Total de visualizações de página

A pombagira

sábado, 6 de julho de 2019

Astrofísica: Origem de misteriosas explosões de ondas de rádio é detectada


Grandiosa explosão misteriosa de ondas de rádio foi localizada com precisão em uma grande galáxia a uma distância de 3,6 bilhões de anos-luz.

"Este é o grande avanço que esperamos desde que os astrônomos descobriram rápidas explosões de rádio em 2007", afirma Keith Bannister, que lidera o estudo, da agência nacional de ciência da Austrália.
A localização foi tão precisa que o autor do estudo afirma que, se o local estivesse na Terra, poderia dizer não apenas a cidade onde a explosão surgiu como também o código postal e o quarteirão.
A equipe liderada por australianos realizou a descoberta utilizando um novo radiotelescópio da Organização de Pesquisa Científica e Industrial da Commonwealth (CSIRO), a agência científica australiana.

Antenas do radiotelescopio ASKAP na Austrália 



Agora, os astrônomos esperam descobrir as causas das explosões rápidas de rádio, que continuam desconhecidas.
A descoberta foi publicada pela revista Science e está entre as mais significativas desde a descoberta de FRB em 2007, conforme o jornal Daily Mail.
Desde 2007, foram detectadas apenas 85 explosões cósmicas de ondas de rádio, sendo que a maioria delas é "one-off", enquanto que uma pequena parte são "repetidores" que se repetem no mesmo lugar.
Esta é a primeira vez que os astrônomos conseguem obter a localização exata de uma ondulação "única", segundo o portal Socientífica.
A tecnologia utilizada pela equipe foi o radiotelescópio australiano Square Kilometre Array Pathfinder (ASKAP), que possui 36 antenas parabólicas, com a explosão chegando a cada uma em um tempo ligeiramente diferente, permitindo o cálculo de sua origem.
"A explosão que localizamos e sua galáxia hospedeira não se parecem em nada com um 'repetidor' e seu hospedeiro. Ela vem de uma enorme galáxia que está formando relativamente poucas estrelas", afirmou o Dr. Adam Deller, da Universidade de Tecnologia de Swinburne.
O fato sugere que as rajadas de rádio podem ser produzidas em uma variedade de ambientes, ou que as explosões sejam geradas por um mecanismo diferente para o repetidor.
Após a descoberta, a equipe analisou a distância e outras características utilizando o telescópio Gemini South, em conjunto com o Observatório W.M. Keck e o Very Large Telescope (VLT).

© AFP 2019 / ANDREW HOWELLS/CSIRO
Impressão artística de uma explosão rápida de rádio
Os dados obtidos durante o estudo, confirmaram que a luz havia deixado a galáxia há aproximadamente 4 bilhões de anos, disse Nicolas Tejos, da Pontifícia Universidade Católica de Valparaíso.
A partir das minúsculas diferenças de tempo foi possível identificar a galáxia inicial da explosão, além do ponto de partida a 13.000 anos-luz do centro da galáxia, ressalta Deller.
O atual objetivo da equipe é utilizar as explosões rápidas de rádio como sondas cosmológicas, tal como fazemos com os raios gama, quasares e supernovas.

'Sensação arqueológica': ruínas descobertas de antigo império revelam achados únicos (Fotos)



O trabalho dos cientistas agora consiste em tentar traduzi-las para desvendar os segredos de um império pouco conhecido que existiu há milhares de anos.

Uma equipa de arqueólogos descobriu recentemente no norte do Iraque as ruínas do Palácio Kemune, com 3.400 anos de idade, que fazia parte do Império Mitani.
Um dos cientistas que está fazendo investigações no local descreveu o achado como "uma das descobertas arqueológicas mais importantes na região nas últimas décadas", escreve o Deutsche Welle citando o anúncio feito pela Universidade de Tubinga (Alemanha).
descoberta se tornou possível graças à seca que afetou a região, o que causou a descida do nível da água no reservatório da represa de Mossul, no Curdistão iraquiano, revelando ruínas que antes estavam submersas.
⭕️ Archaeologists uncover palace of the Mittani Empire in the Duhok province of the Kurdistan Region/ Iraq
ℹ️
https:// news-and-publications/press-releases/press-releases/article/archaeologists-uncover-palace-of-the-mittani-empire-in-the-duhok-province-of-the-kurdistan-region-i/ 
ℹ️
http://www.

Arqueólogos descobrem palácio do Império Mitani, na província de Dahuk, no Curdistão iraquiano
Durante as escavações, os cientistas encontraram cerca de 10 placas de argila com escrita cuneiforme.
Entretanto, a equipe de investigação teve tempo limitado para conseguir explorar o palácio, sendo que as águas começaram a subir fazendo com que o local ficasse submerso de novo.
"Também encontramos paredes pintadas em tonalidades vivas de vermelho e azul. No segundo milênio a.C., os murais eram provavelmente uma característica típica dos palácios do antigo Oriente Próximo, mas raramente os encontramos preservados. Descobrir pinturas murais em Kemune é uma sensação arqueológica", disse Ivana Puljiz da Universidade de Tubinga.
Ela também ressaltou que o Império Mitani "é um dos impérios menos investigados no antigo Oriente Próximo", destacando que nem a capital do império foi ainda identificada.
Segundo escreve o jornal, os cientistas vão agora tentar traduzir as placas de argila encontradas para tentar obter mais informações sobre a estrutura interna do Império Mitani.




À beira da morte: estudo tenta revelar mistérios do 'outro lado' da vida



Estudo realizado por cientistas alemães, dinamarqueses e noruegueses indica que uma de cada dez pessoas passam pelas chamadas experiência de quase morte (EQM).

Estas experiências místicas, que incluem sensações extracorpóreas, alucinações visuais ou auditivas, pensamento acelerado, distorção de tempo e outros sintomas físicos e espirituais, são comuns tanto em pessoas que passam por situações realmente mortais, como ataques cardíacos, acidentes de carro, afogamento ou combate, bem como entre aquelas que não estão à beira da morte, segundo estudo publicado pela revista MedicalXpress.
Escavação mostra esqueleto de criança enterrado durante ritual no Peru, datado por volta de 1450

Os pesquisadores entrevistaram 1.034 pessoas de 35 países, que foram selecionadas para colaborar com o estudo, indicando se alguma vez haviam passado por experiências de quase morte.
Aqueles que responderam afirmativamente deram detalhes que foram avaliados na base da chamada escala Greyson, que mede as experiências de quase morte em função de 16 sintomas específicos.
No total, 289 pessoas afirmaram ter passado pela EQM, sendo que 106 delas alcançaram o nível 7 na escala de Greyson, o que confirma uma experiência verdadeira.
As experiências mais comuns foram a percepção desregrada do tempo (87%), pensamento acelerado (65%), intensidade excepcional dos sentidos (63%) e sensação de estar separado de seu corpo (53%).
Além disso, 73% das pessoas definiram a EQM como desagradável, enquanto que 27% definiram como agradável.

Em meio a 'corrida de OVNIs' com China, EUA aprovam patente de veículo similar a objeto voador



O Escritório de Patentes e Marcas dos EUA (USPTO) supostamente não teria revelado por que decidiu aprovar a patente para este veículo futurista, que havia sido rejeitada anteriormente.

Depois que um cientista da Marinha dos EUA, chamado Salvatore Cezar Pais, registrou a patente para um objeto voador incomum, parece que o documento recebeu o aviso de permissão em meio a preocupações de que a China poderia estar desenvolvendo uma tecnologia similar, informa The Drive.
O veículo em questão se assemelha a um OVNI e emprega um "dispositivo inercial de redução de massa" para atingir "velocidades extremas", cita a publicação.
A patente postula que "é possível imaginar um veículo híbrido aeroespacial/submarino (HAUC), que devido aos mecanismos físicos possibilitados pelo dispositivo inercial de redução de massa, pode funcionar como um veículo submersível capaz de velocidades subaquáticas extremas [...] e capacidades de invisibilidade melhoradas", escreve o portal.

Investimento chinês no setor

Embora o examinador de patentes Philip Bonzell tenha inicialmente rejeitado o pedido, a mídia revela que o diretor de tecnologia da Empresa de Aviação Naval dos EUA, Dr. James Sheehy, atestou pessoalmente a legitimidade da nova tecnologia em carta enviada ao Escritório de Patentes e Marcas dos EUA (USPTO).
Sheehy afirmou na carta que, enquanto o "método de aceleração/movimento" descrito na patente "está além do estado do possível" no momento, "a China já está investindo significativamente nesta área" e prefere que os EUA "detenham a patente em vez de pagarem para sempre mais para usar esta tecnologia revolucionária".
O USPTO então emitiu um aviso de permissão para a patente, embora a organização aparentemente não tenha fornecido nenhuma explicação sobre o porquê de ter posteriormente decidido conceder sua aprovação.
De acordo com a mídia, no início deste ano o ex-senador estadual de Nevada, Harry Reid, declarou que os Estados Unidos, Rússia e China estão atualmente em uma "corrida de OVNIs", possivelmente implicando que os três países "estão atualmente lutando para serem os primeiros a dominar a tecnologia por trás de um veículo híbrido submarino e aeroespacial e a implantar em uma escala substancial".

Rota de colisão com Terra: quarteto de asteroides que podem atingir Planeta Azul



Como a possibilidade de um asteroide esmagar uma área da Terra não é levada muito a sério, a ONU criou uma data para conscientizar sobre a ocorrência potencialmente catastrófica.

Como parte do Dia Internacional do Asteroide, celebrado todo dia 30 de junho, foi criada uma lista apresentando as quatro rochas espaciais com maior probabilidade de colidir com o nosso planeta.

1979 XB

Movendo-se no espaço a quase 70 mil km/h através do Sistema Solar e se aproximando da Terra a quase 30 km/s, o impacto dessa rocha espacial com 900 metros de diâmetro seria devastador para o nosso planeta.
© FOTO : AGÊNCIA ESPACIAL EUROPEIA
Asteroide aproxima-se da Terra

A Agência Espacial Europeia (ESA) colocou o 1979 XB em segundo lugar na sua "Lista de Perigos" de objetos próximos ao nosso planeta. Especialistas alertam que esse asteroide poderia de repente se aproximar muito mais da Terra, dada uma pequena variação em sua órbita.
A próxima aproximação ao nosso planeta está prevista para 2024.

2010 RF12

Este asteroide, de 500 toneladas e com cerca de sete metros de diâmetro, está na lista da ESA e da Sentry (sistema automático de monitorização do impacto de asteroides contra a Terra).
O corpo rochoso está atualmente a cerca de 215 milhões de km do nosso planeta e viaja a uma velocidade de mais de 117mil km/h.
Estima-se que este asteroide não representa perigo até o fim do século, quando se aproximará a uma distância 40 vezes mais próxima do que a da Lua. Espera-se que o impacto seja ligeiramente inferior ao do meteoro que atingiu a cidade russa de Chelyabinsk em 2013, danificando milhares de edifícios e ferindo centenas de pessoas.

Apophis

Com aproximadamente o tamanho de quatro campos de futebol, esta rocha espacial está em uma órbita muito perto da Terra – atualmente a mais de 200 milhões km de distância, aproximando-se a 0,5 km/s.
© FOTO : NASA
Asteroide Apophis

Regularmente este corpo rochoso passa perto da órbita do Planeta Azul. Dados recentes mostraram que o ponto máximo de aproximação, a uma distância de 31 mil km de nós, ocorrerá no dia 13 de abril de 2029. Essa distância é 10 vezes menor do que a que separa a Terra da Lua.

2000 SG344

Essa rocha espacial pertence ao chamado grupo dos asteroides Aton, que alinharam órbitas muito próximas às da Terra.
Está previsto que o 2000 SG344 possa impactar com a Terra nas próximas três ou quatro décadas. Apesar do tamanho relativamente pequeno de 50 metros de diâmetro, ainda assim o corpo rochoso tem o dobro do tamanho do meteoro de Chelyabinsk.
Atualmente viaja pelo espaço a mais de 112 mil km/h e se aproxima da Terra a 1,3 km/s. Curiosamente, viaja em torno do Sol mais ou menos, ao mesmo tempo, do que a Terra: 353 dias, em comparação com 365 dias no nosso planeta. Isso dá aos astrônomos oportunidades regulares para observar o asteroide e avaliar o risco que ele representa.

Zoom no Sol: movimento hipnotizante de jatos de plasma solar é mostrado de perto em Vídeo



Imagens aumentadas ao máximo, obtidas com a ajuda de um telescópio, mostraram o incrível movimento dos jatos de plasma na superfície do Sol.

O vídeo mostra em detalhes a parte da estrela gigante do Sistema Solar, chamada região ativa 12593, escreve o portal ScienceAlert.
O Instituto de Física Solar do Conselho de Pesquisa da Suécia lançou a gravação fascinante obtida com um telescópio localizado na Espanha que recolhe o movimento das ejeções de massa coronal a partir da superfície solar.
A região ativa 12593 é ampliada ao máximo, permitindo ver de perto o movimento dos jatos de plasma, que sobem e descem à medida que a temperatura do gás quente aumenta ou diminui.
Os cientistas captaram estas imagens como parte de uma série de observações de comprimento de ondas com o intuito de analisar de perto as características do Sol e compreender melhor como se move a sua energia térmica.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Marcadores