos orixás, e seus ritos, panteão e mitologia são hoje praticamente predominantes. O candomblé angola, embora tenha adotado os orixás, que são divindades nagôs, e absorvido muito das concepções e ritos de origem iorubá, desempenhou papel fundamental na constituição da umbanda, no início do século xx, no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Hoje, todas essas religiões e nações congregam adeptos que seguem ritos distintos, mas que se identificam, nos mais diversos pontos do País, como pertencentes a uma mesma população religiosa, o chamado povo-de-santo, que compartilha crenças, práticas rituais e visões de mundo, que incluem concepções da vida e da morte. Terreiros localizados nas mais diferentes regiões e cidades interligam-se através de teias de linhagens, origens e influências que remetem a ascendências que convergem, na maioria dos casos, para a Bahia, e que daí apontam, no casos das nações iorubás, para antigas e, às vezes, lendárias, cidades hoje situadas na Nigéria e no Benim.

E assim buscamos, procurar entender como e por quê as antigas heranças religiosas vão sofrendo mudanças e adaptações no contexto das transformações socio-culturais que modelam o Brasil atual. Assim é fato que muitas das conclusões podem ser, em maior ou menor grau, aproximadas para o conjunto das religiões afro-brasileiras, quando não extravasadas para além do universo estritamente religioso, em outras dimensões da cultura popular brasileira.

Na verdade as religiões sofrem ou absorvem interferencias, influências ou ajustamentos vindos de outras culturas, conceitos e religiões, não só pra se adaptaram as mudanças das eras, ou simplesmente pra sobreviverem ao tempo, mas, tudo nos faz perceber que toda religião, busca e crenças, têm na verdade a mesma origem. E assim vão se agrupando, as vezes harmoniosamente, as vezes passam por choques violentos, mas, sempre acabarão se absorvendo. E não são só os conceitos, culturas, tradições e formas que vão se agrupando.

Na verdade o saber essêncial vai se procurando, se projetando e fundindo muito bem. Portanta a busca de entendimento, sempre vai gerar novos conceitos, afim de facilitar sua compreensão. Por isso se unem muitas novas formulas pra que a praticidade, teorias e revelações sejam masi acessiveis a todo buscador.

Assim nasceu a Umbanda-Astrologica, que substitui, mas, não exclui os antigos oráculos. No entanto, agrega o conhecimento cosmico da Astrologia, que utiliza a simbologia sagrada dos Antigos Mestres Ancestrais, como também o mais perfeito Livro sagrado da Vida no universo que é o céu. Com seus bilhões de estrelas, galaxias e luz.

Axé a Todos!
Carlinhos Lima - Astrologo, Tarologo e Pesquisador.

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

A magia em tempos modernos

A magia na era moderna não é mais aquela coisa onde se seguia o lado ocultissimo que chegava a assustar os humanos. Na busca por poder, quase num devaneio louco querendo se tornar um deus, o homem mexia com muitos tipos de elementos, se perdendo no caminho, onde na maioria das vezes, o maravilhoso religare, ligavam-nos, ao mundo da escuridão, por via do complexo, culpa, lado sombrio da alma ou simplesmente por burlar as leis do Astral Superior.

Hoje com tanta informação, tanto na mídia, quando na vida diaria, encontramos realmente uma melhor aplicação dos esforços pelos buscadores, no caminho do conhecimento. Mas, mesmo hoje, sabemos que muita gente perde muito tempo, por acabarem sendo ludibriadas, por falsos profetas, que sonham, e muitas vezes conseguem realizar, a meta de se tornarem reis da terra. Alguns usam a Biblia, que nem eles mesmos acreditam, pra usar as belas mensagens contidas nos livros pra manipular. Será que alguém que deboxa dos milagres biblicos, como os feitos pelo

Grande Mago Moisés e seu cajado, acredita mesmo na Biblia? Se acha que Deus não seria capaz de fazer aguá sair de uma rocha, acreditaria que o poder de Deus é tão grandioso? Eu tenho certeza que não! Mas, sempre esses caras de pau, encontram pessoas manipulaveis, onde geralmente entram em contato, num momento dificil, tornando-se muito facil de serem manipulados.

Mas, a nova e grande Era de portais poderosos que estão proximos de sua abertura cosmica, trará mudanças, onde muitos picaretas serão desmascarados. O imbecil que se deu bem com suas demagogias, usando a Biblia pra ludibriar, certamente rí, das criticas, pois, acha que seu imperio é intocavel, porque hoje ele tem grana e poder. No entanto, já existiram muitos outros imperios poderosos, que a verdade, acabou destruindo.

A magia hoje não suporta comportamentos banais, a magia de hoje, não quer idolatrias, mas, também não quer superficialidades. Pra trilharmos o caminho da magia, temos sim que dar as mãos ao sagrado, mas, evitando o fanatismo, sectarismo, ou escravidão do proximo. A magia hoje opera pelas conexões da internet, através das mensagens do Twitter, das ondas de radio ou Tv e ainda no dialogo entre amigos.

Você que é um escolhido, uma hora ou outra irá ouvir o chamado de Dã a grande Serpente, que cura a alma dos rancorosos ou sentir o veneno, dessa mesma serpente que mata os mentirosos sedentos que agem tomados pela inveja sobre seus irmãos.

Magia hoje não se opera na surdina, mas, a céu aberto e em conexão com ele. Hoje a magia, pode está num movimento de musica, nas expressões da arte, ou até mesmo no uso da sexualidade. Mas, não apenas, infiltrando simbolos, obscuros, conectando-se a demonios ou fazendo rituais macabros. Na verdade o bom é vivenciar a harmonia com o universo, tanto o macro-cosmos, quanto o micro-cosmo. Porém não esperemos apenas, pela força mental, seguindo dicas do "Segredo", pois, a magia em sua grande maioria de manifestações é involuntaria, agindo de cima pra baixo, nossa mente na verdade, é só um canal.
Hoje em dia, em especial no Mundo Ocidental, somos todos livres pra vivenciar a magia. Ela pode ser manifestada hoje, não só atraves das manifestações religiosas ou ritualisticas, mas, através do comportamento. Esse comportamento, pode despertar e liberar a magia, pelo uso da libido, na expressão corporal, quando alguém num palco faz liberar a emoção, ou aumentar os niveis de humor de outros individuos. Quando uma mulher exibe suas curvas deliciosas, seja mais erotica ou artisticamente, vai fazer com que outros individuos que presenciam, liberem hormonios, sentimentos, desejos e saciamento da curiosidade contidas na alma, do desejo da observação visual. Então via com bem estar, viva em harmonia com a magia. Axé a todos!

Carlinhos Lima - Astrologo

O Orixá de Cabeça




Existem vários modos de se conhecer este protagonistas espirituais, que nos acompanham em nossa jornada. Pode-se saber diretamente através dos mesmos; através de videntes; através de oráculos; enfim, de diversas formas.

Através do Esoterismo de Umbanda, que reúne conhecimentos de várias origens, visando oferecer parâmetros para o "porquê" de se estar aqui, nesta jornada, e, principalmente, sobre o como se instrumentalizar para enfrentar os grandes desafios da vida, promove-se a convergência entre os diversos conhecimentos de Tradições da Humanidade, herméticas ou não, oferecendo a "chave" alquímica para o entendimento da sua evolução.

Para a identificação dos Seres Espirituais que nos cercam e exercem diversos papéis, existe um modo simples de identificação, esclarecendo dúvidas e oferecendo segurança aos Médiuns de Umbanda. As Tradições, como o Aumbhandan, através de seus simbolismos, estudam e interpretam o indivíduo como um ser indissociável de um conjunto eterno e infinito.

Aproveitando a Correlação entre as "Vibrações Ancestrais" e a "Estrada dos Anjos e da Vida", pode-se conhecer as Influências Místicas que agem sobre o indivíduo. Para esta identificação é necessário o "Levantamento do Céu" no exato momento do seu nascimento ou seja, como estavam posicionados os Astros Celestes no exata hora do primeiro "hausto de vida" (nascimento), que pode ser obtido através de uma "Carta Natal" (Considerando que, a montagem desta carta exige algum conhecimento de Astrologia, recomenda-se obter junto a um Astrólogo ou através de programas específicos para tal fim, que você encontra na internet).
Considero ser de suma importância determinar qual o "Jogo" de Relacionamento de Forças e Vibrações que imperavam no momento em que alguém absorve seu primeiro "Hausto de Vida" – nascimento – o qual irá sempre, não determinar, mas sim influenciar aquilo que esta pessoa se dispuser a realizar nesta jornada terrestre: o Destino.

No momento do primeiro "Hausto de Vida" da pessoa que nasceu pode se identificar todas as entidades atuantes na vida de uma pessoa. Um detalhe importante, que deve ser observado: o Signo Ascendente. Enquanto o Signo Solar é aquele pelo qual o Sol estava transitando no período do nascimento (Relativo à Vibração Original), o Ascendente é o signo que estava "subindo" na linha do horizonte neste mesmo instante. Como os Signos estão associados aos Astros Celestes, aquele que está vinculado ao Signo Ascendente tem a sua importância bem definida. Na Astrologia o Astro Celeste correspondente ao Signo Ascendente é tido como o "governante" do mapa, no Esoterismo de Umbanda pode-se traduzi-lo como sendo aquele que representa a "Entidade Protetora".

Para aqueles que estão inseguros ou mesmo não sabem os nomes das Entidades que se manifestam, podem estar certos de que elas são integrantes de quaisquer uma das Falanges que forem identificadas, determinadas pelo "Poder Volitivo das Vibrações Originais", registradas pelos Astros Celestes no momento exato do início da sua jornada.

Carlinhos Lima - Astrologo, Tarologo e Pesquisador.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Marcadores